Aparte
Advogado Cristobaldo Alves, 57 anos, foi vítima de um câncer raro

Cristobaldo Alves, ao lado do filho Ian Mateus Gois Alves dos Santos: morte aos 57 anos

Nascido no dia 12 de novembro de 1963, em Cristinápolis, sul de Sergipe, o advogado Cristobaldo Alves dos Santos, morreu na noite desta última segunda-feira, 13 de setembro, e foi sepultado na tarde desta terça, 14, na cidade natal. Dentro de exatamente dois meses, ele faria 58 anos.

Cristobaldo Alves foi, por mais de 20 anos, um advogado full time e exclusivo do jornal Cinform. Com a falência desse veículo em 2018 e a consequente chegada da pandemia de coronavírus, ele saiu de cena, isolou-se e reapareceu agora com a surpreendente notícia de morte. Era um grande sujeito.

Segundo a ex-companheira dele, a professora Sineide Mirtes Gois Silva, 58 anos, Cristobaldo Alves foi vítima de “um câncer de tipo raro e devastador”.

“O câncer dele não era nem raro. Era raríssimo e fulminante. Ele tomou morfina. Já estava delirando, passou mal na noite de segunda e não resistiu. Faleceu na casa da irmã Maria de Lourdes, no Augusto Franco. Estava magrinho. O couro e o osso. Ele descansou. Estava sofrendo muito. Sofrendo demais”, afirma Sineide Mirtes Gois Silva.

“Ele estava emagrecendo e, aparentemente, não tinha doença nenhuma. Mas apareceu uma dor no pescoço, que ele pensava ser um torcicolo, não passava, e a partir de um certo dia não conseguia nem abrir a boca de tanta dor. Foi levado ao Hospital da Unimed aqui de Aracaju no dia 3 de agosto, onde foi feita ressonância e constatado um tumor. Mas aí já estava no pulmão, no cérebro e na coluna cervical”, relembra.

Segundo Sineide Mirtes, uma mostra do tumor foi mandada à cidade de São Paulo, que demorou a devolver o resultado exatamente pelo fato de os médicos estarem fazendo uma análise mais profunda, consultando professores universitários para saber que tipo de câncer propriamente seria. Nesse espaço de tempo, ele foi liberado para ir pra casa, sob a alegação de melhoras. E ali morreu.

“Mas ele mantinha muita esperança. E até me dizia: “Sineide, o que der, eu vou conseguir vencer”. Não conseguiu, infelizmente. Mas ninguém esperava pelo falecimento dele assim tão rápido”, relembra a ex-companheira.

Com a professora Sineide Mirtes Gois Silva, Cristobaldo Alves teve um filho, Ian Mateus Gois Alves dos Santos, 26 anos, hoje um engenheiro químico com formação acadêmica pela Universidade Federal de Sergipe e em fase preparatória para engatar um doutorado. “Com certeza, ele foi um bom pai”, afirma Ian.

Sim, e foi também um caro colega de trabalho para muita gente. Ele teve 13 irmãos. Antônio Bonfim e Adriano Bonfim, ex-mantendores do Cinform, manifestaram-se muito pesarosos diante da morte. A OAB de Sergipe divulgou nota de pesar.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.