Entrevista

Jozailto Lima

Compartilhar

Janier Mota,deputada: “Mulheres, a política precisa de nós!”

MAIS APOIO PARA QUE AS PESSOAS TENHAM RENDA
“A população de baixa renda precisa de atenção constante e num nível mais profundo. Inclusive eu e o meu esposo José Abílio fazemos sempre distribuição de cestas básicas para as que estão em situação de vulnerabilidade. Além disso, fundamos a Casa de Apoio Gabriel Mota em Aracaju que oferece uma estrutura confortável para acompanhantes de pacientes que estão na capital”

JLPolítica - Assusta-lhe o grau de pobreza e de carência das pessoas em Sergipe?
JM -
Com certeza. Inclusive e o meu esposo José Abílio fazemos sempre distribuição de cestas básicas, leite e etc, para pessoas que estão em situação de vulnerabilidade. Além disso, fundamos a Casa de Apoio Gabriel Mota em Aracaju e que oferece uma estrutura confortável para que acompanhantes de pacientes que estão na capital possam ter um local de descanso e também possam se alimentar. Lá são oferecidas as três refeições e é um projeto pelo qual tenho muito orgulho, porque veio diretamente do meu coração e leva o nome do meu anjo Gabriel. É preciso que mais casas de apoio, de todos os tipos, sejam ofertadas para o povo. A população de baixa renda precisa de atenção constante e num nível mais profundo.

JLPolítica - A senhora vê condições de que o Auxílio Emergencial dado pelo Governo Federal nesta pandemia possa virar uma ajuda definitiva para os sem-renda do Brasil?
JM -
O Governo Federal já possui programas de assistência, a exemplo do Bolsa Família. Mas penso que poderia haver um reajuste no valor repassado, para melhor assistir à população carente.

JLPolítica - Quais são a importância e o significado do seu marido José Abílio na configuração da sua carreira política?
JM -
É fundamental termos, em todas as nossas empreitadas, o apoio das pessoas que amamos, e meu esposo José Abílio Guimarães Primo sempre me apoiou em tudo e está sempre ao meu lado. Sou grata a Deus pela vida dele.

34JLPolítica - A senhora se dá por contente com tão poucas mulheres sob o teto do Poder Legislativo Estadual de Sergipe - apenas seis em 24?
JM -
De maneira alguma. Infelizmente a falta de representatividade feminina nos espaços políticos é algo que me deixa chateada e espero que essa realidade continue mudando. Aproveito o espaço para falar diretamente com as mulheres que me leem neste momento: somos maioria da população, precisamos ocupar mais todos os espaços, pois nosso lugar é onde quisermos estar. Mulheres, a política precisa de nós!

JLPolítica - Qual é o papel da fé e da religião na vida da senhora?
JM -
Sem Deus não seríamos nada. A fé é fundamental na minha vida e na da minha família. Já passamos por muitas provações e se não fosse a fé não sei como estaríamos, e acredito que isso valha para quase todas as pessoas. Sou uma pessoa muito dedicada a minha religião, que é o catolicismo, e tenho nisso uma grande fortaleza. Muito sem Deus não é nada. Sou extremamente grata por todas as bênçãos!

Em 2018, num dia sob a dureza e os rigores de uma campanha eleitoral: “Estar na política é uma verdadeira missão”
A Janier filha, ao lado do pai José Barros, conhecido como Zé do Barro, homem voltada à pecuária leiteira de Glória

RAZÕES PARA O TÍTULO DE GLÓRIA A CAPITAL DO LEITE
“Esse título já estava impregnado nos corações dos sertanejos, mas era fundamental que a gente desse esse tom de oficialidade, até mesmo para chamar atenção dos gestores, que poderão proporcionar mais investimentos e incentivos para a nossa bacia leiteira. É um título que vai além do papel”

JLPolítica - Entre as atividades de cerâmica e de confecção, quem mais prepondera hoje na economia de Itabaianinha?
JM -
As duas são fortes de maneira igual, e ambas injetam muito dinheiro na economia de Itabaianinha e da região sul. 

JLPolítica - Qual é a sua explicação para o fato de o setor de material de construção ter tido um desempenho explosivo neste momento de pandemia?
JM -
Acreditamos que seja pelo tempo a mais que as pessoas estão passando dentro de casa e acabaram percebendo que precisavam investir mais nas suas residências, no espaço da família mesmo. Além disso, houve um grande investimento do Governo Federal no setor da construção civil, que já estava parado há muito tempo. Então já era a hora de existir essa recuperação.

JLPolítica - O gás industrial é ou não uma demanda para os ceramistas de Itabaianinha e de outras regiões de Sergipe?
JM -
Esse tipo de gás ainda é economicamente inviável para as cerâmicas. Acredito que só irá melhorar com a privatização do setor e com uma melhor política de preço. 

Como uma simples cidadã ou deputada, Janier conjuga sempre o verbo ajudar ao próximo: “A população de baixa renda precisa de atenção constante”

DA PANDEMIA E DAS RESTRIÇÕES À CAMPANHA
“Teremos que evitar o contato mais próximo com o povo e isso fará muita diferença. Mas temos a internet a nosso favor e temos que explorar ainda mais as redes sociais, como também os carros de som e as rádios para atingir a população que não tem esse contato mais familiar com a tecnologia” 

JLPolítica - Apesar da sua origem no sertão, a senhora se considera uma parlamentar do sul de Sergipe?
JM -
Considero-me uma parlamentar de todo o Estado. Minhas lutas são tão fortes para o sertão quanto para a região sul, que me acolheu com todo amor. 

JLPolítica - É populismo, ou uma necessidade real de reconhecimento a concessão do título oficial de A Capital do Leite dado a Nossa Senhora da Glória?  
JM -
Veja só, esse título já estava impregnado nos corações dos sertanejos, mas era fundamental que a gente desse esse tom de oficialidade, até mesmo para chamar atenção dos gestores, que poderão proporcionar mais investimentos e incentivos para a nossa bacia leiteira. É, como eu tenho dito, um título que vai além do papel. 

JLPolítica - Como é que a senhora está vendo o momento econômico brasileiro?
JM -
Atualmente está bem complicado por causa da pandemia que vivemos. Mas acredito muito no trabalho dos Governo Federal e Estadual e vejo que eles não têm medido esforços para diminuir os prejuízos à economia. Sei que, juntos, iremos nos reerguer. 

Pecuária leiteira: uma atividade que deixa Janier sempre perto da sua Glória natal, que ela elevou oficialmente à Capital de Leite

DO APOIO À REELEIÇÃO DE DANILO EM ITABAIANINHA
“Quando resolvi tentar uma vaga como deputada não foi por não concordar com a administração dele. Danilo continua trabalhando firme pela cidade e é um político com boas ideias e disposição para fazer. Parti para um caminho diferente até mesmo para ajudar Itabaianinha de outra forma e contribuir com a gestão municipal”

JLPolítica - Como vai ser a sua ação política sobre a sucessão de Nossa Senhora da Glória?
JM –
Dou-me muito bem com o ex-prefeito Sérgio Oliveira e com a atual pré-candidata à prefeitura Luana Oliveira, que inclusive me apoiou quando fui candidata a deputada estadual. Ela caminhou junto comigo. Então, da mesma forma farei isso com ela agora, e tenho certeza de que Luana fará com que Glória continue em boas mãos. Aproveito, inclusive, para parabenizar o trabalho da atual gestão do prefeito Chico. 

JLPolítica - A senhora acha que vai ser difícil fazer campanha sob o desconforto de uma pandemia?
JM -
Com certeza, afinal teremos que evitar o contato mais próximo com o povo e isso fará muita diferença. Mas temos a internet a nosso favor e temos que explorar ainda mais as redes sociais, como também os carros de som e as rádios, para atingir também a população que não tem esse contato mais familiar com a tecnologia. 

JLPolítica - Afinal, qual é o planejamento de atuação da senhora sobre os demais pleitos municipais deste ano?
JM -
Estarei mais focada em Itabaianinha e em Glória, com os candidatos que citei anteriormente. As demais localidades estão sendo avaliadas ainda. 

