Entrevista

Jozailto Lima

Compartilhar

Gustinho Ribeiro: “O Solidariedade se saiu muito bem nesta última eleição”

26 de dezembro de 2020
“Hilda Ribeiro simboliza eficiência, honestidade, transparência e bom tratamento humano aos cidadãos”

Que ninguém se descuide politicamente de Gustinho Ribeiro, Solidariedade, ou o subestime, na cena estadual sergipana.

De vereador de Lagarto a deputado federal, Gustinho, prestes a fazer 39 anos, já papou em 12 anos quatro eleições pessoais - a de vereador em 2008, duas deputado estadual - em 2010 e em 2014 – e uma de federal, a de 2018, cujo mandato encontra-se exercendo.

E sempre num crescente eleitoral - foi de 2.147 votos, passando por  15.654, 34.863 a 64.123 mil. Esta última votação, a de deputado federal em 2018. Ao todo, ele já foi credor de 116.787 votantes sergipanos.

Nisso não estão inclusos os 28.041 votos da esposa Hilda Ribeiro,  também Solidariedade, para se reeleger como prefeita de Lagarto nas eleições deste ano, cujas articulações de todo o processo passaram muito pelo habilidade dele.

Portanto, está mais do que claro e patente que Gustinho Ribeiro tem fôlego e ventas largas nesse universo. Fôlego que lhe garantiu a eleição de 12 prefeitos aliados, dois prefeitos e cinco vice-prefeitos do Solidariedade. Fôlego que lhe rendeu a vice-liderança do Governo de Jair Bolsonaro na Câmara Federal com apenas um ano de mandato.

Com menos de dois anos de Câmara Federal, Gustinho se fez vice-líder do Governo Federal
Apesar de tudo, Gustinho Ribeiro aposta no Governo de Jair Bolsonaro

A partir dessas simbologias todas, Gustinho diz que o Solidariedade quer estar duplamente presente na cena eleitoral de Sergipe em 2020: na majoritária e na proporcional.

“Avalio de forma positiva o trabalho que foi desenvolvido pelo nosso partido em Sergipe e, desta forma, consolidamos a sigla para as eleições de 2022”, avisa ele. E delimita o território de Lagarto, onde, para além da sua reeleição de federal, vai tentar representação do seu grupo na Alese.

“Com certeza, nosso grupo em Lagarto terá um nome para uma vaga na Assembleia Legislativa. É natural e histórico que os grupos que atuam no município apresentem nomes para a Assembleia e há décadas - acredito que desde o final da década de 50 -, Lagarto sempre ocupou cadeiras na Alese. Chegando em alguns momentos a ter três deputados estaduais. Adianto que temos bons nomes para representar Lagarto e o povo de Sergipe na Alese pelo nosso bloco”, observa.

Nesta Entrevista, Gustinho Ribeiro fala do papel do seu mandato na articulação de recursos federais para Sergipe, debate a eleição da Presidência da Câmara Federal - “Não vejo problema na reeleição de presidentes da Câmara e nem do Senado” -, prevê dificuldade para a reeleição de Fábio Reis à Câmara Federal e situa as razões que levaram o empresário José Augusto Vieira, mantenedor do Grupo Maratá, a optar pela reeleição de Hilda Ribeiro neste ano.

O lagartense Luiz Augusto Carvalho Ribeiro Filho, Gustinho Ribeiro, nasceu em Aracaju no dia 16 de fevereiro de 1982. É filho de Luiz Augusto Carvalho Ribeiro e de Josefa Áurea de Souza Ribeiro. É neto do ex-deputado e ex-prefeito de Lagarto Rosendo Ribeiro.

Casado com a odontóloga e prefeita de Lagarto, Hilda Ribeiro, com quem tem dois filhos - Helena Rollemberg Ribeiro, de oito anos, e Luiz Augusto Carvalho Ribeiro Neto, de quatro. Gustinho tem nível superior em Gestão Pública. A Entrevista com ele merece a sua leitura.

