Entrevista

Jozailto Lima

Compartilhar

Padre Inaldo: “Enquanto adversários atiravam pedra, a gente trabalhava e o trabalho venceu”

28 de novembro de 2020
“Faço parte da política de fazer o bem e vem dela a nossa reeleição”

“Sozinho ninguém chega a lugar nenhum. Nós só chegamos a algum lugar com apoio de outros, e na política é muito importante você fazer parte de um grupo”.

Esta afirmação é do prefeito reeleito da cidade de Nossa Senhora do Socorro, Inaldo Luis da Silva, o Padre Inaldo, PP, 51 anos, vencedor de três das quatro disputas eleitorais nas quais se meteu de 2012 para cá. Incluindo, lógico, a deste ano.

E é uma afirmação cercada de verdade por todos os lados. Inaldo foi à reeleição este ano amparado em seis partidos, além do dele de origem - Republicanos, MDB, DEM, PRTB, PC do B e Avante.

Muita gente de peso segurou o andor para a vitória desse Padre nas urnas. Portanto, passa muito longe de Inaldo imaginar que seja apenasmente dele o mérito da reeleição obtida. 

Na seção de votação no último dia 15: terceira vitória em quatro disputas
Cara a cara com o povo, na campanha de 2016: um caso de amor com Socorro

“Para mim, a política continua sendo uma atividade que deve ser usada para fazer o bem para as populações. Eu acredito na política do bem comum”, afirma Inaldo, um político que em 2012 perdeu para Fábio Henrique a primeira eleição na qual se meteu. 

“Acredito que nós podemos fazer muito bem. Importante quando em cada comunidade que eu entreguei as creches a gente via a felicidade das pessoas e mais felizes ficaram elas e eu com as mil casas”, reforça Inaldo.

“Eu fico alegre e feliz por ter sido essa ponte. Eu acredito nesse tipo de política. Na política de fazer o bem. Na política do construir o melhor para a população. É dela que eu faço parte e vem dela a nossa reeleição”, filosofa o teólogo Inaldo.

Para Padre Inaldo, erra feio quem pensa que ele fará corpo mole de 2021 a 2024 por não ter mais direito à reeleição. “De jeito nenhum. Eu acredito que quando nós assumimos um compromisso, precisamos nos entregar de corpo e alma a ele até o final. É uma missão”, avisa.

Inaldo Luis da Silva, um homem que conhece na prática os caminhos de Socorro

Inaldo Luis da Silva nasceu no dia 3 de setembro de 1969 no município de Colônia Leopoldina, em Alagoas. Ele é o filho mais velho do casal José Luis da Silva e Cícera da Silva. Ali mesmo, teve uma infância humilde juntamente com outros seis irmãos.

Desde cedo começou a trabalhar na olaria do pai, fabricando telhas e tijolos. A participação dele em trabalhos da Pastoral da Terra da Igreja Católica e a influência do pároco italiano Paulo Gianttoni foram insumos para vislumbrar um futuro no sacerdócio. 

Desde aquela época, Padre Inaldo já mostrava vocação para o trabalho nas comunidades e o diálogo com a população mais carente. Mais tarde, ao se mudar para Maceió, o jovem Inaldo cursou o ensino secundário na Escola Santíssimo Sacramento. 

Posteriormente, seguiu para a vida religiosa, onde teve contato com a filosofia no Seminário Maior. Logo depois, na cidade de Mariana, em Minas Gerais, estudou Teologia no Seminário São José.

Já ordenado padre, em 2000 ele fixou moradia em Socorro após assumir a Paróquia São João Batista, no João Alves Filho. Empreendeu ali diversos projetos sociais, destacando-se como um dos grandes líderes da população carente, que até hoje sofre com o abandono do poder público.

Com a mãe, dona Cícera da Silva, no dia em que se ordenou sacerdote: origem humilde

Em 2011, percebendo que o povo do município clamava por um homem íntegro para encarar os desafios sociais da cidade, decidiu filiar-se ao PCB e montar uma chapa para disputar o pleito de 2012.

O resultado foram os 32.800 votos alcançados na primeira disputa, mas sem vitória. Em 2014 concorreu a uma vaga para a Assembleia Legislativa de Sergipe e foi eleito. O mandato de deputado estadual foi marcado pelo cuidado com o povo.

