Entrevista

Jozailto Lima

Compartilhar

Adailton Sousa: “Governarei a cada segundo para os mais de 100 mil itabaianenses”

2 de janeiro de 2021
“Entendo que a principal característica do homem público é a de servir ao povo”

A principal cidade do Agreste de Sergipe e uma das quatro maiores do Estado um dia já se chamou Itabaiana Grande.

Não foi por graciosidade ou megalomania dos seus filhos que, dizem por aí as boas línguas, estão entre os mais ativos e criativos sergipanos. 

Foi Itabaiana Grande em virtude de seu território cobrir e abocanhar uma grande e vasta área do pequeno Estado Sergipe.

Empossado como prefeito de Itabaiana no último sábado, dia 1º, o técnico em Contabilidade e bacharel em Administração de Empresas Adailton Sousa, 55 anos, quer resgatar o espírito do passado distante e trazer de volta o codinome Grande.

““Itabaiana Grande, mais feliz, mais forte e mais humana”. Ao que tudo indica, essa é a frase que irá compor a logo da minha gestão, porque incorpora todo o sentimento do que pretendo realizar por este município. A palavra “Grande” tem uma relação histórica, pois nosso município já foi de fato chamado assim no passado: “Itabaiana Grande””, diz Adailton.

“O complemento do slogan, “mais feliz, mais forte e mais humana” representa a continuidade e a ampliação do trabalho que foi realizado nos últimos oito anos, o que é uma meta e são compromissos que foram firmados por mim em campanha”, complementa.

Na verdade, Adailton refere-se a um passado recente, de 2013 para cá, do qual ele foi um ajudante de luxo num projeto que já devolveu parte da grandeza de Itabaiana.

Se não lhe restituiu o tamanho territorial do passado, deu-lhe uma outra grandeza no presente, que foi a dignificação dos serviços, das obras e das finanças públicas - tudo isso materializado em oito anos das gestões seguidas de Valmir de Francisquinho, das quais Adailton foi um ajudante de primeira linha.

Adailton Sousa: muitos oks para o futuro de Itabaiana
Adailton Sousa e Alfredo, o cão de estimação a família: um homem em paz consigo mesmo

“Abracei a missão que me foi confiada e minha vida hoje está completamente mudada. Saí dos bastidores, onde permaneci por muito tempo, para ser o prefeito de Itabaiana”, diz.

Nos oito anos da gestão de Valmir, Adailton foi secretário de Administração e chefe de Gabinete da Prefeitura Municipal de Itabaiana.

Os dois dividiram por dentro e presencialmente grandes tarefas e atribuições do Governo Municipal. Por outros quatro anos, de 2009 a 2012, Adailton acumulou experiência pública como secretário Especial em Areia Branca.

Nesta Entrevista, Adailton Sousa dirá que recebe Itabaiana administrativamente em dia, com mais de R$ 20 milhões em caixa para obras, e com recursos disponíveis para folha de pagamento de pessoal.

Ele revela gratidão e confiança em Valmir de Francisquinho, diz que respeita muito a opção política de Belivaldo Chagas no município - é aliado de Luciano Bispo -, mas garante que vai buscar uma relação republicana na esfera prefeito-governador.

Adailton Resende Sousa nasceu no dia 6 de outubro 1965 em Salvador, na Bahia. É filho de João de Deus Sousa, falecido em 2012, e de Maria Josilene Rezende Sousa.

Em ato religioso pela posse no sábado, dia 1º de janeiro

O pai foi vice-prefeito de Itabaiana ao lado João Germano da Trindade naquele mandatão de seis anos, de 1983 a 1988. João Germano era um filho adotivo de Francisco Teles de Mendonça.

Adailton Sousa é casado com Érica Pinheiro Sousa, com quem é pai de Brayon Victor Pinheiro Sousa, de 30 anos, e Nicholas Pinheiro Sousa, de 27. Já é avô de Beatriz Freitas Sousa, de 5 anos.

Ele tem formação acadêmica em técnico em Contabilidade desde 1984 pelo notável Colégio Murilo Braga, e é bacharel em Administração de empresas, com graduação em 2018, concluída pela Fasamar - Faculdade São Marcos. 

