Politica & Mulher
Tanuza Oliveira

É jornalista desde 2010, com atuação em veículos impressos e assessorias de comunicação.

“Os aracajuanos ficam surpreendidos com o sabor diferenciado das Empanadas Lanús”
Compartilhar

Roberto Guidetti e Raíssa Oliveira: uma parceria sem rivalidade entre Brasil e Argentina

Raíssa Oliveira e Roberto Guidetti são os nomes por trás da marca Empanadas Lanús. Eles são novos-novinhos. Juntando as idades, tem-se 53 anos - 31 dele e 22 dela.

Mas, bem mais novas do que eles dois são as Empanadas Lanús, que ambos deram de produzir e colocar à experimentação, à degustação e à aprovação dos aracajuanos.

Isso se deu em fevereiro de 2020, em pleno começo da  pandemia de Covid-19, e as Empanadas Lanús, já flanam leves na memória gustativa dos aracajuanos, com uma excelente aceitação, o que alegre aos dois empreendedores e gera neles planos positivos para o futuro.

“Nossa intenção é a de expandir o negócio, mas sempre mantendo o sabor caseiro do produto feito em casa que nos distingue e que as pessoas elogiam bastante. Mantendo essas bases, podemos partir para outras metas, como a venda no atacado e fornecimento para cafeterias e mercados”, afirma Raíssa Oliveira em plena sintonia com Roberto Guidetti Raíssa Oliveira. 

Hoje o negócio fala alto pela web. “Nós oferecemos as empanadas pelos aplicativos de ifood e, agora, o uber eats. Estamos também com um site próprio para a retirada do pedido e agendamentos. Basicamente, tudo online”, completa Roberto.

Raíssa é uma aracajuana estudante de Engenharia de Produção, com curso a ser concluído no final deste ano, e filha de uma família altamente empreendedora na economia sergipana.

Ele, um argentino mergulhador profissional, com formação em Recursos Humanos e em Direito em Buenos Aires, que cresceu na cidade de Lanús, na Grande Buenos Aires - daí o nome da empada que, além de homenagear a localidade, levanta também a bola do nome do time de futebol dali - para o qual, obviamente, ele torce. Lanús é também onde nasceu Diego Maradona, o quase Pelé dos argentinos.

“Nós gostamos de falar com os clientes depois de experimentar as nossas empanadas e, realmente, a impressão que eles dão é a de que ficam surpreendidos com o sabor diferenciado. Aqueles clientes que foram para a Argentina dizem que ficam felizes porque, segundo eles, o sabor é igual ao que experimentaram na sua viagem, coisa pela qual ficamos muito alegres”, afirma Roberto.

Nessa entrevista de duas vozes concedida à Coluna Política & Mulher, conheça um pouco mais desses dois jovens empreendedores e do produto que eles oferecem ao mercado.

Política & Mulher - O que são mesmo as Empanadas Lanús?
Roberto Guidetti -
As empanadas são uma comida tradicional argentina, podendo ser feitas tanto ao forno quanto fritas, similarmente a um pastel. É uma comida que, assim como o “asado”, todo estrangeiro tem que provar quando vai a Argentina.
Raíssa Oliveira - O nome Lanús também refere-se à cidade de Roberto e ao time de futebol pelo qual ele torce. E as Empanadas Lanús são uma representação apetitosa de toda essa tradição.

Política & Mulher - Por que esta inspiração argentina?
Raíssa Oliveira -
É, como eu disse há pouco, uma comida que lembra o lar do Roberto, assim como o nome homenageia a casa e a cidade dele. 
Roberto Guidetti - E, com certeza, uma forma de homenagear meu time de futebol. A logo do nosso produto tem as mesmas cores do time. 

Política & Mulher - Como vocês se encontraram empresarialmente?
Raíssa Oliveira -
Uma vez Roberto fez as empanadas justamente para assistir a uma partida do futebol do Lanús e, quando todos provaram, gostaram tanto que decidimos distribuir pela família e, com isso e as aprovações, surgiu a ideia de comercializá-las. 

