Politica & Mulher
Aisla: independência através do empreendedorismo 

Aisla: “O mais incrível de tudo isso é saber que a cada dia é possível aprender algo novo”

Há cerca de três anos, Aisla dos Santos Sousa decidiu dar uma guinada de vida. E, como milhares de mulheres, viu no empreendedorismo a oportunidade para materializar essa mudança. Hoje ela empreende através de uma loja de produtos personalizados, a Criativa Print, e também como social media.

“Eu trabalhava como digitadora no posto de saúde do meu povoado, Lagoa Redonda (município de Porto da Folha). Mas sempre tive uma enorme vontade de voltar a empreender, pois havia tentado na infância e na adolescência, mas por falta de experiência não deu certo. Sentia a necessidade de criar mais rendas, para que no futuro não precisasse trabalhar tanto”, afirma Aisla.

Foi quando criou a Criativa. “Utilizei uma habilidade como designer e a falta deste tipo de produto como os principais gatilhos para iniciar. Juntei o dinheiro e comecei. Após isso, me deparei com outra questão, não queria vender apenas em meu povoado, tinha o intuito de atingir outras cidades da região, comecei a utilizar o Instagram como forma de divulgação, estudei bastante e consegui atingir outros públicos”, comenta.

Foi aí que surgiu o segundo empreendimento: “vendo esta minha necessidade de vender offline e online, acabei entendendo que esta dificuldade não era apenas minha, muitos empreendedores não tinham noção de como iniciar nas redes sociais. E em agosto de 2019 criei a Marketingran”, lembra. O primeiro serviço de Aisla era gerenciar o Instagram de outras empresas.

E, com a pandemia, as empresas fecharam e não tinham como vender seus produtos, nem atender os clientes, além de também não conhecerem tanto o mercado digital. “De repente, um cliente indicou outro, que indicou outro e ficou difícil conciliar tudo isso, então precisei contratar uma pessoa para ajudar e aqui estou com duas mulheres me ajudando a levar para frente esses dois empreendimentos que eu simplesmente amo cuidar e ver crescer”, ressalta Aisla.

Ambos, aos poucos, seguem se desenvolvendo da melhor maneira possível. “Na Criativa, não vendemos produtos, proporcionamos carinho. Quando algo é personalizado, é possível colocar a essência da pessoa que receberá, então é algo marcante e inesquecível. A marketingran proporciona inclusão digital, com ela é possível contribuir com pequenos, médios e grandes negócios, proporcionando a cada cliente atendimento exclusivo, ágil e personalizado”, garante a empreendedora.

Questionada sobre como tem sido tocar os empreendimentos, ela resume como um período de aprendizagem. “São setores diferentes, que exigem expertises diferentes. Isso exige que eu procure ser uma empreendedora mais horizontalizada, ou seja, não focar apenas em minhas funções, e sim buscar entender de tudo um pouco, não me acomodar. O mais incrível de tudo isso é saber que a cada dia é possível aprender algo novo. Isso é extraordinário”, destaca.

Junto ao aprendizado veio a independência financeira. “Esse sempre foi o meu desejo, os dois negócios foram o meio que consegui para atingir este objetivo, assim como muitas mulheres”, reforça Aisla.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.