Adailton tem especializações em Qualidade dos Gastos Públicos, pelo TCU em 2005, Sistema Sisap, pela ECOJAM em 2005, em Controle de Gastos da Administração Pública, pelo TCE/SE em 2005 e fez curso de Licitações e Improbidade Administrativa pelo Ministério Público Estadual em 2005. Tem formação de pregoeiro público pela Asipas em 2006 e Programa de Fortalecimento da Gestão Pública, pela CGU, em 2012. 

“O povo entendeu que votar em Adailton era continuar com as obras e as ações de Valmir. E assim será. Além disso, Valmir é uma pessoa de rara sensibilidade política”, diz. A Entrevista com Adailton Sousa vale a leitura.

Adailton Sousa em dia de posse de prefeito, com a família completa
GOVERNO A CONTEMPLAR A TODOS
“Pretendo governar para todos, seguindo com a mesma política do prefeito Valmir de Francisquinho: a de não perseguir nenhum cidadão itabaianense por causa da sua bandeira partidária ou da cor da sua camisa, o que era corriqueiro outrora”


JLPolítica - O que se espera de quem se elege prefeito de Itabaiana é que a primeira ação seja a da pacificação dos itabaianenses, que se dividem muito fortemente nos períodos eleitorais. O senhor tem um plano real para isso?

Adailton Sousa - Pretendo governar para todos, seguindo com a mesma política do prefeito Valmir de Francisquinho: a de não perseguir nenhum cidadão itabaianense por causa da sua bandeira partidária ou da cor da sua camisa, o que era corriqueiro outrora. Dessa forma, entendo que a pacificação vem do reconhecimento ao trabalho. Pois assim como Valmir sempre esteve na casa dos 80% de aprovação de sua gestão, e isso não significa 80% de votos, pretendo trabalhar incansavelmente para que a aprovação de nossa gestão também possua essa característica. O voto é consequência. Mas a aprovação da gestão é a forma de todos nós, sem exceção ou bandeira partidária, mostrarmos que amamos Itabaiana e que o trabalho vem, sempre, em primeiro lugar.

JLPolítica - Mas houve uma quebra de paradigma nessa eleição?

Adailton Sousa - O que essa eleição, por exemplo, nos deixa como lição é que o itabaianense fugiu do ciclo onde somente dois agrupamentos políticos dominavam a nossa cidade, e passou a ter como peso decisivo para o voto o trabalho, e não mais a paixão política. Pela primeira vez, alguém obteve sucesso ao ter uma terceira candidatura em meio aos tradicionais políticos itabaianenses.

JLPolítica - O que o senhor diria, então, aos que pensam que seu compromisso seria ou será apenas com os 28.853 eleitores seus?

Adailton Sousa - O compromisso que temos com os 28.853 eleitores é de não decepcioná-los. Iremos governar ouvindo sempre eles, afinal eles é que definiram a vitória de um projeto vencedor, que está dando certo e que merece ser continuado. Mas ouvir e estar ao lado dos nossos eleitores não significa excluir o restante da cidade, da população. Uma característica minha é jamais ter, em toda a minha vida, ofendido um adversário apenas por ele ser meu adversário. Nesta campanha mesmo desafio alguém mostrar alguma fala, algum vídeo, em que ataco nossos adversários. Ao contrário do que eles fizeram contra mim. Mas não guardo mágoa e não me prenderei a nada disso. Assim, são 28.853 eleitores que ouvirei a todo tempo. E são mais de 100 mil itabaianenses para os quais governarei a cada segundo do meu mandato. 

Com Valmir de Francisquinho, uma dupla construída sob muita sintonia
DOS BASIDTORES AO CENTRO DA CENA
“Saí dos bastidores, onde permaneci por muito tempo, para ser o prefeito de Itabaiana. Mas entendo que a principal característica do homem público é a de servir ao povo. E isso se faz nos bastidores ou na linha de frente, sem distinção”


JLPolítica - Qual a diferença entre ter sido um político na passiva, sempre apoiando gente em disputas eleitorais, para ser um da ativa, da linha de frente, como candidato?