Política & Mulher - Há quanto tempo vocês estão experimentando esta produção?
Roberto Guidetti -
A produção para comercialização iniciou-se em meados de fevereiro deste ano de 2021.

Política & Mulher - Tem um público específico a quem as empanadas são destinadas?
Raíssa Oliveira -
No princípio, focamos em amigos, família e conhecidos, mas já há um tempo atrás chegamos a um público maior. 

Empanadas Lanús: se espraiando no gosto aracajuano

Política & Mulher - Mas como é que o aracajuano reagiu a elas?
Roberto Guidetti -
Nós gostamos de falar com os clientes depois de experimentar as nossas empanadas e, realmente, a impressão que eles dão é a de que ficam surpreendidos com o sabor diferenciado. Aqueles clientes que foram para a Argentina dizem que ficam felizes porque, segundo eles, o sabor é igual ao que experimentaram na sua viagem, coisa pela qual ficamos muito alegres. 

Política & Mulher - O que diz o gráfico das vendas de fevereiro até agora?
Roberto Guidetti -
Os gráficos demonstram que esse é um negócio que, se trabalhado bem, é prometedor. 

Política & Mulher - Onde elas são encontradas ou como é feita a comercialização?
Raíssa Oliveira -
Nós oferecemos as empanadas pelos aplicativos de ifood e, agora, o uber eats. Estamos também com um site próprio para a retirada do pedido e agendamentos. Basicamente, tudo online.

Política & Mulher - De quantos sabores é composto o cardápio das Empanadas Lanús?
Raíssa Oliveira -
No momento, temos oito sabres, sendo cinco salgadas e três doces, nas quais misturamos sabores tradicionais argentinos e tradicionais nordestinos, como goiabada com queijo do reino e frango com catupiry. Estamos experimentando para expandir um pouco mais as opções. 
Roberto Guidetti - Procuramos, dentro do que já conhecemos, produzir sabores distintos, sempre priorizando fornecedores locais. 

Política & Mulher - Qual é a pretensão empresarial de vocês dois para o futuro com este produto e serviço. Vocês querem migrar do varejo, da venda à pessoa física, para algo mais no atacado, aos serviços de food?
Raíssa Oliveira - Sim. Nossa intenção é expandir o negócio, mas sempre mantendo o sabor caseiro do produto feito em casa que nos distingue e que as pessoas elogiam bastante. Mantendo essas bases, podemos partir para outras metas, como a venda no atacado e fornecimento para cafeterias e mercados. 

Política & Mulher - Como é que seus pais, mais especificamente, encararam estas experimentações empreendedoras?
Raíssa Oliveira -
Meu pai encara como um aprendizado e minha mãe incentiva bastante, ambos apoiando o crescimento do negócio e também o meu crescimento pessoal e profissional. 
Roberto Guidetti - Mesmo quando eles não estavam muito seguros do que eu fazia, meus pais, Roberto e Laura, sempre me apoiaram, com muito carinho, em tudo. É por isso que oferecemos a eles essas empanadas com muito sentimento.

Política & Mulher - É a sua primeira ação empresarial?
Roberto Guidetti -
No negócio gourmet, é nossa primeira ação empresarial. 

Política & Mulher - A clausura gerada pela pandemia ajudou ou atrapalhou a experiência?
Roberto Guidetti -
É um pouco difícil definir se a pandemia ajudou ou não, porque iniciamos a produção e a comercialização dentro da própria pandemia. Mas podemos dizer que foi a situação adversa que nos fez buscar empreender.
Raíssa Oliveira - Como Roberto é um mergulhador profissional e a pandemia baixou a demanda dessa atividade, ele aceitou minha proposta de começar a empreender. E estamos mergulhando bem no propósito.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.