Opinião
Por | 27 de Jun de 2020, 14h56
José Teixeira, de Neópolis, sai da vida para entrar na história
Compartilhar

[*] Gabriel Lírico Queiroz 

A cidade de Neópolis se despede de um dos seus filhos ilustres, José Teixeira Alves Filho ou simplesmente Seu Teixeira, como seu povo carinhosamente o chamava.

Seu Teixeira empre foi calmo, silencioso e observador, mas quando tinha em mãos um microfone mostrava em palavras o grande orador e líder que era. Seus discursos não eram vazios, uma vez que passavam ideias firmes e realizações inovadoras para a cidade que governou honestamente em dois mandados de prefeito (1989 a 1992 e de 2005 a 2008).

Eu tinha apenas 8 anos de idade na campanha eleitoral de 2004 (a última que ele disputou), mas guardo na memória muito bem o que ouvia pelas ruas de Neópolis, e o seu jingle "A nossa sorte grande é...Teixeira, Teixeira, prefeito é Teixeira", era um marco.

Isso era uma paródia da música "Sorte Grande", da Ivete Sangalo, que bombava nas rádios da época. Até hoje quando a música original toca me vem à lembrança o jingle, no lugar de "poeira" só ouço "Teixeira"  e consequentemente me lembro dele. 

Muitos anos mais tarde eu fui conhecendo e me interessando por pesquisar a história do município de Neópolis e pude apurar o quanto Seu Teixeira é ilustre para a cidade, pois é um verdadeiro exemplo de homem público. Ele levou água potável encanada e energia elétrica para a casa de muitas famílias de baixa renda nos povoados mais distantes e há décadas esquecidos pelo poder público.

Levou, sim, mais dignidade e cidadania para o seu povo. Esse homem é um marco. Basicamente existe uma Neópolis antes e uma Neópolis depois de sua administração como prefeito. 

Hoje ele deacansa em paz. Me solidarizo com dona Salete, seus filhos e filha, demais familiares e amigos e me reservo em oração por todos vocês. Para além da figura pública e do honroso legado político, Seu Teixeira era um pai de família dedicado, um amigo leal e um ser humano de absoluta gentileza. 

Sim, parodiando a inteção de Geútilo Vargas, ele sai da vida e entra para a História.

[*] É estudante de História, poeta e declamador.