Em 2016, Inaldo vence as eleições no 2º maior colégio eleitoral de Sergipe, se tornando prefeito de Socorro com 35.190 votos e se reelegendo no último dia 15. 

Inaldo Luis da Silva herda o nome Padre, mas não é mais um sacerdote da Igreja Católica. Além de Teologia, ele fez também o curso superior de Administração de Empresas. A Entrevista com ele vai a leitura.

Como sacerdote, durante missa em Nossa Senhora do Socorro
A QUEM CREDITAR A VITÓRIA
“Eu credencio ao trabalho em conjunto com toda população de Nossa Senhora do Socorro, com o nosso secretariado, com vários vereadores que foram aqueles que nos deram a base realmente de sustentação na Câmara de Vereadores e aos servidores públicos em grande parcela”

JLPolítica – Ao que, ou a quem, o senhor credencia essa vitória pela reeleição de prefeito deste ano?
Padre Inaldo – 
Eu credencio ao trabalho em conjunto com toda população de Nossa Senhora do Socorro, com o nosso secretariado, com vários vereadores que foram aqueles que nos deram a base realmente de sustentação na Câmara de Vereadores e aos servidores públicos em grande parcela- porque servidores públicos são aqueles que prestam serviço direto à população. E se esse pessoal não estiver trabalhando motivado, o serviço é de péssima qualidade.

JLPolítica – O servidor de Socorro foi bem tratado e ajudou ao Governo?
Padre Inaldo – 
Sim. Graças a Deus, pelo comportamento nosso de assumir um compromisso de pagar a folha em dia, de dar reajuste salarial acima da inflação, ter criado o auxílio transporte, feito a recomposição de várias classes de servidores e o plano de cargos e salários da Guarda Municipal, os servidores também perceberam que o melhor nome para Nossa Senhora do Socorro para dar continuidade ao trabalho seria o nosso. Mas pela vitória, devo agradecer primeiramente a Deus, agradecer à população de Socorro por ter apostado mais uma vez. De forma que a gente fica muito grato, muito feliz por cada pessoa. 

JLPolítica – O resultado seria de uma somatória.
Padre Inaldo – 
Sim. É um conjunto de pessoas. Não existe uma pessoa somente. Não existe somente um nome responsável por nosso sucesso. Há um conjunto. São aqueles que vieram fazer parcerias, o nosso vice-prefeito Betinho, com a família, o pai, a mãe, e que vai ser a partir de primeiro de janeiro vereador da cidade. Houve um conjunto de pessoas que se somaram e que conseguiram, graças a Deus, nos levar a mais uma vitória.

Com o ex-governador Jackson Barreto e o vice-prefeito Betinho, hoje eleito vereador
JOGO PESADO DE SAMUEL CARVALHO E FÁBIO HENRIQUE
“Os dois fizeram uma campanha de muito baixo nível. O tempo inteiro me atacaram, caluniaram e mentiram. Os dois tentaram a todo custo passar para a população uma imagem do Padre Inaldo diferente da realidade, do que realmente sou. Apesar desses ataques e dessas mentiras, mantive sempre o foco”

JLPolítica – Surpreendeu-lhe a ordem das colocações de chegada ao final entre os candidatos Samuel Carvalho e Fábio Henrique de Carvalho nessa eleição?
Padre Inaldo – 
Não me surpreendeu não, porque a gente vinha acompanhando a cada dois dias com pesquisas feitas por um instituto sério e elas mostravam realmente o crescimento de Samuel Carvalho e a queda do Fábio Henrique. Com uma certa antecedência, a gente já tinha noção de que o Fábio Henrique ficaria em terceiro lugar.

JLPolítica – Entre Samuel Carvalho e Fábio Henrique de Carvalho, qual dos comportamentos mais lhe surpreendeu ou constrangeu na campanha?
Padre Inaldo – 
Os dois fizeram uma campanha de muito baixo nível. O tempo inteiro me atacaram, caluniaram e mentiram. Os dois tentaram a todo custo passar para a população uma imagem do Padre Inaldo diferente da realidade, do que realmente sou. Apesar desses ataques e dessas mentiras, mantive sempre o foco afde mostrar ao povo as inúmeras obras da nossa administração e os nossos projetos para os próximos quatro anos. Isso é também parte forte do nosso sucesso.