Antes de ser deputado federal, Gustinho passou por dois mandatos de estadual. Somando com um de vereador, já foi alvo de 116.787 votos dos sergipanos
SOLIDARIEDADE E A ELEIÇÃO DA MESA DIRETORA DA CÂMARA
“Tenho acompanhado de perto junto ao Solidariedade e ao presidente nacional do partido a formação dos blocos para a eleição da Mesa Diretora da Câmara. Tenho conversado também com nossa bancada, que é composta por 14 federais. Nosso partido não terá candidato próprio e está participando do bloco que dará apoio à candidatura do deputado Arthur Lira”


JLPolítica - Como o senhor avalia o desempenho do seu partido nas últimas eleições?

Gustinho Ribeiro - O Solidariedade se saiu muito bem nesta última eleição. Elegemos diversos vereadores no interior do Estado, um na capital, e alcançamos uma vitória muito importante na maior cidade do interior do Estado, que é Lagarto. Portanto, avalio de forma positiva o trabalho que foi desenvolvido pelo nosso partido em Sergipe e, desta forma, consolidamos a sigla para as eleições de 2022. 

JLPolítica - A que o senhor atribui a vitória da prefeita Hilda Ribeiro em reeleição em Lagarto? 

Gustinho Ribeiro - Atribuo ao fato de a população compreender que as lideranças antigas, que já governaram Lagarto por muitos anos, chegaram numa fase que ela não aprova mais a forma como administraram. A vitória de Hilda, portanto, consolida um novo ciclo político em Lagarto.

JLPolítica - Sim, mas o que simboliza especificamente a vitória de Hilda para o futuro da cidade? 

Gustinho Ribeiro - Hilda simboliza aquilo que a população deseja da gestão pública: resultado, eficiência, honestidade, transparência e, acima de tudo, um bom tratamento humano em relação aos cidadãos. Hilda simboliza atenção, carinho e cuidado com a cidade. Tudo isso foram pontos positivos para a vitória dela na última eleição. Além disso, contaram a nosso favor a desarticulação e a desorganização das oposições em Lagarto. Um grupo que passou um ano e meio com um candidato e, após a convenção, mudou de representante, que foi o dos Reis.

Evento com o presidente Bolsonaro na esfera da Vice-Liderança do Governo
DO PESO DAS PRESIDÊNCIAS DA CÂMARA E DO SENADO
“As Casas Legislativas pautam a agenda do Brasil. A escolha dos seus presidentes é algo fundamental. Precisamos ter nomes e pessoas que, de forma equilibrada, possam garantir que as pautas sejam discutidas e aprovadas e tenham uma boa relação com os demais Poderes. A busca pela democracia também é primordial”


JLPolítica - Isso causou o quê? 

Gustinho Ribeiro - Isso gerou uma insegurança muito grande nos eleitores e demonstrou a forma ruim como essas pessoas tratam a política e a cidade. Do outro lado, um grupo que teve a oportunidade de governar o município, que foi na última eleição de 2016 uma esperança para a população que estava cansada da gestão do Grupo Saramandaia e entregou a prefeitura ao ex-prefeito Valmir, que saiu da prefeitura daquela forma.

JLPolítica - Mas o desfecho do então prefeito Valmir Monteiro inferiu de um algum modo na eleição de Hilda? 

Gustinho Ribeiro - Sim. A população ficou decepcionada com tudo o que aconteceu com o ex-prefeito Valmir e apostou na continuidade do trabalho que a prefeita Hilda Ribeiro vinha fazendo. Nosso mandato tem dado um apoio grande na captação de recursos, buscando novos e grandes investimentos para o município de Lagarto, como é o caso do Hospital de Amor, uma iniciativa nossa lá no Congresso Nacional para que esse hospital fosse instalado em Lagarto e contou com todo o apoio da Prefeitura.

