Politica & Mulher
Desenhando o machismo. Aliás, vestindo

Ana Paula Silva: boa gestora, linda e decotada

A deputada federal por Santa Catarina, Ana Paula Silva, PDT, tomou posse com um macacão vermelho – lindo – e decotado. O presidente Jair Messias Bolsonaro, PSL, foi a uma reunião oficial com uma calça estilo pijama e chinelos.

Até aí, tudo bem. Mesmo os trajes de Bolsonaro não sendo nada usuais para um chefe de Estado. O problema foi a repercussão de tudo isso, que acabou se configurando como uma verdadeira aula prática sobre machismo.

Isso porque enquanto Bolsonaro foi aplaudido pela maioria, que considerou sua roupa simples e, portanto, em consonância com o que acreditam que ele é, Ana Paula foi achincalhada de todas as formas. Segundo ela, centenas de pessoas a chamaram de “daputada” e “trabalhadora do cabaré”.

Essas pessoas, com certeza, não se preocuparam em conhecer o histórico da deputada – porque, claro, é a roupa que define uma mulher. Sim, aqui contém ironia –, que foi eleita prefeita de Bombinhas por duas vezes e também por duas vezes recebeu o título de melhor gestora do Estado.

Ana Paula pretende processar os autores de comentários ofensivos e continuar se vestindo como gosta – até porque a própria Assembleia informou que o decote não caracterizou quebra de decoro. “Não vou mudar meu jeito de ser”, disse ela. E não deve mesmo.