Adailton Sousa - Na verdade, em 1988, quando meu pai deixou o mandato de vice-prefeito eu era muito jovem e ele me colocou na disputa pelo mandato de vereador em Itabaiana. Não obtive sucesso, fiquei como suplente e por muito tempo achei que não seria candidato mais a nada, apesar de sempre gostar e acompanhar o agrupamento do qual minha família sempre participou. Como os nossos planos não são nossos, são de Deus, abracei a missão que me foi confiada e minha vida hoje está completamente mudada. Saí dos bastidores, onde permaneci por muito tempo, para ser o prefeito de Itabaiana. Mas entendo que a principal característica do homem público é a de servir ao povo. E isso se faz nos bastidores ou na linha de frente, sem distinção.

JLPolítica - A campanha lhe ensinou alguma coisa que o senhor não soubesse de Itabaiana e dos itabaianenses?

Adailton Sousa - Eu diria que a campanha me ensinou a amar ainda mais Itabaiana e a fazer crescer em mim a vontade de realizar mais por nossa gente. Estou nesta cidade desde os meus primeiros meses de vida, nasci em Salvador por conta do emprego do meu pai na época, mas logo nos primeiros meses vim pra cá, onde cresci, construí minha família e irei permanecer. A campanha só fortaleceu a imagem que sempre tive de um povo acolhedor e trabalhador. Para que você tenha uma ideia, Itabaiana é uma cidade que não dorme. Não para. Se você for na madrugada na região da nossa feira livre, as pessoas estão ali, negociando, comercializando. É essa força que vi de forma mais intensa na campanha e que norteará todas as ações que empreenderei em minha gestão.

JLPolítica - Entre Edson Passos e Carminha Mendonça, quem mais exagerou a mão durante os embates dessa campanha?

Adailton Sousa - Ambos, ao não admitirem a ideia de ver Adailton como prefeito. Edson, apesar de ser um empresário em declínio, tinha aquela certa vaidade de achar que não perderia a eleição para Adailton, sentimento alimentado por seu líder político. Já Carminha, que sempre me olhou de cima para baixo, nunca imaginou me ver prefeito do município - e isso é fala dita por ela durante entrevista após a eleição. Por parte de ambos, enfrentei o preconceito de que “o pobre não tem condições de chegar até lá”. Mas a resposta do povo veio. 

Ao lado do deputado Talysson de Valmir, Adailton participa da eleição da Presidência da Câmara. Deu Marcos Oliveira
GARANTIA DA CONTIUIDAD DO MODO VALMIR
“O povo entendeu que votar em Adailton era continuar com as obras e as ações de Valmir. E assim será. Além disso, Valmir é uma pessoa de rara sensibilidade política. Por isso, quando da escolha de meu nome, coube a palavra final, após muitas conversas, a ele próprio”


JLPolítica - Em algum momento antes da campanha o senhor chegou a pensar que os itabaianenses lhe faltassem?

Adailton Sousa - Eu tinha a noção do desafio que seria enfrentar os dois grupos, assim como tinha a certeza de que o povo de Itabaiana não faltaria. Mas isso não por mim e sim por Valmir de Francisquinho, líder do projeto que minha candidatura encabeçou. A minha candidatura foi um pedido popular do agrupamento, mas o povo, desde o início, recebeu muito bem o nosso nome. 

JLPolítica - Na sua leitura pessoal, porque coube ao senhor encarnar o projeto de continuidade de Valmir de Francisquinho?

Adailton Sousa - Fui o primeiro secretário a ser convidado por Valmir a fazer parte da sua administração já depois da eleição dele lá em 2012. Ao seu lado, montei a equipe de secretários que fazem uma gestão que é referência em todo o país. O povo entendeu que votar em Adailton era continuar com as obras e as ações de Valmir. E assim será. Além disso, Valmir é uma pessoa de rara sensibilidade política. Por isso, quando da escolha de meu nome, coube a palavra final, após muitas conversas, a ele próprio. Alguém que sempre disputou eleições e as venceu com votações sempre maiores, é uma referência. Essa capacidade de Valmir se traduziu na escolha de meu nome. E o resultado está aqui.

JLPolítica - Qual é o real limite de confiabilidade entre o senhor e Valmir de Francisquinho?