JLPolítica – Fábio Henrique de Carvalho lhe acusa de posturas não republicanas durante a campanha. O que senhor identifica ou assume nessa linha?
Padre Inaldo – 
Não identifico e nem assumo nessa linha, mesmo porque o que Fábio fala é pura falácia, entendeu. O que Fábio Henrique fala não se escreve. Fábio Henrique é totalmente doido. É doido de pedra. Não fala a verdade, e é por isso que tem o apelido de Pinóquio.

Com o deputado estadual Luciano Bispo, governador Belivaldo Chagas e o deputado federal Laércio Oliveira se filiando ao PP
O QUE O POVO DE SOCORRO PODE ESPERAR 
“Deve esperar um prefeito que trabalha. Um prefeito que luta, um prefeito que vai dar a vida pelo município de Nossa Senhora do Socorro. Foi isso que eu fiz no primeiro mandato e é isso que eu farei no segundo cada vez mais, até o último dia”

JLPolítica – O senhor teme alguma punição futura da justiça eleitoral em virtude da campanha deste ano?
Padre Inaldo – 
Não, não e não. Fizemos uma campanha limpa. Fizemos uma campanha honesta. Fizemos uma campanha pedindo o voto das pessoas, e por isso não vejo nada de negativo perante a Justiça Eleitoral. Mesmo que existam algumas denúncias, são fakes. São e foram denúncias infundadas.

JLPolítica – O senhor acha que deve corrigir alguns pontos da gestão para o próximo mandato? Ou seja, deixou a desejar em algum setor e se vê na obrigação de não errar de novo?
Padre Inaldo – 
Eu vejo assim: cada dia que passa nós aprendemos mais, e muitas coisas que não funcionaram na primeira gestão nós vamos corrigir para funcionar da melhor forma possível na próxima, prestando um melhor serviço para a nossa população.

JLPolítica – Em síntese, para além do que fora prometido na campanha, o povo de Socorro deve esperar o que do senhor enquanto gestor entre 2021 e 2024?
Padre Inaldo – 
Deve esperar um prefeito que trabalha. Um prefeito que luta, um prefeito que vai dar a vida pelo município de Nossa Senhora do Socorro. Foi isso que eu fiz no primeiro mandato e é isso que eu farei no segundo cada vez mais, até o último dia. Trabalhar, trabalhar e trabalhar pelo povo socorrense.

Inaldo: “Edvaldo é pessoa por quem tenho muito carinho, muito respeito e acredito que ele tenha o mesmo por mim”
DO RECONHECIMENENTO AOS APOIADORES
“Eu dou um peso importantíssimo a isso, porque eu acredito que sozinho ninguém chega a lugar nenhum. Nós só chegamos a algum lugar com apoio de outros, e na política é muito importante você fazer parte de um grupo. Quando você não tem um grupo, as pessoas cobram: quem é que está do seu lado?”

JLPolítica – Quais seriam as prioridades mais urgentes para a próxima gestão?
Padre Inaldo – 
Nós temos várias prioridade. Nosso município é imenso e é muito espalhado. Cada um dos seus conjuntos tem sua necessidade. A gente poderia dizer como prioridade pavimentação pública, a gente poderia dizer cobertura de canais, a gente poderia dizer mais creches para a educação, que é um grande pedido das comunidades que não têm creche, e ainda a gente poderia dizer mais postos de saúde. Uma UPA no complexo Taiçoca. São muitas as necessidades. Nossa Senhora do Socorro não é uma cidade que tem uma única necessidade, porque é uma cidade com cerca de 200 mil habitantes, uma cidade espalhada e cada conjunto tem uma realidade diferente da outra.

JLPolítica – O fato de não haver reeleição no seu horizonte não pode lhe levar a um relaxamento enquanto gestor?
Padre Inaldo – 
De jeito nenhum. Eu acredito que quando nós assumimos um compromisso, precisamos nos entregar de corpo e alma a ele até o final. É uma missão, é um trabalho, é um apoio da população. A população acreditou na gente e nós precisamos trabalhar, mostrar realmente para que viemos. Foi dessa forma que nós conseguimos a reeleição. Enquanto nossos adversários atiravam pedra, falavam mal, a gente trabalhava cada vez mais  e o trabalho venceu.

