ATENÇÃO
Por SES-SE | 29 de Jan de 2018, 09h05
Oito municípios sergipanos em alto risco de infestação do Aedes Aegypti
Apenas Canindé do São Francisco não enviou as informações do seu município
Compartilhar

Itabaianinha entre os municípios em alto grau de risco

A Secretaria de Estado da Saúde, através do Núcleo de Endemias, divulgou nesta sexta-feira, 26, o primeiro LIRAa (Levantamento Rápido do índice de Infestação por Aedes Aegypti) deste ano de 2018. O resultado aponta oito municípios em situação de alto risco, 42 em médio e outros 24 em baixo risco de infestação. Apenas Canindé do São Francisco não enviou as informações do seu município.

Estão em situação de alto risco – apresentam índices de infestação a partir de 3,9% – os municípios de Riachão do Dantas, Pedra Mole, Tomar do Geru, Siriri, São Domingos, Macambira e Itabaianinha, segundo informações da gerente do Núcleo de Endemias, Sidney Sá, acrescentando que o levantamento foi realizado nos 75 municípios sergipanos no período de 02 a 19 de janeiro.

A capital, Aracaju, melhorou sua posição em relação ao último LIRAa de 2017, divulgado no final de novembro. Naquele, ela se enquadrava entre os municípios de médio risco, com um índice de 1,1%. Neste, Aracaju aparece entre os municípios que apresentam baixo risco de infestação, com 0,9%.

LIRAa

LIRAa é o Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes Aegypti, realizado a cada início de ciclo epidemiológico, o que ocorre a cada dois meses. Com isso, são realizados seis LIRAas no ano, quantitativo suficiente, na avaliação de Sidney Sá, desde que os municípios mantenham com eficiência o trabalho de controle e combate ao vetor. Feito por amostragem, o objetivo do levantamento é o de monitorar a presença do mosquito nos municípios e subsidiar os gestores no trabalho de combate ao Aedes.

Veja abaixo a situação de cada um dos 74 municípios que enviaram as informações ao Núcleo de Endemias da Secretaria de Estado da Saúde.