PRONTA
Por FAN FM | 18 de Jan de 2018, 12h52
Samuel diz que casa para dependentes químicos está de portas abertas
Ele criticou o governo do Estado pela ausência de uma política de prevenção às drogas
Compartilhar

Samuel na cruzada contra as drogas

Em entrevista na manhã desta quinta-feira, 17, a Narcizo Machado, Jornal da Fan (Fan FM Aracaju), o deputado estadual capitão Samuel (PSL) disse que as portas do Batalhão da Restauração, projeto contra as drogas, estão abertas para os dependentes químicos que querem se tratar e abandonar o vício. O tratamento é totalmente gratuito.

“Depois de muitos anos reprimindo e prendendo dependentes químicos, hoje percebo que foi um erro. O que nós precisamos é cuidar dessas pessoas que estão doentes e que, na maioria das vezes, não conseguem se curar sozinhas”, disse.

Ele criticou o governo do Estado pela ausência de uma política de prevenção às drogas. “De cada 10 homicídios, cinco são por envolvimento direto com a droga”, afirmou o deputado que criou o Batalhão da Restauração em agosto do ano passado para atender dependentes químicos. A entidade se mantém com recursos do próprio parlamentar.

Ele ressaltou que nos estados da Bahia e Alagoas, os governos estaduais mantêm convênios que garantem a assistência aos pacientes. “Na Bahia, o governo do Estado mantém convênio para 500 dependentes químicos na Fundação Doutor Jesus, no município de Candeias. Lá, o responsável é o sargento Isidoro. E em Alagoas, todos os centros terapêuticos garantem vagas gratuitas a quem não pode pagar. Eis aí o motivo da redução dos índices de violência em Alagoas”, falou o capitão.

Equipes – A casa entrou em funcionamento em novembro e atualmente assiste 15 dependentes químicos.

O Batalhão da Restauração funciona na cidade de São Cristóvão, na rodovia que liga a BR-101 à sede da cidade, e conta com psicólogo, médico, enfermeiro e assistente social, além de terapeutas. “temos a mesma equipe que o CAPS-AD tem”, disse o parlamentar ao se referir ao Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas.

O Batalhão tem uma unidade volante que vai ao encontro do dependente químico para sensibilizá-lo a fazer o tratamento. “Só aceitamos o dependente voluntário. Ele precisa querer o tratamento. Mas se ele não quiser e a família fizer contato com a gente, a nossa equipe vai até ele e tenta convencê-lo da importância dele se tratar. E esse convencimento tem dado muito certo, pois conseguimos, na maioria, levar o paciente”, disse.

Para chamar o Batalhão Restauração, deve-se ligar para 3216-6622.