Aparte
Enquanto deve salário de dezembro, prefeito de Ribeirópolis nomeia CCs

Em Ribeirópolis os atrasos são constantes e as dívidas da gestão viraram bola de neve

Os funcionários efetivos e comissionados da Prefeitura Municipal de Ribeirópolis estão vivendo um drama neste início de ano. Estão sem receber o salário de dezembro. E, pior ainda: muitos estão sem previsão de recebê-lo. Só viram a cor do dinheiro do 13º terceiro.

Até o momento, a Prefeitura de Ribeirópolis - comandada pelo prefeito Antonio Passos - só pagou os funcionários lotados na Secretaria Municipal de Saúde. A informação é que os atrasos são constantes e as dívidas da gestão viraram bola de neve.

Questionada por esta Coluna Aparte, a Prefeitura de Ribeirópolis, por meio da Assessoria de Comunicação, informa que: “em virtude das dívidas previdenciárias deixadas por outras gestões, compromete-se o FPM (Fundo de Participação dos Municípios). Ou seja, deduz-se do valor e o Município fica com muito pouco recurso para arcar com as folhas, já que depende do FPM e do ICMS. A receita pouca”, diz o assessor Franklin Andrade.

Se a receita é pouca, por quais motivos o prefeito de Ribeirópolis realizou, neste mês de janeiro, dez nomeações em cargos em comissão? “Em julho, houve exoneração de quase todos os CCs e contratados para enxugar a folha. No final do ano, tiveram poucas nomeações, porque a Prefeitura não tem como funcionar bem somente com o quadro de servidores efetivos”, tenta justificar Franklin Andrade.

Enquanto isso, nem ao menos os professores do Município, que tem verba carimbada do Fundeb, a Prefeitura de Ribeirópolis pagou. O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica do Estado de Sergipe - Sintese - está de olho na situação.

“Temos um estatuto que diz que devemos ser pagos dentro do mês trabalhado. A gestão pagou o salário de janeiro a novembro dentro do mês trabalhado. Agora, em dezembro, pagou o décimo terceiro, mas não pagou o salário”, informa a professora Rita de Cássia Santos, coordenadora geral da sub-sede do Sintese na Região Agreste.

“Nossa preocupação é que agora, no mês de janeiro, os professores têm o salário de janeiro e têm as férias. Como ele (o prefeito) vai pagar o salário de dezembro, de janeiro e ainda as férias dos professores?”, questiona a coordenadora do Sintese.

Sintese promete protestar contra o atraso nesta sexta-feira, 10, em frente à sede da Administração Municipal, assim como a Prefeitura - por meio da Secretaria de Finanças - prometeu que pagará a folha dos docentes amanhã. “Terça-feira tivemos uma assembleia e deliberamos que faremos uma vigília lá na Prefeitura para, realmente, confirmarmos o pagamento”, informa Rita.

Segundo a coordenadora, para justificar o atraso, a Prefeitura informa que: “Pagaram o décimo terceiro e o que sobrou não deu para pagar a folha. Ou seja, o Município não se planejou para pagar o 13º.

O não recebimento de salários, claro, causa desequilíbrio financeiro e emocional em qualquer cidadão e sua família. Nas emissoras de rádio, funcionários concursados da Prefeitura lamentam a situação aos prantos.

“Afirmam que os professores vão pagar no dia 11 e a gente que é servente não vai pagar. Isso não existe. Como é que um funcionário trabalha 30 dias num mês e fica sem receber salário? Tomei dinheiro emprestado para pagar o meu cartão. Se quiser, tiro foto do meu armário e mostro, pois só tem um caroço de arroz”, desabafou uma funcionária da Prefeitura há 28 anos.

A promessa da Prefeitura de Ribeirópolis é continuar o pagamento da folha de dezembro nesta sexta-feira. “Amanhã, umas 11h, a Secretaria de Finanças informará quais folhas serão enviadas para os bancos”, informa o assessor Franklin Andrade.