Aparte
Opinião: Temer “desmascara” o Brasil

O enigma Michel Temer: decifre-o!

[*] Alex Nascimento

Enquanto grande parte da esquerda brasileira tentou e tenta mascarar o Brasil, ao dizer que o país é uma nação possível, mesmo com toda essa corja política que domina o cenário nacional, e com a qual compactou, o presidente Michel Temer, ao contrário, esfrega em nossa cara a realpolitik nacional, desmascara a nossa hipocrisia, ao tempo em que dá um chega pra lá em nossas ilusões românticas de nação.

Temer avança sobre qualquer terreno com desenvoltura, e mesmo certa elegância, sem a necessidade do discurso cansativo dos populistas, posto não alimente o afã de iludir ou mesmo “controlar as massas”. Talhado no direito, nos salões e nos porões, Temer deixa claro o que corre no sangue de nossa história de poder e que faz do Brasil a nação que é.

Lacônico e preciso em seus movimentos, o peemedebista cumpre com talento sua missão. Cumpre com aquilo que seus pares esperam dele. Em contrapartida, esses criam um círculo de proteção que manda no país e que tem raízes seculares em mentalidade e modus operandi.

A referida esquerda, ao negar tal mentalidade e mesmo incorporar o nada republicano modus desse círculo, não apenas tentou escamotear a realidade, como passou a ser cúmplice e também artífice dessa mesma realidade: o resultado deu no que deu!

A prova mais eloquente do que aqui se diz são as malas recheadas de dinheiro encontradas no apartamento de Geddel Vieira Lima. As reformas da previdência e trabalhista, ou o fim de reservas florestais, por exemplo, são um detalhe desse governo. O buraco que Temer cava é mais fundo. É o buraco do qual o Brasil historicamente ainda não conseguiu sair.

O ex-presidente dos Estados Unidos, Ronald Reagan, ator que fora, certa feita afirmou que a política é como o show business, em que o sujeito (os que conseguem, claro) faz uma estreia fantástica, desliza por algum tempo e termina num espécie de inferno.

Temer, como presidente, não fez fantástica estreia, não deslizará por muito tempo no poder, mas, em compensação, não terminará seu governo no inferno, já que terá cumprindo sua razão de ser na Presidência: fazer com que o Brasil continue a ser o que tem sido ao longo de sua história. Triste realidade! Fazer o que?!

[*] É jornalista e professor.