PARCERIA COM A UNIT
Por Ascom PMA | 26 de Set de 2017, 08h58
Pontos de descarte irregular darão lugar a intervenções urbana
Parceria entre a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Sema) e a Universidade Tiradentes (Unit), que realizará intervenções urbanas em locais viciados de descarte
Compartilhar

Augusto César Viana, explica que o projeto foi viável graças a parcerias (Foto: Marco Vieira

Recolher o lixo das vias públicas, acabar com os riscos de doenças para população e manter a cidade mais limpa têm sido um trabalho constante da Prefeitura de Aracaju. Agora, além da limpeza de um ponto de descarte irregular de lixo, a comunidade da rua Efren Fernando Fontes, no bairro Santos Dumont, terá mais um benefício. Trata-se de uma parceria entre a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Sema) e a Universidade Tiradentes (Unit), que realizará intervenções urbanas em locais viciados de descarte irregular de lixo e Resíduos da Construção Civil (RCC).

O projeto surgiu da necessidade de diminuir os pontos viciados de descarte irregular de lixos domiciliares e RCC, que já somam mais de 500 em toda a cidade. O secretário municipal do Meio Ambiente, Augusto César Viana, explica que o projeto foi viável graças a parcerias e que tudo que será produzido reutilizará materiais que se tornariam lixo. “Fomos procurados pela comunidade para construirmos uma praça no local, mas devido a atual situação econômica da Prefeitura, surgiu a ideia de fazer essas intervenções, com baixo custo, sustentável e que tem como protagonista a própria população”, afirma.

O primeiro passo do projeto foi a pesquisa de campo. Após ouvir as demandas apresentadas pelos moradores, os dez estagiários do curso de Arquitetura e Urbanismo da Unit começaram a elaborar os materiais que consistem em parquinho infantil, com gangorras, balanços e outros brinquedos, espaços para apresentações teatrais e confraternização, hortas horizontais e verticais e equipamentos de ginástica. Tudo com produtos reutilizados. “Temos hoje em torno de cinco mil pneus que são coletados e armazenados na Emsurb. Esses pneus passarão por um processo de seleção, já que não podem ter arame ou fissura que posam criar acidentes. Eles serão dispostos de forma que não armazenem água, por conta do mosquito da dengue, e serão utilizados para confecção de alguns brinquedos infantis”, explica César Viana.

O projeto também conta com uma faixa de contenção de alvenaria, em que o material utilizado será disponibilizado pela Emurb. Trata-se de resto de construções que seriam triturados por não haver mais serventia.

Os dias 27 e 29 de setembro e 4 e 6 de outubro estão reservados para início das confecções dos materiais mobiliários do parque. A Secretaria espera finalizar o projeto até o final de outubro. “Após o primeiro diagnóstico realizado na localidade, buscamos quem poderia e aceitaria colaborar com o projeto de forma voluntaria e gratuita. Logo se prontificaram: apareceram pedreiro, carpinteiro, grafiteiro. Todos moradores da comunidade. É por isso que a população é a real protagonista desta ação”, destaca o secretário.

A primeira edição do projeto, realizada no bairro Santos Dumont, servirá como base para adequações para as próximas edições. O objetivo é, até julho de 2018, atender mais seis comunidades que solicitaram ações à secretaria. Cada localidade receberá ações de acordo com suas necessidades. “Essa é uma flexibilidade do projeto, atendemos o que a comunidade precisa. A comunidade do Santos Dumont solicitou esse tipo de intervenção, mas em outra comunidade vão solicitar outras ações. Em local com dificuldade de água, por exemplo, não poderemos instalar uma horta. Cada edição terá suas particularidades a depender do local”, explica a coordenadora do setor de Educação Ambiental da Sema,  Raphaella Ribeiro.

Após a finalização da intervenção, o objetivo é que os próprios moradores assumam o local, preservando e fiscalizando para que não ocorra mais o descarte irregular de lixo.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.