JLPolítica – Que peso o senhor dá aos apoios políticos recebidos na campanha, como os do Zé Franco, do governador Belivaldo Chagas e de Laércio Oliveira?
Padre Inaldo – 
Eu dou um peso importantíssimo a isso, porque eu acredito que sozinho ninguém chega a lugar nenhum. Nós só chegamos a algum lugar com apoio de outros, e na política é muito importante você fazer parte de um grupo. Quando você não tem um grupo, as pessoas cobram: quem é que está do seu lado? Quem é que lhe apoia? E isso deixa muita falha. Graças a Deus nós tivemos sim, o apoio, o carinho do governador, o carinho do nosso deputado federal Laércio Oliveira, e o apoio total do Zé Franco, que colocou o seu filho Manelito para ser vice e se entregou de corpo e alma à campanha - ele, a esposa, o filho para que a gente conseguisse realmente a vitória. De modo que a vitória do Padre Inaldo é a vitória de Zé Franco e a vitória do Zé Franco é a vitória do Padre Inaldo.

Prefeito Padre Inaldo bota a mão no rodo e pinta mureta de escola pública de Socorro em 2017
DA NECESSIDADE DE FAZER MUDANÇAS
“Mudanças, claro que vão ter algumas. Não existe só um novo governo. É um novo projeto. Alguns erros que foram praticados não serão mais tolerados. Há vontade de acertar e vai precisar mudança. Foi uma nova campanha, novos compromissos e são novas realidades. Com certeza vai ter mudança, sim”

JLPolítica – Que papel caberá a essas lideranças políticas na formatação e na condução do seu próximo Governo?
Padre Inaldo – 
Caberá a todos o papel da boa orientação. Zé Franco mesmo já disse ser um orientador sem remuneração: “vou estar perto, vou dar conselho, vou buscar junto com você coisas em Brasília para que a gente consiga recurso”. O governador Belivaldo disse-me: “Olha, eu tenho mais dois anos pela frente. Vou te ajudar cada vez mais”. Laércio Oliveira se colocou à disposição de vários projetos. Ele conhece Nossa Senhora do Socorro. Foi o deputado federal que mais ajudou Nossa Senhora do Socorro, e agora mais de perto vai ter a oportunidade de me ajudar mais ainda.

JLPolítica – O senhor fará mudanças profundas no seu secretariado?
Padre Inaldo – 
A questão é essa: mudança, claro que vão ter algumas, entendeu? Não existe só um novo governo. É um novo projeto. Alguns erros que foram praticados não serão mais tolerados. Há vontade de acertar e vai precisar mudança. Foi uma nova campanha, novos compromissos e são novas realidades. Com certeza vai ter mudança, sim.

JLPolítica – Na eleição de 2016, o senhor conseguiu eleger apenas sete vereadores dos 21 da cidade. Agora, numa situação mais cômoda, os partidos de sua base elegeram 13. Isso pode ter que impacto na relação entre os Poderes Executivos e Legislativo futuros?
Padre Inaldo – 
Um impacto positivo. Eu acho que vamos governar de uma forma amigável, com o Executivo respeitando, de novo, o Legislativo. Foi isso que eu fiz o tempo todo, mesmo com só sete vereadores na bancada, sempre respeitei a Câmara de Vereadores. Sempre respeitei cada vereador e vou continuar respeitando da mesma forma.

Paisagem da campanha de 2020: venceu dois oponentes deputados numa tacada só
DA BOA PONTE COM O PODER LEGISLATIVO
“Nós estamos conversando, analisando direitinho, vendo do nosso agrupamento quem poderia ser esse que seria a boa ponte - uma ponte de comunhão, uma ponte de respeito, de união. Uma ponte que nós precisamos muito nesse momento”

JLPolítica – O senhor guarda mágoas em relação a alguns “aliados do governo inteiro” que pularam de lado em cima da hora?
Padre Inaldo – 
Eu não sou uma pessoa de mágoa não, entendeu? No meu coração não existe essa questão de mágoa, de jeito nenhum. Eu acho que cada pessoa faz a sua escolha. Quem não escolheu a gente, agora deve estar um pouco triste. Vamos seguir.

JLPolítica – A vereadora Maria da Taiçoca conduziu o Legislativo com isenção ou foi tendenciosa?
Padre Inaldo – 
Eu acho que cada um só dá o que tem, entendeu? Cada um só dá o que tem.

