Aparte
OPINIÃO - As gestões públicas do Brasil necessitam de muitos Lucianos Barreto

[*] Sérgio Sobral

É muito fácil para mim falar a respeito da figura humana e empresarial de Luciano Barreto, que na última quinta-feira, dia 10, fez 80 anos e foi tão bem saudado pelos sergipanos.

Afinal, Luciano Barreto é uma pessoa amiga, a quem conheço há mais de quarenta anos e a quem aprendi a admirar por suas múltiplas qualidades.

Profissionalmente, perco a conta de quantos empreendimentos da sua Construtora Celi foram comercializados através da nossa Imobiliária Japiaçu.

Àquela época, lá atrás, já me era evidente que o empreendedor Luciano Barreto era um ser diferenciado. Muito diferenciado.

Ele sempre fora uma pessoa verdadeira que, sem subterfúgios, falava o que pensava, olho no olho. Fora e é. O tempo só lhe temperou mais. E para melhor.

Desde então, Luciano se tornou, do meu ponto de vista, se não o maior, mas um dos maiores empreendedores de Sergipe. Fez-se referência nacional que orgulha o nosso Estado e à nossa gente.

Todos sabem, e não somente eu, que ele é um empresário generoso que sempre viu nas pequenas e médias empresas do segmento da construção civil suas verdadeiras parceiras. Abraçou-as sem ranço de concorrentes.

E, como tal, sempre procurou ajudá-las. Hoje eu entendo que com essa visão de mercado Luciano contribuiu, e muito, para o crescimento e o fortalecimento da economia sergipana. Ser desprendido assim é arte de poucos.

Diante de tudo isso, atrevo-me a afirmar: com dez empreendedores do porte e da estatura desse nosso Luciano Barreto o Estado de Sergipe estaria em outro patamar. Em outro patamar para muito melhor.

E vou mais longe: de muitos Lucianos Barreto à frente das gestões públicas é do que precisávamos para esse nosso Brasil velho bom e castigado.

Não bastasse a face empreendedora na economia, Luciano Barreto, por sua própria característica iluminada, também soube fazer a diferença no social. Quem o conhece de perto, sabe da sua nobre generosidade.

Somem-se aí as centenas de jovens que, através do Instituto Luciano Barreto Júnior - que leva o nome do seu filho que nos deixou prematuramente –, encontraram a oportunidade da formação profissional e todos saberão ao que me refiro.

Portanto, para você, meu amigo Luciano Barreto, deixo aqui um forte abraço pelos seus 80 anos. Um abraço que encontra ecos no abraço de todos os sergipanos que lhe querem bem.

[*] É empresário, administrador de Empresas e presidente do Creci-SE.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.