Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 39 anos, poeta e fundador do Portal JLPolítica. Colaboração / Tanuza Oliveira.

Valmir de Francisquinho reúne seu grupo num café da manhã nesta quarta e discute o futuro político
Compartilhar

Valmir de Francisquinho: “Não há nada de errado no Matadouro. Nada foi provado durante quatro anos”

O pré-candidato ao Governo de Sergipe cassado em seus direitos políticos pelo Tribunal Superior Eleitoral, Valmir de Francisquinho, PL, reúne-se na manhã desta quarta-feira, 6, com seus aliados e pré-candidatos ao seu lado para nas eleições deste ano para tratar do futuro do seu agrupamento.

O encontro está convocando as pessoas para as 7h da manhã, com previsão de durar até as 8h30 ou 9h, no Hotel Aquarius, na Atalaia, em Aracaju. “Eu convidei todos os nossos pré-candidatos para a gente dar uma visão panorâmica real da situação”, diz Valmir.

“Vamos ter a participação dos advogados que defendem a nossa causa. Eu entendo ser necessário que a gente dê informação de nossas chances nesse processo. A minha intenção é a de não deixar ninguém dos nossos seguidores na dúvida. Esta situação exige muita responsabilidade, e isso eu tenho”, disse Valmir à Coluna Aparte nesta terça-feira.

Valmir de Francisquinho dá claros sinais de desconforto diante da cause dele, mas não blasfema e nem cai em desrespeito às instâncias que mantivera a sua condenação originada lá em 2018.

“Quero dizer que respeito também o Poder Judiciário, mesmo comigo admitindo que sou vítima de muita perseguição. É preciso que os sergipanos sabiam que se eu tivesse feito algo errado como gestor eles (do Judiciário) teriam me estragado é com as acusações dos problemas do Matadouro Municipal e não com um detalhe de uma cor da nossa gestão que estampou a campanha de Talysson de Valmir em 2018”   , disse Valmir.

“Não há nada de errado no Matadouro. Nada foi provado durante quatro anos e eu não tenho vergonha de dizer na cara de qualquer um que sou um político honesto. Na falta do que me acusar, vão atrás de uma cor usada durante um encontro de inauguração de uma obra. Isso deveria ser motivo de chacota. Mas a gente segura na mão de Deus e segue em frente. Esse encontro desta quarta no Aquarius é uma forma de irmos em frente”,  disse Valmir de Francisquinho.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.

sandes
quen realmente quer se informar tem que ler essa coluna tudo de bol