Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 37 anos, tem formação pela Unit e é fundador do Portal JLPolítica. É poeta.

Opinião - É honra dividir com Danielle a chapa que irá derrotar a atual administração e mudar Aracaju
Compartilhar

[*] Valadares Filho

Li atentamente, Jozailto Lima, cada linha da sua opinião sobre a minha posição na sucessão de Aracaju. Você me conhece muito bem e sabe que sou desprovido de vaidades. 

Quando tomei a decisão de ser candidato a vice-prefeito de Danielle Garcia eu tinha plena convicção de que tentariam menosprezar meu papel, que usariam críticas na tentativa de criar discórdia e desunião em nosso agrupamento. 

Todos nós, em Aracaju, sabemos que quando a oposição está colocando em risco o projeto dos atuais ocupantes do poder, essas críticas se intensificam. 

Estamos a 15 dias da eleição e por coincidência começam a aparecer mais questionamos, totalmente distorcidos da realidade, provando assim que estamos realmente incomodando.

A minha decisão de ser candidato a vice-prefeito foi tomada de forma muito consciente, após uma longa reflexão e análise do cenário que se aproximava. 

Optar por ser coadjuvante e não o protagonista, foi uma decisão acertada e que eu tomaria mais uma vez, caso voltássemos no tempo. 

Em um claro gesto de desprendimento político e de humildade, compreendi que o momento era de união, de entendimento das oposições para enfrentar a maior de todas as batalhas.

Compreendi, ainda, que era momento de a oposição ter outra pessoa no papel de protagonista no processo eleitoral e a minha escolha foi a de estar ao lado de Danielle Garcia, que eu acredito ser capaz de enfrentar e de vencer essa luta.  

É claro que eu poderia ser candidato a prefeito, mas entendi que enfraqueceria o propósito comum que tínhamos. Também poderia apoiá-la e indicar um candidato a vice, o que seria muito confortável

Porém, sou movido a desafios e tenho grandeza suficiente para entender que minha presença na chapa seria uma clara demonstração de que eu acreditava e continuo acreditando na nossa vitória.

O meu desejo e o de Danielle era de que fizéssemos uma frente oposicionista ainda maior, mas infelizmente não foi possível. 

Entretanto, tenho convicção de que no segundo turno possamos alcançar esse objetivo, pois sei, por experiência própria, o quanto é duro enfrentar a máquina pública e os que desejam a perpetuação no poder.

Sei que estou no lado certo - o lado daqueles que têm o firme propósito de verdadeiramente fazer Aracaju se desenvolver.

Daqueles que, com coragem e determinação, desejam transformar a cidade em um polo de desenvolvimento econômico e social. Tenho a certeza de que eu estaria errado se estivesse no outro lado.

Sim, meu caro Jozailto Lima, tenho muito orgulho dos milhares de votos que angariei em minha história política, que você fez questão de detalhar e é uma honra poder dividir com Danielle, uma mulher preparada e corajosa, a chapa que irá derrotar a atual administração e mudar Aracaju, tirando da gestão os velhos vícios de sempre.  

Tenha certeza de que faremos história e continuarei me orgulhando de todos os passos políticos que me levaram a enfrentar de cabeça erguida, garra e força de vontade um sistema que vem destruindo Sergipe. 

Assim, permanecerei preservando a minha biografia, que algumas vezes me levou a fazer duros sacrifícios políticos e pessoais, mas sempre orgulhoso com as missões cumpridas.

[*] É presidente da Executiva Estadual do PSB de Sergipe, candidato a vice-prefeito de Aracaju na chapa encabeçada por Danielle Garcia, Cidadania, e escreve este texto em resposta ao artigo publicado na Coluna Aparte desta sexta, dia 30 de outubro 2020.

 

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário