LEI
Por FAN F1 | 23 de Jan de 2018, 15h21
Presidente do TJ-SE diz que salários dos juízes são legais
“Não há nenhuma irregularidade nos pagamentos de magistrados sergipanos\", assegura Cezário Siqueira Neto
Compartilhar

Cezário: tudo na forma da lei

O presidente do Tribunal de Justiça de Sergipe, o desembargador Cezário Siqueira Neto, disse ao Jornal da Fan (Fan FM) que os salários pagos aos magistrados sergipanos estão dentro da legalidade e que vai continuar lutando pela reabertura dos fóruns distritais. A entrevista foi ao ar nesta terça-feira, 23.

“Não há nenhuma irregularidade nos pagamentos de magistrados sergipanos. Todos os valores são pagos exclusivamente com base nas legislações existentes e acobertados por decisão do Supremo Tribunal Federal”, disse o desembargador.

Ele acrescentou que já houve, inclusive, inspeção do Conselho Nacional de Justiça e nada de irregular ou ilegal foi apontado. “Todos os valores são publicados no portal da transparência do CNJ”, falou.

Fóruns distritais – O presidente disse ainda que continua na luta pela reabertura dos fóruns distritais e que essa sempre foi a sua posição. Para ela, a desativação dos 25 fóruns nunca trouxe economia significativa aos cofres do TJ, mas ao contrário, prejuízos à população que mora no interior do Estado.

Ele lembrou que foi voto vencido, quando o assunto foi à votação do colegiado, em outubro de 2015. “Sou contra o fechamento dos fóruns distritais. Espero paulatinamente, convencer os meus pares da necessidade de reativar esses fóruns”, disse.

Foram desativados os fóruns das seguintes cidades: Feira Nova, Telha, Amparo do São Francisco, Gracho Cardoso, Malhada dos Bois, Macambira, Muribeca, General Maynard, Rosário do Catete, São Francisco, Tomar do Geru, Pinhão, Pedra Mole, Canhoba, Itabi, Nossa Senhora de Lourdes, Santa Luzia do Itanhy, Moita Bonita,  Cumbe, Siriri, Brejo Grande, Ilha das Flores, Santa Rosa de Lima, São Miguel do Aleixo e Nossa Senhora Aparecida.

Permanecem abertos: Salgado, Areia Branca, Monte Alegre, Pedrinhas, Riachão do Dantas, São Domingos, Japoatã, Pirambu, Santo Amaro, Santana do São Francisco e Divina Pastora.

Insegurança – Cezário Neto falou ainda da necessidade de o Estado adotar políticas públicas sociais para conter o avanço das drogas.

Disse ainda que o TJ-SE já levou ao governador a proposta da construção de um novo presídio. Segundo Cezário, já houve avanços desde a reunião entre os poderes Judiciário e o Executivo para discutir estratégias para reduzir a criminalidade e a superlotação, mas que é preciso que a insegurança seja tratada, também, como uma questão social.