Adailton Sousa - É de 1000%. Nos anos 90, quando Valmir era vereador, administrei por alguns anos a Auto Escola Itabaiana, de sua propriedade. A confiança de irmãos que foram criados praticamente juntos, no convívio da casa do líder político Chico de Miguel, não nasceu de uma hora pra outra. Serei leal ao prefeito Valmir de Francisquinho e ao seu projeto político, que é sem dúvidas o melhor para o povo de Itabaiana. Assim como tenho certeza de que Valmir estará ao meu lado, contribuindo de forma sempre positiva para que nossa gestão siga o rumo das conquistas e do desenvolvimento que o povo itabaianense merece.

À direita, Adailton Sousa, a irmã Adalgiza, falecida, e o irmão Edmilson Sousa: escaladas nos sacramentos da fé
VALMIR NÃO DEVE FICAR NO ESTALEIRO DE 2022
“Valmir é povo, não tem como ele ficar de fora das eleições de 2022 e recusar o chamado do povo para qualquer cargo que seja. Sem dúvida nenhuma, terá em mim seu principal cabo eleitoral. Inclusive, se for o caso, a depender da conjuntura política, Valmir está preparado até para ser governador. Mas, como ele mesmo faz questão de dizer, esses caminhos futuros a Deus pertencem”


JLPolítica - Pelo seu desejo pessoal, que espaço teria ou terá Valmir de Francisquinho em sua estrutura governamental nesses próximos dois ou quatro anos?

Adailton Sousa - Eu vejo Valmir de Francisquinho hoje como um líder que tem que buscar voos maiores. Mas por diversas vezes, discutimos a sua participação como secretário municipal. Anunciarei todo o meu secretariado no decorrer desta semana e poderemos ver Valmir de Francisquinho como secretário municipal. Independentemente de assumir algum cargo, Valmir sempre será um bom conselheiro, exercendo seu papel de líder. 

JLPolítica - O senhor acha que Valmir deve ficar no estaleiro eleitoral em 2022 ou ir pra cima, em busca de espaços na política estadual de Sergipe?

Adailton Sousa - Valmir é povo, não tem como ele ficar de fora das eleições de 2022 e recusar o chamado do povo para qualquer cargo que seja. Sem dúvida nenhuma, ele terá em mim o seu principal cabo eleitoral para qualquer cargo que ele decida buscar, assim como ele foi o principal responsável, ao lado do povo, por minha condução à Prefeitura de Itabaiana. Entendo que um administrador com a capacidade que Valmir possui, que pegou uma prefeitura quebrada, atolada em dívidas, com salários atrasados, dezenas de obras não apenas paralisadas mas abandonadas, não pode ser preterido na hora das discussões de candidaturas para 2022. Podem até dizer que eu estou sendo precipitado, mas o que vou lhe dizer agora, Jozailto, não é a opinião do prefeito de Itabaiana ou do político Adailton, é uma visão pessoal minha, baseada no que vi e vivi ao longo desses últimos oito anos em relação ao trabalho de Valmir de Francisquinho: ele está preparado para desafios maiores, sem dúvida. Inclusive, se for o caso, a depender da conjuntura política, Valmir está preparado até para ser governador. Mas, como ele mesmo faz questão de dizer, esses caminhos futuros a Deus pertencem.

 JLPolítica - Quem mais vai servir a Itabaiana entre a sua formação acadêmica e a formação prática em diversos Governos da cidade?

Adailton Sousa - A formação acadêmica é necessária, nos dá uma outra visão do que é administrar. Mas a minha formação prática, sem dúvida, irá me auxiliar muito. Trabalhar ao lado de Valmir durante oito anos de gestão foi um aprendizado sem tamanho. Os meus opositores às vezes me criticam por meu discurso de continuidade, mas não tem como deixar passar em branco a revolução administrativa que aconteceu em Itabaiana. Claro que carrego comigo experiências anteriores e delas extrairei o melhor. Mas é preciso deixar claro uma coisa: quem conheceu Itabaiana antes e quem vê Itabaiana agora, sabe que a transformação administrativa pela qual a cidade passou precisa e deve continuar. Então, a prática diária dos últimos anos será também a tônica dos próximos quatro anos.

