JLCultura
Especial & Colaborações

Espaço dedicado ao compartilhamento de conteúdo literário, como de poesia, tanto publicada quanto inédita.

CANTO VELHO
Compartilhar

Poema, Jozailto Lima/Ilustração, Ronaldson

algo absolutamente velho,
assim quereria meu canto.

velho e cravejado de signos,
ao modo do dia que vai nascer.

como o canto do galo que se
reelabora na clara e gema do ovo.

depois disso, só silêncio.
nada mais quererei do meu cantar.

ainda que outras gemas e claras
se reelaborem cravejadas
de símbolos e cantos novos
das manhãs que vão chegar.

(Do livro “Ainda os lobos”, editora Patuá, São Paulo, 2016).

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.

Jaime Cunha
Belo poema
Leônia
Seu canto é cravejado de símbolos, caro poeta. Por mais velho que o queira, sempre trará o novo. Parabéns!!!
Jaci Farias
Lindos, poema e ilustração