Politica & Mulher
Empreendedorismo feminino deve ser reforçado no pós-pandemia, diz deputada 

Maria Mendonca: “Seguimos nessa luta para fazer valer aquilo que é definido pela ONU”

Uma pesquisa, intitulada O Impacto da Pandemia do Coronavírus nos Pequenos Negócios, elaborada pelo Sebrae, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas - FGV - revelou que, apesar da disposição e do espírito empreendedor, as mulheres ainda sentem constrangimento ao solicitar empréstimo às instituições bancárias por receio de não ter capacidade de endividamento equivalente ao montante financeiro pretendido.

Para a deputada Maria Mendonça, autora da Lei 8.629/2019 que cria a política de estímulo ao empreendedorismo feminino no âmbito do Estado de Sergipe, essa é uma realidade que precisa ser compungida. “O cenário é potencializado pelo simples fato de ser uma mulher quem está buscando o crédito”, ressalta Maria Mendonça.

A lei de autoria da deputada estabelece quatro eixos. Entre eles, a facilitação de crédito para que essas mulheres possam ter condição de ter acesso a recursos, em condições diferenciadas, para tocarem os seus negócios. Para a parlamentar, mesmo já demonstrando toda competência,ser maioria no mercado empreendedor, a mulher continua numa árdua batalha por reconhecimento e bom posicionamento no mundo dos negócios. 

“Seguimos nessa luta para fazer valer aquilo que é definido pela ONU, no que diz respeito à criação de um ambiente que proporcione as mesmas oportunidades de crescimento profissional para homens e mulheres”, destaca. “Garantindo-se essa igualdade, naturalmente, estabelece-se o empoderamento feminino”, completa. 

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.