Adailton Sousa e Valmir de Francisquinho: uma pareceria sob a luz da confiabilidade mútua
O IMPULSIONAMENTO PENSANDO PRA ITABAIANA
“Como estou recebendo uma cidade economicamente saudável, com obras em andamento, recursos em caixa, tenho certeza que conseguiremos implantar a modernização que Itabaiana merece. Encontramos, em janeiro de 2013, uma cidade no caos. Nos últimos oito anos “tiramos o atraso” existente”


JLPolítica - Qual é a real tradução da vontade de preparar Itabaiana para o futuro?

Adailton Sousa - Como estou recebendo uma cidade economicamente saudável, com obras em andamento, recursos em caixa, tenho certeza que conseguiremos implantar a modernização que Itabaiana merece. Encontramos, em janeiro de 2013, uma cidade no caos. Itabaiana tinha poucas praças apenas mal cuidadas, lixo nas ruas, bairros afastados do centro sem calçamento e nem rede de esgoto. Nos últimos oito anos “tiramos o atraso” existente. Valmir de Francisquinho fez o dever de casa que diversos outros gestores não fizeram, pois não projetaram o crescimento do nosso município. O meu papel, nesses quatro anos, será finalizar este trabalho e preparar a cidade para o futuro. Itabaiana cresce sem parar com um Plano Diretor de mais de 15 anos. Precisamos reformá-lo e dar um norte de cidade grande ao futuro do nosso município. Além disso, uma cidade com o porte da nosso precisa se conectar, precisa de tecnologia de ponta em todas as frentes, precisa de sustentabilidade, investimentos em energia renovável, de uma modernização administrativa efetiva.

JLPolítica - Em que direção aponta o plano de ampliar o Distrito Industrial de Itabaiana? Isso depende apenasmente do poderio do município ou transcende?

Adailton Sousa - O Distrito Industrial de Itabaiana não foi uma obra do município e sim do Governo do Estado. Ele tem uma importância imensa para nossa cidade e, urgentemente, tem que ser ampliado. O município vai passar a participar mais daquele contexto e vou buscar a ampliação, atraindo novas indústrias, incentivando a formação de novas e ampliando o nosso distrito. Temos certeza do bom diálogo que travaremos com o governador Belivaldo Chagas e que as desavenças políticas locais não serão obstáculo, ao menos de minha parte. Conversando diretamente com o Estado, através Secretaria de Desenvolvimento Econômico e da Codise, que é quem administra os distritos industriais sergipanos, tenho certeza de que encontraremos os caminhos para que a planta industrial itabaianense se amplie e garanta mais emprego e renda para o nosso povo.

JLPolítica - Qual tem sido o atual papel do Sesc, Sebrae, Sesi, Senai, Senac, CDL e Associação Comercial na formação de jovens e adultos itabaianenses para o emprego, e como o Governo do senhor vai agir nessas parcerias?

Adailton Sousa - São parceiros. Muitos deles estão sem atuar por causa da pandemia, mas temos uma relação excelente com todos. A juventude itabaianense, que recorre a estas instituições em busca da capacitação para um primeiro emprego, terá em Adailton um prefeito parceiro. E todas essas instituições terão as portas de nosso gabinete sempre abertas. Até porque nós, enquanto Prefeitura, também necessitaremos delas, de forma a trabalhar conjuntamente para garantir os bons frutos na necessária retomada da economia que precisa vir em 2021.

Adailton Sousa conhece todos os caminhos de Itabaiana e aprendeu bem mais sobre seu povo na campanha
SECRETARIAS QUE MERCERÃO MAIS ATENÇÃO
“Obras, que cuida da estrutura da cidade. Educação, que é a que prepara os pequenos itabaianenses para o futuro, e Saúde e Ação Social, responsáveis pelo bem-estar dos nossos cidadãos. Saúde é uma área sempre importante, mas que, em 2020, passou a ser ainda mais impactante na vida de todos. Serão as principais áreas para as quais terei a minha atenção voltada”


JLPolítica - Algum Governo pode prosperar em Itabaiana se não visualizar e fomentar o agronegócio familiar? O que o seu Governo sinaliza para esse setor?

