Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 38 anos, poeta e fundador do Portal JLPolítica. Colaboração Tanuza Oliveira.

Fabiano Oliveira vê “personalismo e egocentrismo” em debates político-eleitorais nesta hora
Compartilhar

Fabiano Oliveira: questão de ordem é suplantar a pandemia e recuperar economia

Com uma passagem pelo Estado como secretário de Cultura e Turismo e com dois mandatos de deputado estadual, o vereador de Aracaju Fabiano Oliveira, PP, disse nesta sexta-feira, 30, que está “muito feliz” com seu retorno à vida política, admitiu que pensa em voos maiores no espaço estadual, mas rejeita taxativamente traçar agora qualquer plano político-eleitoral diante da pandemia de coronavírus.

“Discutir isso nesse momento em que estamos vivendo, além de ser um desserviço, seria dar uma de personalista. De egocêntrico. Deus me livre disso numa hora dessa. Diriam de mim e no meu próprio setor: “A gente aqui passando fome, e ele preocupado com uma candidatura de deputado estadual! Não tem condições. Jamais. Vamos pensar nas vidas e na retomada da economia. Para isso, precisamos muita fé em Deus e de nenhuma demagogia”, diz Fabiano Oliveira.  

“Eu diria que tenho sido muito abordado por uma série de liderança com perguntas do tipo “Fabiano, qual é o seu projeto para 2022? Vai disputar o mandato de deputado estadual?”. A minha resposta tem sido a de que qualquer coisa que se falar agora é prematuro. Num momento desse, num clima de terceira guerra mundial, com uma pandemia dessas, vivendo como estamos, quem tiver saúde, o leito de casa para dormir e o pão de cada dia, levante a mão pra Deus e agradeça. O momento é de pensamento completo sobre a pandemia”, afirma Fabiano.

Não é que Fabiano Oliveira não pense política. Claro que pensa. “Eu estou muito feliz com o meu retorno à vida pública, ainda mais por ter entrado na eleição passada nos 45 minutos do segundo tempo, com morte súbita, porque eu não tinha projeto político - estava há 14 anos fora dele, e tive quase 3 mil votos e entrei bem. Mas o momento agora é difícil”, reforça. Ele obteve 2.974 votos em 2020.

“O que eu posso admitir é que que se estivéssemos num momento normal e tivesse num agrupamento político - porque política se faz dentro de grupos –, poderia até estar pré-candidato a deputado estadual, porque quem está na política tem de estar preparado para jogar. E na minha visão de quem já teve dois mandatos de deputado estadual, ao lado do meu sempre lembrado Albano Franco, tenho a convicção de que projetos eleitorais se desenvolvem com agrupamentos políticos - e digo que estou muito satisfeito no PP. O meu presidente Laércio Oliveira é um cara que está presente nos diálogos com a gente. Mas o momento atual não nos dá condições e nem clima de estar conversando sobre construção de projetos político-eleitorais”, reforça.

Aos 50 anos, diretor Regional de Sergipe da Associação Brasileira de Produtores de Eventos - Abrape -, Fabiano Oliveira entende que a questão de ordem agora é suplantar a pandemia e recuperar a economia.

“Eu preciso analisar pelo momento que estamos vivendo, que é muito angustiante e que é a nossa realidade concreta. Recebo a todo instante pedidos de vagas em UTIs, de cestas básicas, de emprego. Quem é político presente, que responde e dá atenção às pessoas, sabe do que estou falando. Nunca vivi um momento de tensão como este. Tenho dito às minhas filhas e à minha esposa que a gente só ouvia e via falar disso no cinema ou na TV. Ou lia nos livros”, diz ele.

“Eu estou muito mais preocupado com a vida das pessoas no momento e com a retomada do emprego, sobretudo no setor turístico, do qual sou representante, do que em discutir eventual candidatura futura. O nosso setor de eventos está há 15 meses de portas fechadas. Vamos passar dois anos assim. Sabe o que é isso? Isso é uma guerra invisível”, garante.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.