Politica & Mulher
Tanuza Oliveira

É jornalista desde 2010, com atuação em veículos impressos e assessorias de comunicação.

Janier vai ao PSD, mas será que vai à reeleição? 
Compartilhar

Janier: “Me sinto muito lisonjeada em ter entrado para o PSD”

Na última semana, a deputada estadual Janier Mota foi filiada ao Partido Social Democrático, PSD, a convite do governador Belivaldo Chagas, do deputado federal Fábio Mitidieri e do deputado estadual Jeferson Andrade. A decisão chamou a atenção, já que no fim do ano passado ela anunciou que não se candidataria à reeleição. 

Não que a filiação implique, necessariamente, em uma candidatura. Mas, se há a intenção clara de não mais participar diretamente da política partidária, por que mudar de partido? 

Ao anunciar a transição, Janier afirmou que o governador Belivaldo, Fábio e Jeferson são três pessoas muito queridas e que, por isso, não poderia recusar o convite de entrar para a família PSD.

“Me sinto muito lisonjeada em ter entrado para o PSD, um partido composto por grandes nomes de nosso Estado, que vem ajudando a desenvolver economicamente e socialmente a nossa terra, como o nosso líder maior, o governador Belivaldo, e o meu amigo Fábio, que com a fé de nosso Deus será o nosso próximo governador de Sergipe”, disse Janier.

Ela é natural da cidade de Nossa Senhora da Glória, no Sertão Sergipano, e residente na cidade de Itabaianinha, Região Sul de Sergipe. É empresária do ramo de cerâmica, agropecuarista, citricultora e proprietária de um dos maiores parques de vaquejada de Sergipe, o Gabriel Mota.

Janier também é ex-vice-prefeita do município de Itabaianinha. Cumpriu a gestão municipal no período de 1º de janeiro de 2017 a 30 de janeiro de 2019, quando assumiu seu primeiro mandato como deputada estadual na Assembleia Legislativa de Sergipe, após ser eleita nas eleições gerais de 2018 em 11º lugar, com 25.731 votos.

A eleição se deu pelo Partido Liberal, PL, comandado por Valmir de Francisquinho, ex-prefeito de Itabaiana e pré-candidato ao Governo do Estado, o que explica a filiação ao PSD: não faria sentido para Janier continuar a compor os bancos do PL, já que ela hoje compõe a bancada governista. 

Em sua carta, em dezembro do ano passado, ela afirmou: “encerrarei o mandato em janeiro de 2023, mas continuarei sendo a mulher pública Janier Mota que reconhece suas origens, que ama todo Sergipe e que sempre terá como propósito de vida, servir ao próximo com amor e dedicação”. 

É o que espera esta Coluna, para que a  política, seja ela em que aspecto for, não perca mais uma representante feminina!

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.