Adailton Sousa - A agricultura é o que faz Itabaiana crescer. Eu brinco sempre dizendo que Itabaiana é um dos poucos lugares que jamais precisará de reforma agrária. Aqui não existem grandes fazendas, não existem donos de grande parte das terras. Não existem latifundiários. Os pequenos agricultores, que possuem suas pequenas propriedades, é o que fazem a nossa economia girar ainda mais. Pretendo, além de manter estradas de boa qualidade para a produção escoar, incentivar a formação de cooperativas, para que os agricultores passem a ganhar mais de forma coletiva e organizada. 

JLPolítica - Por estar no agreste, pressupõe-se que Itabaiana tenha problemas hídricos e que o senhor possivelmente queira ampliar o Programa Municipal Água Para Todos. O que é esse Programa é de que modo o senhor interviria nele?

Adailton Sousa - Esse programa nasceu de uma vontade do prefeito Valmir de Francisquinho de levar água encanada gratuita para pequenas comunidades. Como vereador, ele identificava essa necessidade, pois eram inúmeros os pedidos dos povoados para que a água encanada chegasse. Como bom itabaianense, o prefeito não quis deixar a população esperando pela Deso. Passou a perfurar poços artesianos, fazer análise da água, construir caixas elevadas e a distribuir a água para as residências. Parece uma obra simples, mas as pessoas se emocionam ao ver, pela primeira vez, a água encanada em suas casas. Só sabe o que é isso o morador da zona rural que por diversas vezes cruza quilômetros para encher baldes e tonéis de água para o uso doméstico. 

JLPolítica - Com 75 povoados, Itabaiana deve ter uma longa e espraiada malha de estradas vicinais. Em que pé está essa malha e o que aponta o seu planejamento para ela nos próximos anos?

Adailton Sousa - Pegamos o município em 2012 com somente uma patrol em funcionamento. Valmir está me entregando com seis máquinas, uma delas não foi nem usada ainda, fruto de uma parceria entre a Codevasf e o deputado Valdevan Noventa. Tem uma outra para chegar, que é fruto de uma parceria com o deputado Bosco Costa. Estradas vicinais já não são mais um problema. Constantemente estamos consertando, passando a máquina, e o desafio que quero me impor agora é o de levar o asfalto a algumas delas.

Nas horas vagas, Adailton é metido a peladeiro: e promete muito pelo esporte de Itabaiana
CENTRO DE DIAGNÓSTICOS POR IMAGEM, A META
“A nossa Saúde teve um avanço bastante positivo nos últimos anos. A minha principal meta é construir um Centro de Diagnósticos por Imagem, para a realização de diversos exames no município. Precisamos poupar o sofrimento de quem tem alguma enfermidade em ter que ir até Aracaju para realizar exames específicos”


JLPolítica - O que é o Programa A Caminho da Escola e de que forma o senhor pretende atuar governamentalmente nele?

Adailton Sousa - É um programa do Governo Federal que visa renovar e ampliar a frota de veículos para o transporte escolar. O principal problema de Itabaiana no tocante ao transporte escolar é com os universitários que estudam fora do município. A eles, pretendo dar uma maior atenção. 

JLPolítica - Na sua visão, quais as Secretarias municipais que demandam mais observação, intervenção e zelo?

Adailton Sousa - Obras, que cuida da estrutura da nossa cidade. Educação, que é a que prepara os pequenos itabaianenses para o futuro, e Saúde e Ação Social, responsáveis pelo bem-estar dos nossos cidadãos. Saúde é uma área sempre importante, mas que, em 2020, passou a ser ainda mais impactante na vida de todos nós. Essas serão as principais áreas para as quais terei a minha atenção voltada.

JLPolítica - Quais são as maiores demandas de Itabaiana na esfera da Saúde e como o senhor pretende suprir?

Adailton Sousa - A nossa Saúde teve um avanço bastante positivo nos últimos anos. Temos alguns desafios ainda, mas hoje boa parte das unidades básicas estão reformadas. Algumas, como a do Conjunto Gilton Garcia, estão com o projeto pronto para que a construção seja iniciada. A minha principal meta é construir um Centro de Diagnósticos por Imagem, para a realização de diversos exames no município. Precisamos poupar o sofrimento de quem tem alguma enfermidade em ter que ir até Aracaju para realizar exames específicos. Itabaiana, por ser um polo, por estar no centro de Sergipe e por ser sede uma regional de saúde, merece o investimento. E eu já iniciei as tratativas em Brasília nesse sentido.