JLPolítica - Isso positivou a imagem de Hilda? 

Gustinho Ribeiro - Tudo isso ajudou a consolidar a vitória de Hilda. Além da atuação enérgica, competente e firme, ao mesmo tempo humana, dela própria durante a pandemia, com várias ações na área social, a exemplo da distribuição de alimentos para as famílias carentes, kit de higiene para o combate à Covid-19, com álcool em gel, máscara, sabonete líquido para pessoas carentes. Ela ampliou o Renda Cidadã, um programa municipal que distribui R$ 110 para as famílias mais vulneráveis e, durante a pandemia, Hilda incluiu profissionais autônomos. Também tiveram as ações na área da Saúde. A saúde pública de Lagarto é uma das melhores do Estado de Sergipe, e tudo isso fez com que Hilda tivesse uma expressiva vitória na eleição, chegando a quase 30 mil votos contra pouco mais de 22 mil do segundo colocado, que foi o deputado federal Fábio Reis.

Gustinho é casado com a prefeita Hilda Ribeiro, com quem é pai de Helena Rollemberg Ribeiro, de oito anos, e Luiz Augusto Carvalho Ribeiro Neto, de quatro
NOVO CICLO LAGARTENSE QUE SE INICIA COM HILDA
“A vitória de Hilda, portanto, consolida um novo ciclo político em Lagarto. Atribuo ao fato de a população compreender que as lideranças antigas, que já governaram Lagarto por muitos anos, chegaram numa fase que ela não aprova mais a forma como administraram”
 


JLPolítica - Para senhor, quais foram as reais razões para que o empresário José Augusto Vieira tivesse optado pela candidatura de Hilda Ribeiro e deixado de lado a de Fábio Reis, um sobrinho emprestado?  

Gustinho Ribeiro - José Augusto Vieira, como um grande empreendedor e homem de visão, percebeu esse caminho de desenvolvimento que Lagarto tomou desde que Hilda assumiu a Prefeitura, com ações e obras por todos os cantos, investimentos privados chegando ao município, investimentos públicos com grandes obras, a economia da cidade super aquecida, salários dos servidores sendo pagos antecipadamente e tudo isso gerou um resultado positivo para o município. E apostando na continuidade, na sequência desse desenvolvimento, como um empresário apaixonado por sua cidade, José Augusto confiou na manutenção da atual administração e que ela seja feita por mais quatro anos. Além disso, o empresário já deixou claro em entrevistas que não é interessante para o município e para a região deixar de ter mais um representante na Câmara dos Deputados. 

JLPolítica - Mas é possível medir qual foi o peso de José Augusto Vieira na decisão da eleição do seu grupo?

Gustinho Ribeiro - Diria que o apoio dele foi fundamental. Além de ele ser um dos maiores geradores de empregos do Nordeste, sendo que a maioria é de lagartenses, tem uma excelente imagem junto aos colaboradores e inspira e serve de exemplo para milhares de pessoas no município de Lagarto. Então foi, com certeza, um apoio que gerou um impacto muito positivo na campanha da prefeita Hilda. O apoio do empresário José Augusto Vieira foi mais uma confirmação de que o projeto da prefeita Hilda tinha credibilidade, vinha fazendo a diferença e, portanto, tinha que continuar.

JLPolítica - O senhor acha que perder a eleição municipal pode ter que implicação sobre a reeleição de Fábio Reis à Câmara Federal em 2022?

Gustinho Ribeiro - A derrota do grupo de Fábio Reis nas últimas eleições com certeza impactará nas próximas. Lógico que cada eleição tem sua particularidade, mas eles apostaram todas as fichas nesta campanha municipal, tinham convicção e acreditavam que poderiam vencer. Foi um baque muito grande nas pretensões políticas do grupo de Fábio Reis. Eu já havia feito essa leitura há bastante tempo, inclusive aqui no JLPolítica, onde eu previa a limitação do grupo de Fábio Reis em Lagarto, já que eles não conseguem romper o universo dos eleitores mais tradicionais.