Uma Janier Mota metida a atleta: o ciclismo é uma das grandes paixões da vida dela

DAS DIMENSÕES DE VICE-PREFEITA E DEPUTADA
“São duas dimensões completamente diferentes, pois estão em poderes distintos. Ambas possuem pontos favoráveis e não tão favoráveis. Enquanto vice, eu podia colocar mais a “mão na massa” e executei ações muito importantes em Itabaianinha. Já enquanto parlamentar, minha atuação se ampliou para todos os municípios”

JLPolítica - Por que a senhora resolveu somar-se ao projeto de reeleição do prefeito de Itabaianinha, Danilo de Joaldo?
JM -
É preciso deixar claro que quando eu resolvi tentar uma vaga como deputada estadual não foi por não concordar com a administração dele. Danilo continua trabalhando firme pela cidade e é um político com boas ideias e disposição para fazer. Parti para um caminho diferente até mesmo para ajudar Itabaianinha de outra forma e contribuir com a gestão municipal também. Não só com a dele, obviamente. 

JLPolítica - Mas Danilo não foi seu eleitor em 2018 na busca pela vaga da Alese.
JM -
Sim, mas vejo isso com muita tranquilidade, afinal ele já tinha compromisso com um outro parlamentar. Ademais, Itabaianinha poder contar com dois deputados estaduais é muito positivo. Viso mais os interesses da população do que essas questões pessoais. Quero agregar valor.

JLPolítica - A senhora pretende indicar o pré-candidato a vice-prefeito na chapa de Danilo?
JM -
Estamos em conversa sobre esse assunto, vendo qual o melhor pré-candidato para a vaga e também ouvindo o povo para sabermos o nome adequado. 

Com a mana Janea Mota, executiva mantenedora da Natville, maior indústria de laticínio de Sergipe

UMA ATUAÇÃO EM DEFESA DE BOAS ESTRADAS
“Tenho uma atuação muito forte na defesa por melhoria das rodovias estaduais, sendo que grande parte das minhas indicações se volta para esse setor, solicitando asfaltamento, limpeza, iluminação e nos foi garantida a obra de quatro rodovias importantes, ainda este ano e com os R$ 200 milhões aprovados por nós na Alese”

JLPolítica - Qual das regiões de Sergipe está pior no aspecto de conservação de estradas?
JM -
Eu diria que atualmente, a região sul do Estado, principalmente ali de Umbaúba a Itabaianinha, de Tobias Barreto a Itabaianinha, de Itabaianinha a Arauá e a Tomar do Geru também. Esses trechos precisam de uma obra intensa de recuperação, e de forma urgente. Estive muitas vezes me reunido com o secretário de Desenvolvimento Urbano, Ubirajara Barreto, também com o DER, e apresentei diversas indicações solicitando a melhoria dessas estradas da região sul e também as do sertão. Nesses últimos dias, recebi a notícia que algumas serão executadas ainda este ano, como citei acima.

JLPolítica - Afinal, é melhor ser vice-prefeita de Itabaianinha ou ser uma deputada estadual? 
JM - São duas dimensões completamente diferentes, pois estão em poderes distintos. Ambas possuem pontos favoráveis e não tão favoráveis, bem como qualquer atividade na vida política. Enquanto vice-prefeita, eu podia colocar mais a “mão na massa” e executei ações muito importantes em Itabaianinha. Já enquanto parlamentar, não posso executar, mas a minha atuação se ampliou para todos os municípios do Estado e, portanto, posso lutar por todos eles. 

JLPolítica - A senhora pensa em buscar a renovação do seu mandato em 2022, ou vai tentar outra esfera?
JM -
No momento, estou focada na atuação que o povo me outorgou na última eleição. Ou seja, em desenvolver o melhor mandato possível.

