Política & Mulher
Por ASN | 26 de Nov de 2019, 17h55
Roda de Conversa sobre violência contra a mulher na música é realizada no Espaço Zé Peixe
Encontro integra programação da campanha internacional pelo Fim da Violência contra a Mulher, que acontece até o dia 13 de dezembro
Compartilhar

Pritty Reis/Ascom

Nesta última segunda-feira (25), o Espaço Zé Peixe foi palco da Roda de Conversa “Violência contra a mulher na música”, integrando a programação 16 dias de Ativismo. Com a presença da cantora e compositora Letícia Paz e de estudantes da Universidade Estácio de Sá e do projeto “Qualificação para Mulheres”, a Secretaria de Estado da Inclusão Social propôs o debate sobre a violência contra a mulher expressada em composições musicais, e o diálogo sobre os diversos tipos de violência pelos quais passam as mulheres que integram este nicho de mercado.

De acordo com Linei Pereira, referência técnica de Políticas Públicas para as Mulheres da Seit, a campanha internacional dos 16 dias de Ativismo chega a Sergipe com o intuito de ocupar os diversos espaços e trazer reflexões acerca da violência contra a mulher, que tem seus índices aumentados cada vez mais. “Estamos dando continuidade a uma grande programação, com a realização dessa roda de conversa. O nosso objetivo aqui é falar um pouco sobre a música, o papel que ela tem na sociedade e o que ela vem propagando. Será que a música propaga coisas boas ou ruins em relação ao tema da violência contra a mulher? Hoje é o momento de refletir sobre isso”, disse.

Para Ana Luiza Oliveira Sobral, coordenadora do projeto ‘Viver Família’ do curso de Psicologia da Faculdade Estácio, ressaltou a importância da ação. “Estamos juntas nessa frente de combate à violência contra a mulher e acho que toda ação voltada para esta temática é válida. Ainda que tenhamos projetos para tentar alcançar a violência de modo sistêmico, trabalhando com homens e mulheres, vemos que as estatísticas não são favoráveis. Então, todo espaço disponível para conversar e combater a violência contra a mulher é sempre muito necessário. É um marco nessa luta”, destacou.

No espaço, alguns banners com letras de músicas que relatam ações de violência contra a mulher foram expostos.  A cantora e compositora Letícia Paz explicou a importância de refletir sobre todas as nuances da violência apresentadas na sociedade. “Hoje é mais um compartilhamento das nossas experiências, uma troca entre nós, mulheres. Um momento de apoio, de escuta. Este é um espaço de despertar, de reflexão, para reverberar na vida destas mulheres que estão aqui. A violência contra a mulher tem muitas nuances, que infelizmente atingem a população brasileira. Eu trago para cá a minha vivência, sobre como eu trabalho com esse tema dentro da minha arte. É um espaço de conversa, de desabafo e de cura coletiva”, detalhou.

As alunas Jaiane dos Anjos, do curso de Empreendedorismo ‘Qualificação para Mulheres’ - oferecido pelo Núcleo de Apoio ao Trabalho (NAT) da Seit em parceria com o Instituto Aprecia; e Raíssa Sampaio Silva, estudante de Psicologia da Faculdade Estácio, permaneceram atentas aos relatos de experiências, destacando a importância dos espaços de compartilhamento entre as mulheres. “Essa é uma área que me interessa muito. Sou declaradamente feminista e acho que deve existir esse fortalecimento e troca, principalmente entre as mulheres. No curso, nós já debatemos esse tema e acho essa uma boa oportunidade para podemos conversar sobre como sermos agentes da mudança, para transformar outras pessoas à nossa volta, tanto mulheres quanto homens”, concluiu Raíssa.

A programação segue no dia 27, com o Ciclo de Debates “Violência contra as Mulheres: Desafios e Perspectivas”, às 08h Escola Municipal Presidente Vargas; com as audiências públicas na Câmara Municipal de Aracaju (13h) e no Instituto Federal de Sergipe (14h), em Socorro) sobre Feminicídio e Assédio Sexual no Meio Acadêmico; e com a palestra sobre os 16 dias de Ativismo pelo fim da violência contra a mulher e o lançamento da Cartilha Conheça seus Direitos - Violências contra as mulheres da UFS – uma cartilha de prevenção e combate ao assédio sexual dentro das Instituições de Ensino Superior, às 19h, no auditório da Didática V, na UFS.