JLPolítica - A derrota deles diz o que mais especificamente?

Gustinho Ribeiro - A derrota deles foi uma demonstração de que a população cansou da velha política praticada por eles e está apostando numa nova forma de fazer política. E essa nova forma teve a oportunidade de mostrar sua maneira de trabalhar e o trabalho vem surtindo efeitos positivos para o município. A população aprovou e deu a vitória para a prefeita Hilda. Mas, com certeza, uma derrota tão significativa deverá causar alguns danos para projetos futuros dele.

Gustinho e Hilda, no dia 15 novembro: sob a bandeira de Lagarto, comemoram a vitória da eleição dela
RAZÕES QUE MOVERAM O APAIO DE ZÉ AUGUSTO
“José Augusto Vieira, como um grande empreendedor e homem de visão, percebeu o caminho de desenvolvimento que Lagarto tomou desde que Hilda assumiu a Prefeitura. E apostando na continuidade, na sequência desse desenvolvimento, como um empresário apaixonado por sua cidade, José Augusto confiou na manutenção da atual administração por mais quatro anos”
 


JLPolítica - Quais os planos do seu partido e do seu bloco para 2022?

Gustinho Ribeiro - Ainda é muito cedo para discutir 2022, mas o que o partido tem no seu planejamento é manter a representação na Câmera Federal, visto que Sergipe tem hoje um deputado que é vice-líder do Governo, com bastante acesso a ministérios, trazendo diversos recursos para nosso Estado. Queremos levar representantes também para a Assembleia Legislativa e que o partido se consolide como uma das maiores forças políticas do Estado.

JLPolítica - O senhor vê o Solidariedade inserido no contexto da sucessão estadual de 2022?

Gustinho Ribeiro - É natural que um partido que ganhou a projeção e está ocupando os espaços que o Solidariedade ocupou queira participar das discussões para a chapa majoritária na próxima eleição do Estado. Há essa definição no planejamento estratégico para 2022 e o partido irá trabalhar para ocupar espaços que ainda não foram ocupados, como cadeiras na Alese e, sim, vagas nas chapas majoritárias. Iremos construir essa perspectiva através de muito diálogo com todas as forças políticas que estão inseridas nessa conjuntura no nosso Estado. 

JLPolítica - Procedem as informações de que o senhor estaria desde já trabalhando a pré-candidatura de sua mãe, Áurea Ribeiro, a deputada estadual em 2022?

Gustinho Ribeiro - É muito cedo para a gente definir nomes para esta disputa. Mas, com certeza, nosso grupo em Lagarto terá um nome para uma vaga na Assembleia Legislativa. É natural e histórico que os grupos que atuam no município apresentem nomes para a Assembleia Legislativa e há décadas - acredito que desde o final da década de 50 -, Lagarto sempre ocupou cadeiras na Alese. Chegando em alguns momentos a ter três deputados estaduais. Então, com certeza, o nosso grupo apresentará um nome para o mandato de deputado estadual. Mas, ainda não definimos quem, porque está muito cedo para isso. Adianto que temos bons nomes para representar Lagarto e o povo de Sergipe na Alese pelo nosso bloco.

Com Hilda Ribeiro e Henrique Parta, Gustinho em tratativas sobre a vinda do Hospital de Amor para Lagarto: ele considera isso um grande tento do seu mandato
O QUE REVELA A DERROTA DOS REIS?
“A derrota deles foi uma demonstração de que a população cansou da velha política praticada por eles e está apostando numa nova forma de se fazer política. E essa nova forma teve a oportunidade de mostrar sua maneira de trabalhar e o trabalho vem surtindo efeitos positivos para o município. A população aprovou e deu a vitória para a prefeita Hilda”


JLPolítica - O senhor tem acompanhado ativamente o processo eleitoral na Câmara? O seu partido terá candidato à Presidência ou apoiará algum?

