Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 39 anos, poeta e fundador do Portal JLPolítica. Colaboração / Tanuza Oliveira.

Professor Dudu: “Com aval de Ana Lúcia, tenho certeza de que vencer vai se tornar menos complexo”
Compartilhar

Professor Dudu: fé no projeto e sonhando alto com Ana Lúcia na retaguarda

O ex-presidente da Central Única dos Trabalhadores de Sergipe, o estanciano Rubens Marques de Souza, Professor Dudu, PT, e pré-candidato a deputado estadual nas eleições deste ano, admitiu nesta segunda-feira, 17, que sonha alto com o apoio da ex-deputada Ana Lúcia Menezes, PT, ao seu projeto político e eleitoral.

Ana Lúcia Menezes pertenceu à corrente petista Articulação de Esquerda juntamente com o Professor Dudu. Em 2018, ela não disputou reeleição, ajudou a eleger deputado estadual o professor Iran Barbosa, desta mesma corrente, mas ambos deixaram a Articulação, hoje pertencem à corrente Militância Socialista e, no universo do PT, são dados como rompidos e Iran como alguém que vai para o PSOL.  

Todos esses cenários têm levado às especulações de que o Professor Dudu vai ser o nome na disputa pela Alese apoiado por Ana Lúcia Menezes, que está fora de combate, em casa e com a saúde bem debilitada. Dudu acompanha tudo isso - inclusive as notinhas na mídia -, mas não confirma qualquer pacto eleitoral entre ambos.

“Sobre Ana Lúcia, vou dizer uma coisa: se ela tomou a decisão de votar em mim, não tenho oficialmente nenhuma informação. Mas se ela resolver votar, obviamente que ela não votará sozinha. Ela é de um agrupamento. Se ela tomar essa atitude, posso lhe garantir que a minha candidatura vai ser muito mais competitiva, mesmo ela com problema de saúde e sem poder sair de casa. A simbologia do apoio de Ana Lúcia e uma declaração nesse sentido seriam o que de melhor poderia acontecer com na minha pré-candidatura”, informou o Professor Dudu com exclusividade à Coluna Aparte.

“De modo que se o apoio dela vier, será o que de melhor poderia me acontecer. Aí eu ia lhe dizer: “olhe, a nossa candidatura vai de competitiva a muito competitiva”. Hoje a gente disputa pensando em vencer. Obviamente, ninguém vai entrar num desgaste de uma campanha para perder. Entra-se para disputar e vencer. Mas com o aval de Ana Lúcia tenho certeza de que vencer vai se tornar menos complexo”, reforça Dudu.

Professor Dudu até admite que já esteve em visita pessoal a Ana Lúcia Menezes, mas garante que nada disso que é boato na imprensa virou pauta efetiva entre ambos. “Eu estive com Ana Lúcia não tem nem um mês. Fui lhe visitar em missão de desejar-lhe saúde. Óbvio que ficaria chato eu chegar lá pra fazer uma visita pela saúde e de repente misturar as coisas. Mas admito que fiquei feliz com a receptividade dela - até porque ela também tinha saído da Corrente Articulação de Esquerda. A receptividade dela foi ótima”, diz o Professor.

“No final ela inclusive me perguntou como é que estava a minha pré-candidatura. Disse-lhe que estamos ainda nos preparativos. Não tinha muita coisa para lhe dizer, mas fiquei surpreso com a receptividade, que foi ótima e pela relação de respeito que se manteve. Mas nesse debate em nenhum momento Ana Lúcia tratou de apoio, até porque ela é militante hoje da Militância Socialista e não tomaria uma decisão isolada”, diz Dudu.

Segundo Rubens Marques de Souza, estão elaborando um livro em homenagem a Ana Lúcia. “Um grupo chamado Paulo Freire, ligado a ela, faz isso. Tem muito professor da universidade e de fora e me convidaram para escrever um capítulo sobre a convivência com ela. E por causa disso terminei também voltando a dialogar com ela pra tirar algumas dúvidas. Mas sem entrar na política”, afirma o Professor.

Professor Dudu informa, no entanto, que enquanto “o aval de Ana Lúcia” não lhe vem, ele vai fazendo a sua parte nesse latifúndio de possibilidades. “A nossa pré-candidatura em nome da Articulação de Esquerda é pra valer, sim. Iran Barbosa era da Articulação, saiu e a gente faz agora a reposição. Naturalmente, quando uma pessoa sai de uma tendência ou de um partido as coisas não se acabam”, diz.

No PT, há uma queixa de que Iran Barbosa fez um mandato muito “personalista”, apartado de suas origens na sigla e até com deficiência de representatividade da classe que lhe levou ao parlamento, que é a dos professores de Sergipe. E ensimesmado na comunicação. Uma prova cabal disso é a de que ele e a atual gestão do Sintese romperam - por lá continua-se Articulação de Esquerda e o candidato a deputado estadual este ano vai ser justamente o Professor Dudu.

O próprio Professor Dudu admite que nesse período todo do mandato de Iran não conseguiu nenhuma interlocução com ele. “Reconciliação com Iran eu não sei se há possibilidade, até porque não tenho conversado com ele absolutamente nada já tem três anos”, diz.

Mas segundo o Professor Dudu, o projeto político deste ano lhe deu ânimo novo. “Eu estou de volta às bases. Com a pandemia, fiquei distante e afastado de tudo. Das manifestações em Aracaju e em todo lugar. Tive medo de sair e me contaminar. Agora, com a vacinação, tomei a terceira dose e estou voltando a fazer o trabalho que faço de militância. Seja no partido, seja no movimento sindical. Estou voltando ao normal”, diz.

Para ele, já foi possível aferir que Estância, sua base, recebeu bem a sua pré-candidatura. “Percebo que em Estância a receptividade foi ótima. Quando teve o congresso da Articulação de Esquerda e o meu nome foi apresentado, o primeiro sintoma foi o de que as emissoras de rádio e os blogs se pautaram. Mas penso que do voto, ninguém é dono. O voto é pra ser conquistado. Tenho, no entanto, boas lembranças de Estância - fui candidato a deputado federal em 2002, tive 12 mil votos só lá. Eram 12 mil num eleitorado infinitamente menor do que temos hoje em Estância. E fui candidato a prefeito depois, contra Ivan fortíssimo, contra Zé Nelson e contra outros, e ainda consegui cinco mil votos. Então tenho boas lembranças”, observa Dudu.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.

Lúcia Célia Gonzaga
Estão muito bem representadas e com toda a garra de sua militância iremos pra rua lutar afim de conseguirmos o voto consciente de cada eleitor sergipanopara que o nosso amado Brasil seja feliz e o seu povo possa voltar a sorrir novamente.