Politica & Economia
Saumíneo Nascimento

Saumíneo Nascimento é economista, bancário de carreira pelo BNB e diretor-Executivo do Grupo Tiradentes. 

Sergipe tem o menor tempo para abertura de empresas no Brasil
Compartilhar

Em 2019, a Jucese realizou mais de 18 mil atendimentos

Sergipe tem o menor tempo no Brasil no processo de abertura de empresas. Segundo informações colhidas na Rede Simples, o tempo médio de abertura de uma empresa em Sergipe, em 2019, foi de um dia e 13 horas - 92% delas foram abertas em menos de 3 dias; 2%, entre 3 e 5 dias; 1%, entre 5 e 7 dias; e 5% em mais de 7 dias.

Claro que cada processo de abertura tem sua complexidade de acordo com a tipologia da empresa, mas o que podemos destacar e que Sergipe tem a melhor média de abertura de empresa no Brasil.

Para ter uma ideia da importância deste dado, enquanto em Sergipe você gasta pouco mais de um dia para abrir uma empresa, no Estado vizinho ao Sul, a Bahia, o tempo médio é de 14 dias e 14 horas. Já ao Norte, no Estado de Alagoas, o tempo médio de abertura é de 3 dias e 2 horas.

A média de abertura de empresas no Brasil é de 4 dias e 13 horas - 62% das empresas são abertas em até três dias. Em Sergipe, este percentual é de 92%, na Bahia é de apenas 25% e em Alagoas 75%.

Esses dados são importantes para o empresário sergipano, pois pode significar maior agilidade e confiança na abertura de sua empresa. E veja que Sergipe realizou muitas movimentações no universo das empresas. Conforme dados estatísticos da Rede Simples, ao final de 2019, Sergipe tinha 261.283 estabelecimentos na categoria de matriz  e 17.983 filiais - dos estabelecimentos ativos tínhamos 110.119 matriz e 7.600 filial.

No ano de 2019 foram baixados 121.960 estabelecimentos matriz e 8.816 filiais. Tínhamos como classificados em outras modalidades 29.204 estabelecimentos -  na categoria de matriz e 1.567 estabelecimentos na de filial.

Dos estabelecimentos ativos, os cinco maiores municípios são: Aracaju – 52.394 (47,6%); Nossa Senhora do Socorro – 7.377 estabelecimentos (6,7%); Itabaiana – 4.850 (4,4%); São  Cristóvão – 4.179 (3,8%) e Lagarto – 3.817 (3,4%). Juntos estes municípios possuíam 65,9%, quase dois terços dos estabelecimentos ativos de Sergipe - o que demonstra uma forte concentração regional na distribuição empresarial. O município que possui menos estabelecimentos ativos é Pedra Mole, com 54 unidades na categoria de matriz.

Esse resultado de Sergipe ter a melhor performance na abertura de empresas é graças aos esforços que foram desenvolvidos ao longo dos anos e que continuem com destaque pela equipe de técnicos e dirigentes da Junta Comercial do Estado de Sergipe - Jucese.

A entidade informou recentemente que realizou no ano de 2019 mais de 18 mil atendimentos aos seus usuários, que são empreendedores, contadores, advogados, administradores e diversos outros profissionais que acompanham o segmento empresarial - atendimentos tanto foram presenciais como por meio telefônico.

Assim, fica Sergipe como um exemplo para o Brasil no processo de simplificação e agilização na abertura de empresas. Especialmente agora, com a implantação do projeto Jucese 100% Digital, onde o registro de empresas será totalmente on line e com o registro automático de empresas.