JLCultura
Especial Jozailto Lima

Espaço dedicado ao compartilhamento de conteúdo literário, como de poesia, tanto publicada quanto inédita.

ORAÇÃO
Compartilhar

Poema Jozailto Lima / Ilustração Ronaldson

senhor, eu queria tanto
ser um homem comum,
desses que jogam dominó
e gamão pelas esquinas das tardes
mortas

que cospem no chão de qualquer chão,
que tangem jumentos encarotados
sem reparar na qualidade da água que
levam
nem no que o mundo tem a dizer com
tantos códigos.

mas esta mania, senhor, de encarar
o céu e o sol, de calçar sapatos
de selecionar os algodões e os linhos
nos quais me guardo o corpo,

ah, senhor, e mais estas notícias
derretendo minhas retinas,
alterando o pulso do meu dna e do meu
sono.

oh senhor, quanta falta fazem
um talo de capim-açu e uma vereda
torta
que ligue o nada a lugar nenhum
e com ele e nela palitar algo mais que o
dente.

senhor, queria tanto
ter dezoito filhos e soprar bolinhas
na festa de 100 anos do caçula.

ah, senhor, e só mais isso:
a paciência e a calma dos jabutis das
ilhas de galápagos.


(Do livro “Ainda os lobos”,
editora Patuá, São Paulo, 2016).

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.

Cauê
Belo poema
Sérgio sobral
Amigo Jozailton, nesse mundo atual, com tantas mentiras, arrogância, políticas mesquinhas tanta tecnologia que era para nos ajudar mais na verdade, está fazendo não termos tempo, para ver as coisas simples da vida, e, esse lindo poema, demostra isso para tanto, estudar, trabalhar, e não curtir a vida, por isso no interior as pessoas deixam a vida lhe levar. Abraços
Lêda Telles
Lindo poema. Ser assim, se moles assim . Gratidão pelo sonho partilhado.
Dea Jacobina
É assim o poeta, consegue extrair com jogo de de expressões vontades como essaes da preguiça e da vida interiorrana. E assim, Os meus domingos ficaram mais gostosos . Bom domingo pra você José!
Edelmir Barreto
um poema, na verdade um relato dum instante de constelação, na constatação de uma vida natural interiorana brasileira.
Nilsara
Excelente.
Adenilta
Admiro seus poemas
Dilson Barreto
Excelente tanto o texto como o novo visual.
Francisco Altamiro Brasil
Tudo isso se conquista quando servimos ao próximo sem julgamentos
Gorete Amorim
Excelente!!! As vezes também fico pensando nos prazeres da vida simples. Dostoiévski, em seu conto "O subsolo", diz ter inveja do homem simples e espontâneo.
Noedson Valois
Muito interessante. Encontrei-me dentro do poema. Parabéns!
Ednaldo de Oliveira
É um poema muito bom más, quando agente se entrega para Deus nos não podemos ter mais as regalías naturales e simples que li anteriormente neste poema.
Omar Portugal de Oliveira
Muito raiz com a beleza de quem sabe que quanto menos conhecemos mais chance de ter a felicidade do simples.
Edson Caetano
Muito bom! Verve poética ímpar !!
Gilton Garcia
Poesia fundamentada no relato fiel, nas idéias bem expostas e na precisão das palavras. Parabens!
Raymundo Luiz
Pleno de humanidade e arquejo de longevidade...
Telma
Recebo o poema domingueiro como um presente a brindar a vida, o viver. Obrigada, Jozailto
Jucilene Almeida Rios
Amém. Jesus, eu tbm queria ser assim, viver a vida sem lenços e documentos, porém, muito calmo e feliz.
Jucilene Almeida Rios
Amém. Jesus, eu tbm queria ser assim, viver a vida sem lenços e documentos, porém, muito calmo e feliz.
Jaime Cunha
Sempre muito bons os poema do velho Joza, leitura que leva a reflexões
Everardo Sena
👏👏👏👏👏👏