Em campanha, Adailton Sousa não deixou intocável um só canto de Itabaiana
INTERSETORIALIDADE ENTRE AS SECRETARIAS
“Os secretários jamais podem gerir suas pastas pensando somente em si mesmos. A gestão é de todos. Onde há erros, temos que buscar correções. E onde há acertos, as demais pastas devem tê-los como espelho. Irei aumentar ainda mais a interação entre todas as Secretarias”


JLPolítica - Qual é o perfil do Estádio Municipal de Futebol e Atletismo que o senhor fala em construir?

Adailton Sousa - Na verdade, já temos projeto pronto, com uma parte dos recursos garantidos pelo então senador Eduardo Amorim. O bairro São Cristóvão sempre foi palco para diversas competições de futebol amador. Eu sou um desportista nato, amante do futebol, vou executar com todo prazer esse projeto que é magnífico. Mas, como os tempos pedem cada vez mais diversidade e inclusão, nosso estádio também contemplará o atletismo e outros esportes olímpicos. Nossa juventude será guiada rumo à prática esportiva a partir da maior infraestrutura para essa área em todo o Estado.

JLPolítica - O senhor começou o Governo com todo o seu secretariado definido, ou tem alguma Secretaria em aberto?

Adailton Sousa - Na verdade, em consenso com o ex-prefeito Valmir de Francisquinho, decidi deixar a escolha, convites e anúncios do secretariado para a primeira semana de janeiro e depois da posse, depois da eleição da Mesa Diretora da Câmara. Tive participação direta na escolha do secretariado de Valmir, com a indicação de alguns nomes inclusive e muitos deles irão continuar em nosso Governo. Mas também iremos acolher gente nova em nossa gestão.

JLPolítica - Sob os Governos de Valmir de Francisquinho houve intersetorialidade entre as Secretarias municipais? Com o senhor, como deve ser isso?

Adailton Sousa - Houve sim. Os secretários jamais podem gerir suas pastas pensando somente em si mesmos. A gestão é de todos. Onde há erros, temos que buscar correções. E onde há acertos, as demais pastas devem tê-los como espelho. Irei aumentar ainda mais a interação entre todas as Secretarias, uma vez que essa característica já existiu com Valmir, sendo também uma das responsáveis pelo imenso sucesso das duas gestões dele.

Adailton Sousa: “Eu diria que a campanha me ensinou a amar ainda mais Itabaiana”
RELAÇÃO QUE ESPERA TER COM BELIVALDO CHAGAS
“O governador Belivaldo Chagas tem o seu lado político em Itabaiana, e isso eu respeito bastante. Já conversei com ele depois da campanha e ele foi muito solícito. Espero que os nossos laços se estreitem nesses dois anos de mandato que ele ainda possui para que realizemos muito pelos itabaianenses”


JLPolítica - Contábil e financeiramente, como o senhor recebeu o município?

Adailton Sousa - Recebo um município completamente organizado, sem grandes problemas estruturais e com dinheiro em caixa. Valmir foi o gestor responsável por driblar inúmeras crises durante seus mandatos. Crises nacionais, que respingaram nas finanças, crises políticas, ocasionadas por ex-aliados. Mas nada disso tirou o foco de Valmir em manter a Prefeitura trabalhando o tempo inteiro e devidamente organizada. Recebo a casa arrumada, com um montante de recursos que ultrapassa os R$ 20 milhões em perspectivas para novas obras. Destes, R$ 10 milhões são para recapeamento asfáltico, recursos destinados pelo deputado Bosco Costa para o nosso município. Além disso tudo, temos até reservas para folha de pagamento. Caso alguma crise ou algum imprevisto aconteça, termos como honrar o compromisso com os servidores. Quem conhece a Itabaiana de outros tempos, sabe o quanto isso era inimaginável. 

JLPolítica - O senhor não foi o candidato do governador Belivaldo Chagas. Como prefeito, espera que isso tenha ficado nos arquivos da campanha e na prática das duas gestões vocês se abracem?