Gustinho Ribeiro - Tenho acompanhado de perto junto ao Solidariedade e ao presidente nacional do partido as discussões e a formação dos blocos partidários para a eleição da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados. Tenho conversado também com nossa bancada, que é composta por 14 deputados federais. E temos acompanhado toda essa movimentação de perto. O nosso partido não terá candidato próprio e, neste momento, está participando do bloco que dará apoio à candidatura do deputado Arthur Lira, de Alagoas, à Presidência da Câmara dos Deputados. 

JLPolítica - Como o senhor vê o processo? Tem sido legítimo?

Gustinho Ribeiro - Sim, o processo tem sido legítimo. Como sempre, é natural que os deputados e partidos que desejam comandar a Mesa Diretora formem seus blocos. Além de legítimo, faz parte da dinâmica do parlamento. Não há nada de diferente nessas movimentações de parlamentares que articulam e constroem seus blocos. É movimentação natural e peculiar do parlamento.

JLPolítica - O deputado Arthur Lira agrega?

Gustinho Ribeiro - Como eu tenho acompanhado, o nome do deputado Arthur Lira foi lançado e reúne forças políticas do centro, da direita, da centro-direita, da esquerda, da centro-esquerda, bem como o bloco liderado pelo atual presidente Rodrigo Maia, que ainda não definiu seu candidato. Enfim, é um processo que retrata muito a movimentação interna da Câmara dos Deputados.

JLPolítica - Por que esse processo de escolha da nova Presidência da Câmara é tão importante? 

Gustinho Ribeiro - Essa é uma eleição interna, mas muito importante para o país. As Casas Legislativas pautam a agenda do Brasil. A escolha dos seus presidentes é algo fundamental. Precisamos ter nomes e pessoas que, de forma equilibrada, possam garantir que as pautas sejam discutidas e aprovadas e tenham uma boa relação com os demais Poderes. A busca pela democracia também é primordial e que essa sintonia institucional possa garantir um ambiente favorável para as reformas que são necessárias para nosso país. Essa eleição é importante porque o Congresso discute pautas também importantes para o avanço do país. É natural que a população acompanhe a eleição tanto da Câmara dos Deputados quanto do Senado Federal. 

Gustinho Ribeiro adaptou-se fácil e rapidamente às rotinas da Câmara Federal
DE ÁUREA RIBEIRO DEPUTADA ESTADUAL EM 2022
“É muito cedo para a gente definir nomes para esta disputa. Mas, com certeza, nosso grupo em Lagarto terá um nome para uma vaga na Assembleia Legislativa. Adianto que temos bons nomes para representar Lagarto e o povo de Sergipe na Alese pelo nosso bloco”


JLPolítica - Mas o senhor subscreve a tese de Roberto Jeferson, de que não se deve permitir reeleição nas Presidências da Câmara Federal e do Senado?

Gustinho Ribeiro - Não. Discordo dessa tese. Não vejo problema na reeleição de presidentes da Câmara e nem do Senado. Até porque acredito que um parlamentar que está presidente de uma dessas Casas só consegue a reeleição se estiver fazendo um bom trabalho que fortaleça o Legislativo e lhe dê credibilidade. 

JLPolítica - O senhor chegou a esperar ser candidato a vice-prefeito em Aracaju? Se sim, o que impediu?

Gustinho Ribeiro - Para mim seria uma honra estar ao lado do prefeito Edvaldo Nogueira em uma chapa liderada por ele. Mas, em nenhum momento eu pleiteei ser candidato a vice-prefeito de Edvaldo Nogueira. 

JLPolítica - Como um dos 11 membros da bancada federal de Sergipe no Congresso Nacional, qual é o conceito que o senhor tem da representação sergipana no Senado? Está à altura das necessidades do Estado ou precisa melhorar?

