Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 37 anos, tem formação pela Unit e é fundador do Portal JLPolítica. É poeta.

Na Domingueira, Diná Almeida abre coração do mandato, fala de acertos e manda recado pra Dilson
Compartilhar

Diná Almeida: acertos no mandato e enquadramento em opositor

“Acima de tudo, hoje sou uma parlamentar com mais experiência. São 20 meses de trabalho, vivenciando uma rotina que já se tornou hoje natural para mim”.

Esta afirmação vai ser feita pela deputada estadual Diná Almeida, Podemos, na Entrevista Domingueira do JLPolítica deste domingo, 20 de setembro. A justificativa dela tem lá sua razão de ser.

Diná, 56 anos, chegou meio tímida na Assembleia Legislativa de Sergipe em fevereiro de 2019, vinda de uma eleição em 2018 que lhe rendera 20.168 votos, garantindo-lhe a 16ª posição no ranking dos 24 mais votados que atracaram ali.

Sim, tímida como se estivesse pisando em terreno minando, do qual pouco ou quase nada soubesse. Mais por zelo e por cuidados de estreante do que propriamente por falta de conhecimento do que sejam a cena e a causa políticas.

Hoje ela se sente com experiência e convencida de que fez a metade do seu mandato dentro de um bom figurino. “Já são quase dois anos com mais de 60 proposituras parlamentares, entre indicações e Projetos de Lei, sendo que três PLs já foram sancionados. O meu mandato é atuante e cidadão, focado em melhorar e desenvolver o nosso Estado, sempre com a participação da sociedade, através de sugestões enviadas ao gabinete e também da conversa no dia a dia com a população”, dirá ela.

“A Diná Almeida de setembro de 2020 sabe mais sobre os processos parlamentares, sobre a política sergipana, os desafios da administração pública e, principalmente, tem mais conhecimento sobre as necessidades do povo sergipano. Por isso meu trabalho ganhou mais abrangência, com ações e proposituras que causam impactos em diversas áreas”, afirmará. 

Na EntrevistaDiná Almeida passará seu mandato em revista, opinará sobre as economias nacional e local, sobre pandemia, louvará a ação do marido como gestor de Tobias Barreto, vai prever a reeleição dele e mandará um recado seco para seu oponente tobiense na Alese, deputado Dilson de Agripino: não vai mais ouvir calada os impropérios dele em plenário.

Aliás, de Dilson Diná faz uma leitura dura. “É dissimulado. Dilson entregou a prefeitura e a cidade de Tobias Barreto caindo aos pedaços. Creio que Dilson se candidatou para deputado já pensando em se promover para as eleições municipais. Eu o considero um oportunista. Ele passou anos no PT, fez seu nome na sigla. Quando Lula foi preso e o antipetismo cresceu em todo país, ele abandonou o barco”, fustiga Diná.

Aguarde. A Entrevista Domingueira vai estar disponível aqui neste Portal às 8h da manhã deste domingo, 20.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.