JLPolítica – O senhor pretende participar das discussões pela eleição da Presidência da Câmara para os dois primeiros anos?
Padre Inaldo –
Sim. Será uma participação de orientação. Eu acho que o prefeito tem que orientar para que possa ter uma bancada que lhe ajude a governar em prol da sociedade.

Padre Inaldo Luis da Silva e sua comunhão com o povo de Socorro
DA BOA RELAÇÃO EDVALDO NOGUEIRA
“Edvaldo é um grande amigo. Sempre falei em todos os meios de comunicação que nossa amizade - a minha com Edvaldo, a de Edvaldo com Padre Inaldo - não está ligada a partido. É uma questão pessoal. Edvaldo é uma pessoa por quem tenho muito carinho, muito respeito e acredito que ele tenha o mesmo por mim”

JLPolítica – O senhor teria hoje um pré-candidato à Presidência do Legislativo?
Padre Inaldo – 
Nós estamos conversando, analisando direitinho, vendo do nosso agrupamento quem poderia ser esse que seria a boa ponte - uma ponte de comunhão, uma ponte de respeito, uma ponte de união. Uma ponte que nós precisamos muito nesse momento.

JLPolítica – A sua relação com o vice-prefeito Betinho foi e é boa. Agora ele é um vereador eleito. O senhor pretende vê-lo desempenhando que papel no Legislativo nos próximos quatro anos?
Padre Inaldo – 
Eu pretendo ver Betinho desempenhando o mesmo papel que ele sempre desempenhou, que foi o daquela pessoa leal. Daquela pessoa amiga. Daquela pessoa que ama Nossa Senhora do Socorro - é isso que eu espero de Betinho e creio que é o que virá.

JLPolítica – Edvaldo Nogueira, que é do PDT, não foi à sua campanha alegando problemas partidários com Fábio Henrique. Com qual consideração o senhor sai de Edvaldo nesta campanha?
Padre Inaldo – 
Eu saio com a consideração boa. Edvaldo é um grande amigo. Eu sempre falei em todas redes sociais, em todos os meios de comunicação, que a nossa amizade – a minha com Edvaldo, a de Edvaldo com Padre Inaldo - não está ligada a partido, entendeu? É uma questão pessoal. Edvaldo é uma pessoa por quem eu tenho muito carinho, muito respeito e acredito que ele tenha o mesmo por mim.

De pároco a prefeito: Inaldo Luis da Silva assume a bandeira de Nossa Senhora do Socorro
POLÍTICA É A ARTE DE FAZER O BEM
“Para mim, a política continua sendo uma atividade que deve ser usada para fazer o bem para as populações. Eu acredito na política do bem comum. Acredito que nós podemos fazer muito bem. Olha: importante, quando em cada comunidade que entreguei as creches, a gente via a felicidade das pessoas e mais felizes ficaram elas e eu com as mil casas”

JLPolítica – Em Aracaju, o senhor pretende se posicionar e apoiar alguém neste segundo turno?
Padre Inaldo – 
Rapaz, não tenho dúvida. É Edvaldo. Não importa o partido não. É Edvaldo, e pronto. 

JLPolítica – É possível ver hoje a silhueta do desenho da sucessão de Belivaldo Chagas em 2022? Quem virá por aí em nome do grupo, e o senhor vai querer estar no bloco?
Padre Inaldo – 
Está muito cedo ainda para que a gente possa definir alguma coisa sobre o Governo do Estado. Vamos deixar passar o ano novo, passar o carnaval. Vão ter algumas conversas sobre esse projeto.

JLPolítica – Depois de estar nela efetivamente, pelo menos na disputa de mandatos, há oito anos, o que é a política para o senhor?
Padre Inaldo – 
Para mim, a política continua sendo uma atividade que deve ser usada para fazer o bem para as populações. Eu acredito na política do bem comum, entendeu? Acredito que nós podemos fazer muito bem. Olha: importante, quando em cada comunidade que eu entreguei as creches, a gente via a felicidade das pessoas e mais felizes ficaram elas e eu com as mil casas. Eu fico alegre e feliz por ter sido essa ponte. Eu acredito nesse tipo de política. Na política de fazer o bem. Na política do construir o melhor para a população. É dela que eu faço parte e vem dela a nossa reeleição.

 

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.