Aparte
Atentando com 30 tiros à casa de Fausto Sobral mancha a paz da sucessão de Itaporanga

Portão da propriedade rural de Fausto: marcas de bala, confirmação da violência

A nota sombria deste 15 de novembro, dia de eleição municipal em Sergipe e no Brasil, foi o atentando à bala praticado contra a casa rural do empresário Fausto Sobral, filho de Sérgio Sobral, presidente do Creci-SE, nesta madrugada, em Itaporanga D’Ajuda.

 

Faustinho Sobral dormia na sede da fazenda, que fica entre a BR-101 e a Praia da Caueira, quando foi surpreendido com um saraivada de aproximadamente 30 tiros contra o portão e o muro da propriedade.

 

O fato relatado pelo empresário ocorreu por volta das 2h da madrugada. Segundo Fausto Sobral, os cerca de 30 tiros não feriram a ninguém. No instante do atentando, estavam na casa ele, a esposa e mais dois familiares. Todos dormiam.

 

Fausto Sobral está certo de que se trata de um atentado político e de que fora praticado por homens usando automóveis identificáveis e associáveis à candidatura de Gracinha Garcez, PSD, que disputa a Prefeitura.

 

Fausto hoje apoia a reeleição do prefeito Otávio Sobral, PP, que é seu primo, e de quem coordena a campanha.

 

Mas Fausto já foi secretário municipal de Itaporanga por duas vezes, ambas nos governos de Gracinha Garcez, de quem hoje é adversário político. Na primeira vez, foi secretário de Obras e na segunda, de Meio Ambiente. 

 

À Coluna Aparte, Fausto Sobral fez por telefone o seguinte relato.

“Eu estava dormindo e por volta das 2h da manhã seis carros fecharam o portão da fazenda e efetuaram mais de 30 tiros. Tenho certeza de que foi a oposição, o grupo liderado por Gracinha Garcez. Sou coordenador da campanha de Otávio Sobral, não estou concorrendo a mandato algum”.

 

E disse mais: “Liguei pro Ciosp duas vezes e o major Thiago chegou aqui, muito educado, ficou um tempão comigo, analisou o lugar das balas e pediu para eu me dirigir até a delegacia. Só que eu não dormi de madrugada e vim acordar neste instante. Todo mundo está em pânico, a família toda estava lá”, disse ele, por volta das 11 horas.

 

“Não deu para ver quem eram as pessoas, mas os carros sim, e deu para anotar as placas. Havia uma Amarok prata, de placa QMI-4382, que já vinha tocando o terror aqui em Itaporanga, um gol prata, de placa QMG-5080, um Virtus branco, de placa RSC3h86 e um Fiat Mobi. Do pessoal só deu para ver que estava todo de camisa laranja, a cor da oposição à gente. O pessoal do PSD”, disse.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.