Politica & Mulher
Machismo faz mais uma vítima e jovem tem rosto tatuado à força 

Tayane Caldas teve o nome de Gabriel tatuado à força 

Já imaginou ter o seu rosto tatuado à força? Pior: com o próprio nome do seu agressor? Foi o que viveu a jovem Tayane Caldas, que passou por momentos de terror nas mãos do ex-namorado Gabriel Coelho.

Ele já havia descumprido duas medidas protetivas que o impediam de chegar perto dela. Desta vez, foi preso por descumprir a determinação e também por lesão corporal. 

Ao falar pela primeira vez sobre o caso, Tayane disse que foi sequestrada e mantida em cárcere privado no fim de semana, quando teve o rosto tatuado com o nome do ex. 

“Para mim, ele me matou por dentro, acabou comigo com uma forma de me marcar e dizer que eu sou propriedade dele”, disse Tayane. 

E foi justamente essa a ideia de Gabriel e a mensagem que a tatuagem passa: tal qual gado, Tayane foi marcada, na pele, com o nome daquele que se julga seu dono, proprietário de sua vida, de seis corpo e de seus sonhos.

Ele não aceitava o fim do romance e ameaça não apenas Tayane, mas também a família dela. Em uma das mensagens trocadas com a mãe dela, o rapaz teria dito para a mãe da vítima: "Nada vai mudar o que vou fazer". 

Segundo a mãe da jovem agredida, a troca de mensagens ocorreu há cerca de um mês. A Delegacia Seccional de Polícia de Taubaté, onde o caso foi registrado, não confirmou se recebeu as mensagens e se foi possível confirmar a autenticidade.

Em um momento da conversa, a mãe da jovem escreveu: "Por favor, tô pedindo. Para com isso. Você já bateu muito nela. Eu sei tudo o que você fez, sei de todas as ameaças".

O rapaz respondeu em mensagem de voz: "Dona Débora, para de mandar mensagem para mim, por favor. Nada do que você falar ou deixar de falar vai mudar o que eu vou fazer. Fechou? É isso aí. Forte abraço".

A mãe da jovem relatou à polícia que o rapaz agrediu a filha e a imobilizou para realizar a tatuagem. "Ela está com o olho roxo. E ele a forçou a gravar um vídeo autorizando a tatuagem. Minha filha falou que gravou com medo de algo pior acontecer", disse ao Uol. "Tenho medo do que possa acontecer com minha família caso ele seja solto pela Justiça".

O caso corre em segredo de Justiça e as investigações já foram iniciadas pela Delegacia da Mulher de Taubaté. A Justiça manteve a prisão preventiva do agressor - a qual, se espera, deve ser mantida e revertida em sentença quando do julgamento. 

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.