Gustinho Ribeiro - Não vou questionar ou fazer qualquer tipo de crítica à atuação dos senadores pelo Estado de Sergipe. Mas direi que o Senado é um espaço muito estratégico para qualquer Estado, em especial para o nosso. Estar senador é uma oportunidade de você manter uma atividade bem intensa, bem dinâmica, trabalhando praticamente 24 horas por dia em defesa dos interesse de Sergipe. É um espaço importante e que deve ser bem aproveitado, deixando de lado as brigas e disputas ideológicas e pensando em captação de recursos para o Estado, investimentos estratégicos que podem mudar a realidade de Sergipe do ponto de vista econômico e estrutural, e também o dia a dia das pessoas. Acredito que é um ambiente importante e estratégico para uma atuação parlamentar bem intensa e dinâmica. 

Pelos cálculos dele, Gustinho acha que já conseguiu mandar R$ 250 milhões de recursos federais para investimentos em Sergipe
EFEITOS DA ATUÇÃO DIFERENTE DO MANDATO
“A atuação diferenciada do nosso mandato acaba, de certa forma, ajudando os diversos municípios sergipanos. Um dos maiores destaques da nossa atuação foi o fato de conseguirmos a vinda do Hospital de Amor para Sergipe, uma obra que não é só de Lagarto, e que vai impactar positivamente todo o Sergipe”


JLPolítica - Quem quiser se sagrar senador por Sergipe em 2022 tem de apresentar que projeto de alinhamento político com os interesses do Estado?

Gustinho Ribeiro - Acredito que quem for disputar a vaga para o Senado deve apresentar um projeto de alinhamento com o desenvolvimento do nosso Estado, demonstrando capacidade de articulação, força para trabalhar intensamente por Sergipe e, principalmente, revelando que a maior bandeira tem que ser a do Estado e não as ideológicas de partido A, de partido B ou de partido C. Acredito que quem apresentar uma proposta moderna, nova, dinâmica, ativa e livre das amarras ideológicas conseguirá fazer uma boa campanha. Apesar de que, está muito cedo e distante de 2022, mas essa é uma leitura preliminar que faço sobre este tema. 

JLPolítica - Qual o balanço que o senhor faz desse ano no que diz respeito ao seu mandato?

Gustinho Ribeiro - Como todos sabem, 2020 foi um ano atípico, mas foi justamente na adversidade que nós conseguimos trazer mais resultados para Sergipe. Vale ressaltar a representatividade do nosso mandato em Brasília, chegando, inclusive, a ser indicado pelo presidente da República vice-líder do Governo.

JLPolítica - Isso reflete o quê?

Gustinho Ribeiro - Isso garante uma atuação diferenciada do nosso mandato que acaba, de certa forma, ajudando os diversos municípios sergipanos. Um dos maiores destaques da nossa atuação foi o fato de conseguirmos a vinda do Hospital de Amor para Sergipe, uma obra que não é só de Lagarto e que vai impactar positivamente todo o Sergipe. Também viabilizamos mais de R$ 250 milhões em investimentos para o Estado de Sergipe em 2020. Fui relator de uma matéria na Câmara dos Deputados que foi aprovada por unanimidade, o PLP-09, que trata de uma ajuda para os pequenos e microempresários do Brasil inteiro que sofreram muito na pandemia.

JLPolítica - De que trata esse projeto?

Gustinho Ribeiro - Esse projeto garante facilidade para a quitação de dívidas com a União. Ainda no Congresso lutamos pela aprovação do Fundeb, para a liberação de recursos para compra da vacina contra o coronavírus, entre tantas outras ações. Só através do Dnocs, conseguimos cerca de R$ 15 milhões para obras de pavimentação asfáltica, sistema simplificado de abastecimento de água - poços artesianos - e distribuição de equipamentos para os municípios. Ou seja, temos muito trabalho a mostrar, muita coisa foi feita neste ano. E vamos seguir nesse ritmo forte de atuação enquanto parlamentar federal em benefício dos sergipanos.

 

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.