Pose da vitória, no dia em que foi eleita deputada estadual: 25.731 votos e a 11ª mais votada entre os 24 parlamentares

DA ATENÇÃO AO HOSPITAL REGIONAL DE GLÓRIA
“O Hospital de Glória é uma das principais unidades de saúde do Estado de Sergipe, atendendo à demanda de todo o sertão e do alto sertão. Com ele funcionando bem, desafogamos até o Huse, em Aracaju. Portanto, é fundamental que a gente o fortaleça”

JLPolítica - De modo em geral, a senhora se sente atendida e contemplada como uma parlamentar da base governista?
JM -
Sim. Como até comentei isso em pergunta anterior, e reforço dizendo tenho um diálogo bom com o executivo estadual e, logicamente, dentro das possibilidades, temos os nossos pleitos atendidos.

JLPolítica - Além das ações no campo da saúde, de que mais compõe a base de atuação do seu mandato?
JM -
Tenho uma atuação muito forte na defesa por melhoria das rodovias estaduais, sendo que grande parte das minhas indicações se volta para esse setor, solicitando melhorias, asfaltamento, limpeza, iluminação e etc.

JLPolítica - Mas o governador tem lhe ouvido nesses seus reclamos em favor das estradas?
JM -
Tem sim. E diria que não só aos meus, como o de outros colegas parlamentares. Exemplo disso é que nos foi garantida a obra de quatro rodovias importantes, ainda este ano e com os R$ 200 milhões aprovados por nós na Alese, no final de 2019. São as de Umbaúba a Itabaianinha, de Itabaianinha a Tobias Barreto, de Brejo Grande a Pacatuba e Monte Alegre a Porto da Folha.

A Janier Mota vovó, com a neta Marina, José Abílio, a nora Mônica e o filho Felipe Mota

DO QUE JÁ VIU DA SAÚDE PÚBLICA DE SERGIPE
“Percebi que, apesar de termos percorrido já um bom caminho positivo, ainda falta muito e é por isso que estou em constante diálogo com a Secretaria de Estado da Saúde. A pasta da Saúde é muito complexa e esse debate é muito mais profundo do que poderíamos conversar aqui”

JLPolítica - No que a senhora sugeriria melhoras?
JM -
Destacaria que precisamos simplificar o sistema de acesso, desburocratizando mais e organizando melhor as unidades de saúde. A população precisa chegar nestas unidades e ter um atendimento digno e de qualidade, pois é para isso que os impostos são pagos. Estou trabalhando para isso, juntamente com o Poder Executivo estadual que nunca se furtou em atender os meus pleitos. 

JLPolítica - As indicações da senhora para esta área neste período foram atendidas ou postergadas?
JM -
Dentro das possibilidades do governo, as indicações do nosso mandato são sim atendidas. Exemplo disso foi a nossa já citada ação Saúde Sergipe Cidadão, que teve todo apoio do governo, com a logística de envio da carreta e de equipes profissionais para operá-las. Além disso, tenho conquistado coisas importantes para o Hospital Regional de Glória, como a reforma estrutural e o aumento da escala médica, que ainda continuamos cobrando por mais médicos, pois é uma unidade de grande porte. 

JLPolítica - Mas por que o seu mandato dá tanta atenção ao Hospital Regional de Nossa Senhora da Glória? Ele tem de fato muitas carências?
JM -
O Hospital de Glória é uma das principais unidades de saúde do Estado de Sergipe, atendendo à demanda de todo o sertão e do alto sertão. Com ele funcionando bem, desafogamos até o Huse, em Aracaju. Portanto, é fundamental que a gente o fortaleça. Quando assumi meu mandato já tinha em mente que um dos meus principais compromissos seria lutar pela melhoria daquele hospital tão importante. 

