Politica & Mulher
Tanuza Oliveira

É jornalista desde 2010, com atuação em veículos impressos e assessorias de comunicação.

Anotem aí: Sophia Luna é o novo nome da música sergipana 
Compartilhar

Sophia Luna: muito estudo, single lançado e coragem para seguir seu destino

Aos 14 anos de idade, a estudante do ensino fundamental Sophia Sampaio de Luna já está fincando seu nome no cenário da música sergipana. E deve ir bem além dos limites sergipanos.

Autora de algumas composições, Sophia Luna está lançando o primeiro single e mostrou-se uma artista pop/rock juvenil em ascensão em Aracaju. De excelente performance.

Filha de Diana Oliveira de Luna, enfermeira, e de Ângelo Cavalcanti Sampaio, engenheiro civil, Sophia Luna estuda música desde os seis anos de idade.

Ela já se envolveu em diversos projetos artísticos, inclusive sendo protagonista em peças de teatro, apresentações e concursos musicais. 

Com o sonho de ir além com suas composições, no dia 10 de setembro a cantora lançou seu primeiro single, “Thoughts”, em todas as plataformas de streaming digitais e pretende lançar o seu primeiro EP ainda este ano. 

Sophia Luna espera que o público de todas as idades consiga se conectar com sua arte e com as mensagens que quer passar através das suas canções.

“Minha paixão pela música sempre esteve comigo. Confesso que nos momentos em que ficava difícil eu queria desistir, como qualquer adolescente, mas meus pais sempre me incentivaram a continuar no meio, porque sabiam que os estudos musicais englobavam meu sonho”, diz ela à Coluna.

Apesar da pouca idade, Sophia Luna já admite que o conceito/estereótipo da música sergipana não é muito compatível com o estilo das composições dela, mais voltadas ao pop e ao pop/rock.

“Ritmos mais regionais como o forró e o brega mais recente são mais aceitos, gerando assim um maior desafio em termos de crescer musicalmente por aqui. Mas acho que vale a pena tentar”, ressalta. 

Sophia Luna: prenúncios claros de um talento precoce que promete muito

Mas com “Thoughts”, o primeiro single, para o qual ela se preparou para possíveis críticas, veio a primeira surpresa. “Ainda não ouvi críticas em relação ao idioma ou estilo, o que esperava ouvir pois geralmente esperam que artistas brasileiros escrevam em português. Já vi vários sendo criticados por não atenderem à essas expectativas. Felizmente, só recebi boas mensagens e elogios”, comemora. 

A canção fala sobre um relacionamento em que nada do que fora feito foi suficiente, então a personagem finalmente começa a perceber que a culpa não é dela e que já está mais do que na hora de dar um basta.

“Vou confessar que não lembro muito bem do processo de composição, pois eu tinha 12 anos. Só toquei uns acordes simples no ukulele e comecei a cantar por cima e a letra veio naturalmente. Meu amigo e produtor musical Dimitri Fonseca, que conheci no Conservatório de Música de Sergipe, foi quem produziu minhas músicas, transformando o sonho em realidade", relembra Sophia. 

As artistas que ela mais admira e nas quais se inspira são Billie Eilish e Taylor Swift. “Criatividade, versatilidade e sentimento é com elas”, aponta.

“Em cada álbum da Taylor, ela se reinventa e cria algo completamente novo e que surpreende toda vez. Em cada música da Billie, é uma sensação diferente. A experiência que tenho ao ouvi-las é de outro mundo”, resume. 

Espelhando-se nelas, por aqui Sophia Luna busca seu lugar ao sol e sonha poder conseguir reconhecimento para suas composições, fazendo com que as pessoas se conectem com elas de alguma forma.

“Seria mais do que um sonho escrever músicas, performá-las e chamar isso de trabalho. É um grande desafio, mas estou disposta a mergulhar de cabeça para fazer o que amo”, garante. A Coluna deseja muito sucesso, Sophia!

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.