Politica & Mulher
Tanuza Oliveira

Jornalista desde 2010, com formação pela Unit e atuação em veículos impressos e em assessorias de comunicação em Sergipe. É repórter Especial do JLPolítica desde 2017.

Denise Leal: “Que essa crise seja a oportunidade para superação da apropriação privada da UFS”
Compartilhar

Denise Leal: “Acreditamos ser possível ter uma universidade onde a produção do conhecimento não seja manietada por grupelhos”

A Universidade Federal de Sergipe – UFS – tem passado por um momento muito delicado: depois de vivenciar um processo de escolha de reitor extremamente polêmico, a instituição passa por uma intervenção, com a nomeação de uma nova reitora temporária.

Para a professora Denise Leal Albano, que foi candidata a reitora da instituição universitária pela chapa RenasceUFS, o cenário atual é reflexo do arbítrio “daqueles que se julgavam donos da instituição”. “A tão invocada autonomia universitária não pode ser um permissivo para reitores e seus aliados se perpetuarem no poder, atropelando normas vigentes e sem qualquer decoro moral”, destaca ela.

De acordo com Denise, o ex-reitor da UFS, professor Ângello Antoniolli, e o seu grupo buscaram impor um sucessor a qualquer custo. “Imaginavam que a universidade era uma zona livre de controle legal e imune a qualquer supervisão de instâncias administrativas superiores. Acreditavam que as manobras autoritárias e ilegais prevaleceriam, permitindo levar adiante seu projeto de poder sem limites”, argumenta.

Felizmente, segundo Denise, o país vive em um Estado de Direito e os mecanismos de contenção de ilegalidades podem ser acionados. Dessa forma, várias ações no campo judicial e administrativo foram promovidas com o intuito de reivindicar um processo eleitoral limpo, dentro da lei e sujeito à fiscalização. 

“Que essa crise seja a oportunidade para superação da apropriação privada da UFS, do inchaço e aparelhamento da máquina administrativa e de uma cultura de compadrio em detrimento da adoção de critérios técnicos e de excelência na gestão acadêmica e administrativa da instituição”, opina. 

Denise Leal espera que venham novas eleições, para que a comunidade universitária se manifeste sobre quais propostas deseja ver implementada. “Acreditamos ser possível ter uma universidade onde a produção do conhecimento não seja manietada por grupelhos que se apropriam dos espaços deliberativos para favorecimentos pessoais e de seus grupos de interesse ou interditada por defensores do pensamento único”, reitera.

Ou seja, para ela, o livre pensar e a pluralidade de ideias devem encontrar um ambiente acadêmico propício. “Lutamos por uma universidade em que as boas iniciativas no campo da extensão e as atividades de pesquisa contem com financiamento seguro e o necessário apoio administrativo. Em que a gestão seja marcada pela transparência e correta aplicação dos recursos públicos, com um olhar mais atento à assistência estudantil. Os desafios são grandes, mas não são maiores do que o nosso desejo de ver uma nova realidade na UFS”, afirma.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.

Denise
Muitos aqui falam de "cobiça", de "democracia", de "oportunismo"... mas quase nada de concreto dizem sobre os desmandos que se passavam na UFS (convido que consultem os sites do TCU e da CGU para terem uma ideia) e o que ocorreu na eleição da lista tríplice da reitoria. Quanto ao direito, é verdade que muitos autoritários e abusadores o desvirtuam e corrompem, daí a luta pelo Direito e pelo respeito à Democracia ser incessante. Quanto à senhora Ana Leocádia, que diz que não há provas de "fraudes", que eu chamo de ilegalidades, no processo eleitoral da UFS, eu recomendo que consulte os procedimentos na Justiça Federal, no MPF e no MEC com dezenas de provas sobre os muitos abusos cometidos. Quanto à consulta à comunidade fake, os responsáveis cometeram ilícitos vários e, se não fosse a concessão de quem foi vítima da obtenção irregular de dados de milhares de servidores e estudantes da UFS, mereciam responder por esses atos claramente violadores de dispositivos constitucionais e da Lei Geral de Proteção de Dados.
Lenarte Carvalho
Sobre o destino da UFS, está muito claro que a professora Denise Leal tem grande cobiça na Reitoria da Universidade Federal /Se e ai fica desfazendo de qualquer um candidato para a entidade; ou mesmo Reitor , ela a Denise tenta desqualificar pessoas que se destina para o cargo; pois seu interesse é Óbvio! Se vier um Reitor de pulso, e moral libada ! Não serve vai de encontro ao seus desejos. A UFS precisa é uma Direção de responsabilidade acadêmica, Manter a ordem geral da Universidade, e não a favorecimentos, a grupelhos esquerdistas em defesa do Vale Tudo.
Ana Leocádia Santos
Engraçado como esse portal de notícias está sendo tendencioso em não postar às críticas feitas a professora Denise Albano, sobre a falta de provas em suas falas nós debates ocorridos durante a campanha eleitoral da UFS.
Ana Leocádia Santos
Professora Denise a senhora defende tanto a a universidade, mas se negou a participar da Consulta Acadêmica alegando vícios e nunca apresentou provas. Não está na hora da senhora apresentar esses fatos?
Jorge Dantão
Atento para a expressão utilizado pela professora direitista "Estado de Direito", mas não democrático de direito. Toda e qualquer intervenção desse naipe é autoritária e danosa para o Estado Democrático de Direito. A lembrar que o Direito é mais das vezes o mais torto que existe e justificou regimes de exceção: nazismo, fascismo italiano, campos de concentração de japoneses nos EUA no período da segunda guerra mundial. Com a devida vênia, a fala soa oportunista. Quantos lobos não se escondem sob manto da ovelha? Difícil é ver ovelha sob manto de lobo, que parece ser o caso da oposição à Interventora e à professora entrevistada. Paciência...
Vera Lúcia
Jlpolitica proporciona boa informação sobre os acontecimentos no Estado de Sergipe. Parabéns
Lenarte Carvalho
Sobre o destino da UFS, está muito claro que a professora Denise Leal tem grande cobiça na Reitoria da Universidade Federal /Se e ai fica desfazendo de qualquer um candidato para a entidade; ou mesmo Reitor , ela a Denise tenta desqualificar pessoas que se destina para o cargo; pois seu interesse é Óbvio! Se vier um Reitor de pulso, e moral libada ! Não serve vai de encontro ao seus desejos. A UFS precisa é uma Direção de responsabilidade acadêmica, Manter a ordem geral da Universidade, e não a favorecimentos, a grupelhos esquerdistas em defesa do Vale Tudo.
Ana Leocádia Santos
A senhora desistiu de concluir a Consulta Eleitoral alegando fraudes, esquemas, mas nunca mostrou provas desses acontecimentos. Alega ser perseguida por sua visão ideológica e fisiológica, mas não conseguiu um único voto no Colégio Eleitoral. Será que não já passou a hora de vermos essas provas tão contundentes?