Gabriel Mota, filho que se foi pro ouro lado da vida aos dois anos: mais do que um retrato na parede

ESTAR NA COMISSÃO TEMÁTICA DE SAÚDE DA ALESE
“Foi por opção minha. Sempre tive um carinho especial pela área da saúde e vi na Comissão de Saúde a oportunidade de estar mais perto dos setores que compõem essa pasta, podendo assim auxiliar da melhor forma”

JLPolítica - O que mais lhe causou estranhamento na ambiência do Poder Legislativo e o que mais lhe chamou a atenção positivamente nos ritos dele?
JM -
O estranhamento se deu mais por causa das novidades em ocupar esse cargo pela primeira vez, mas é muito gratificante poder fazer parte deste Poder, pois amplia o nosso olhar sobre Sergipe de uma forma geral. No dia a dia das sessões plenárias e nas reuniões de Comissões, nos é proporcionado um aprendizado imenso sobre a sociedade sergipana e quais melhorias são necessárias.

JLPolítica - Foi por opção ou por sorteio o fato de a senhora ter ido parar na Comissão Temática de Saúde da Alese?
JM -
Foi por opção minha. Sempre tive um carinho especial pela área da saúde e vi na Comissão de Saúde a oportunidade de estar mais perto dos setores que compõem essa pasta, podendo assim auxiliar da melhor forma.

JLPolítica - O que tem sido possível realizar através dela?
JM -
Através da Comissão, realizei uma importante e inédita ação em Itabaianinha: o Saúde Sergipe Cidadã, quando levamos a Carreta da Mulher, Carreta do Homem e diversos médicos de diferentes especialidades que realizaram exames e consultas de forma gratuita para a população. Alguns desses exames, tiverem resultado imediato, como foi o caso das ultrassonografias mamárias. É através desta Comissão, também, que venho auxiliando de forma mais contundente ao Hospital Regional de Nossa Senhora da Glória e o Hospital São Luiz Gonzaga, em Itabaianinha.

JLPolítica - O que o seu olhar de parlamentar e de presidente da Comissão viu mais de perto sobre a saúde pública nestes dois anos?
JM -
Percebi que, apesar de termos percorrido já um bom caminho positivo, ainda falta muito e é por isso que eu estou em constante diálogo com a Secretaria de Estado da Saúde. A pasta da Saúde é muito complexa e esse debate é muito mais profundo do que poderíamos conversar aqui.

As 6 mulheres entre os 18 barbados da Alese: “Falta de representatividade feminina nos espaços políticos é algo que me deixa chateada”

DA ARTE E DA MISSÃO DE ESTAR NA POLÍTICA
“Estar na política é uma verdadeira missão, cercada de desafios. Nestes quase dois anos, pude entrar de cabeça num universo até então desconhecido para mim: o Legislativo Estadual. Está sendo bem positivo, pois estou conseguindo desenvolver uma série de indicações de interesse das comunidades”

JLPolítica - Qual é o balanço que a senhora faz destes quase dois primeiros anos do seu mandato?
Janier Mota -
Estar na política é uma verdadeira missão, cercada de desafios. Nestes quase dois anos, pude entrar de cabeça num universo até então desconhecido para mim: o Legislativo Estadual. Para mim, está sendo bem positivo, pois estou conseguindo desenvolver uma série de indicações de interesse das comunidades sergipanas e estou em contato direto com secretários e secretárias e com o chefe do Executivo estadual, governador Belivaldo Chagas. Para eles, levo as mais diversas pautas, apresento os trabalhos do nosso mandato e tenho conseguido de volta algumas coisas importantes, a exemplo da melhoria do Hospital Regional de Nossa Senhora da Glória, que já tem uma qualidade bem acima da que tinha antes de eu assumir este mandato e de começar a lutar por ele com mais forças.

JLPolítica - Quais as consequências desta pandemia do coronavírus sobre a produtividade do parlamento estadual de Sergipe, sobretudo para os de primeiro mandato?
JM -
Encarar um primeiro mandado já não é fácil, ainda mais sendo surpreendida por uma pandemia de escala mundial e que impediu nossa presença física em diversos locais/ações. Muitas audiências públicas, reuniões e demais ações, foram suspensas temporariamente e ficamos nessa incerteza. Além disso, 50% das nossas emendas impositivas tiveram que ser destinadas para o combate do coronavírus, o que é muito louvável e fiz com muito prazer, só que foi preciso um novo remanejamento. No mais, tivemos que focar ainda mais nas redes sociais e estamos aproveitando o benefício da internet para fazermos reuniões e marcarmos presença nas sessões da Alese. Tudo exigiu jogo de cintura e adaptação, mas o trabalho não poderia parar.