Adailton Sousa - O governador Belivaldo Chagas tem o seu lado político em Itabaiana, e isso eu respeito bastante. Já conversei com ele depois da campanha e ele foi muito solícito. Espero que os nossos laços se estreitem nesses dois anos de mandato que ele ainda possui para que realizemos muito pelos itabaianenses. Ele terá em mim um parceiro respeitoso e farei questão de tê-lo em Itabaiana sempre que couber em sua agenda, para que possamos buscar o melhor não só para a cidade, pois quando Itabaiana cresce, Sergipe inteiro ganha.

JLPolítica - Em quem o senhor vai se amparar entre os 11 membros de Sergipe no Congresso Nacional para, como prefeito da quarta maior cidade do Estado, pedir pelos interesses e pelas necessidades de Itabaiana?

Adailton Sousa - Na verdade, já tenho buscado o apoio de todos eles. Afinal, todos os parlamentares que estão eleitos receberam votos dos itabaianenses. Mas temos tido um grande apoio, sempre que procuramos, nos gabinetes do deputado federal Bosco Costa, que foi votado por nosso agrupamento em 2018 e tem destinado boa parte dos seus recursos para nossa cidade, do deputado federal Valdevan Noventa, da senadora Maria do Carmo, que foi uma parceira na campanha e será também em nossa gestão. Todos os demais têm nos recebido, têm se colocado à nossa disposição. Sempre que algum deputado destinar qualquer recurso para Itabaiana, farei questão de sua participação em todos os atos de entrega de obras e serviços gerados por esses recursos.

Vitória e ombros por palanque: “Ouvir e estar ao lado dos nossos eleitores não significa excluir o restante da cidade”
LOGO QUER ASSUMIR O NOME ITABAIANA GRANDE
“Itabaiana Grande, mais feliz, mais forte e mais humana”. Ao que tudo indica, essa é frase que irá compor a logo da minha gestão, porque incorpora todo o sentimento do que pretendo realizar. A palavra “Grande” tem uma relação histórica, pois nosso município já foi de fato chamado assim no passado: “Itabaiana Grande””.


JLPolítica - O senhor já nasceu político, ao vir ao mundo em Salvador, na Bahia, em outubro de 1965, apenas porque seus pais seguiam em amparo, mas também em diáspora, à viúva do ex-deputado Euclides Paes Mendonça, assassinado dois anos antes, em agosto de 63? Ou se fez depois ou nem se acha um político ainda?

Adailton Sousa - Eu sempre fui aquele torcedor ferrenho da minha bandeira partidária - aprendi isso desde cedo em casa com o meu pai. Hoje aprendi a ser técnico e político, duas coisas que muitas vezes não se misturam na política interiorana. O político da casa, na verdade, sempre foi o meu pai, João de Deus. Hoje me espelho nele, que já não está mais entre nós, mas construo também o meu perfil nesta nova era política.

JLPolítica - Para o senhor, qual é a real tradução política da cidade Itabaiana?

Adailton Sousa - Os itabaianenses estão se tornando cada vez mais independentes, não só em termos financeiros, que é como corre longe a nossa fama, mas também em termos político-partidários. Antes de Valmir, vimos as duas principais lideranças do município terem suas administrações reprovadas, não alcançando a reeleição. Com a independência do povo da bandeira partidária, Valmir não só conseguiu se reeleger, como eleger o seu sucessor. Então vejo que os itabaianenses estão cada vez mais rápidos para dar a resposta à quem não trabalha, a quem erra quando chega ao poder. 

JLPolítica - Pela dimensão histórica, geofísica, política, cultural e econômica desta cidade, o seu Governo assumiria uma logomarca que incorporasse a nomenclatura ou o codinome de Itabaiana Grande, como ela já fora chamada no passado?

Adailton Sousa - Estamos avaliando junto a nossa equipe de comunicação, mas, ao que tudo indica, essa é a frase que irá compor a logo da minha gestão, porque incorpora todo o sentimento do que pretendo realizar por este município. “Itabaiana Grande, mais feliz, mais forte e mais humana”. A palavra “Grande” tem uma relação histórica, pois nosso município já foi de fato chamado assim no passado: “Itabaiana Grande”. O complemento do slogan, “mais feliz, mais forte e mais humana”, representa a continuidade e a ampliação do trabalho que foi realizado nos últimos oito anos, o que é uma meta e são compromissos que foram firmados por mim em campanha.

 

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.