JLPolítica - Mas foi fácil pegar o ritmo do Poder Legislativo?
JM -
No início, não. Até por ser o meu primeiro mandato neste Poder. Mas o tempo e a vivência estão me dando oportunidade de aprender cada vez mais e de levar mais temáticas para o debate em tribuna. 

JLPolítica - O que mais impactou sobre a senhora na vida e na ação parlamentar?
JM -
Na vida, com certeza, o distanciamento de alguns dos meus familiares. Eu sou muito da família e isso pesa bastante. Na vida parlamentar, o impacto maior foi a diminuição do ritmo de atividades e a necessidade de nos adaptarmos a fazer quase tudo de forma on-line em virtude da pandemia do coronavírus.

Uma Janier movida a fé: “Sem Deus não seríamos nada. A fé é fundamental na minha vida e na da minha família”

“População de baixa renda precisa de atenção constante e num nível mais profundo” 
23 de agosto 8h00

A deputada estadual Janier Mota é uma pessoa pública e particular muito discreta. Tímida, bem na dela, mas jamais perde o foco da sua condição de mulher política. Ou de uma mulher na política.

Janier Mota termina sendo, dentro dessas condições todas, uma boa leitora das realidades social, política e econômica de Sergipe e do Brasil. Ela não disfarça e nem é populista.

Mas não consegue esconder uma certa inclinação pelas dores e carências dos pobres. Dos mais necessitados, seja no âmbito do mandato, seja na vida pessoal, particular e de empresária bem-sucedida - é esposa de José Abílio Guimarães Primo, um dos mais bem-postados industriais do setor de cerâmica de Sergipe.

“A população de baixa renda precisa de atenção constante e num nível mais profundo. O Governo Federal já possui programas de assistência, a exemplo do Bolsa Família. Mas penso que poderia haver um reajuste no valor repassado, para melhor assistir à população carente”, diz Janier Mota.

Antes de chegar à Assembleia Legislativa de Sergipe como consequência da eleição de outubro de 2018, na qual obteve 25.731 votos pelo PL, sendo a 11ª mais votada entre 24, Janier foi eleita em 2016 vice-prefeita de Itabaianinha ao lado de Danilo Carvalho.

Prestes a fechar seu segundo ano de mandato, Janier Mota fatura esse tempo como algo bastante proveitoso em sua vida. “Nestes quase dois anos, pude entrar de cabeça num universo até então desconhecido para mim: o Legislativo Estadual. Estar na política é uma verdadeira missão, cercada de desafios”, diz ela.

“Para mim, está sendo bem positivo, pois estou conseguindo desenvolver uma série de indicações de interesse das comunidades sergipanas e estou em contato direto com secretários e secretárias e com o chefe do Executivo estadual, governador Belivaldo Chagas”, completa.

O mandato de Janier Mota tem uma preocupação direta e ativa com a saúde das pessoas, o trato com os hospitais públicos e a manutenção das estradas. “Dentro das possibilidades do governo, as indicações do nosso mandato são sim atendidas”, diz ela.

Nesta Entrevista, Janier Mota fala do que propôs e realizou até hoje com o mandato, justifica porque vai apoiar a reeleição de Danilo Carvalho em Itabaianinha, diz porque batalhou para dar oficialmente o título de A Capital do Leite a Nossa Senhora da Glória, louva o poder que a fé e a religião têm em sua formação, cobra mais presença das mulheres na política e ressalta a importância que o marido, o industrial José Abílio Guimarães Primo, tem em sua vida e em seus projetos.

“É fundamental termos o apoio das pessoas que amamos, e meu esposo sempre me apoiou em tudo e está sempre ao meu lado. Sou grata a Deus pela vida dele”, diz.

José Abílio Guimarães Primo, marido industrial: “Meu esposo sempre me apoiou em tudo e sou grata a Deus pela vida dele”