Coronavírus
Por ASN | 25 de Fev de 2021, 18h37
Sergipe iniciará vacinação de idosos de 80 a 89 anos
Imunização será possível devido ao recebimento de remessas com 16.500 doses da vacina Astrazeneca e de mais 9 mil doses da Coronavac
Compartilhar

Belivaldo Chagas: Sergipe ainda está com um percentual de segurança em relação à ocupação de leitos

O governador Belivaldo Chagas afirmou que discutirá, no fim da tarde desta quinta-feira, 25, os detalhes para a priorização da vacinação da população sergipana na faixa etária de 80 a 89 anos. A informação foi dada durante coletiva de imprensa, logo após à reunião com o Comitê Técnico-Científico e de Atividades Especiais - Ctcae - desta quinta, que avaliou o panorama inicial epidemiológico do período pós carnaval e a projeção para as semanas seguintes no Estado. 

“Chegamos à conclusão de que será possível distribuir as vacinas, a partir de amanhã, já contemplando a população dos 80 aos 89 anos. Em função dos números que estamos recebendo dos municípios que têm ainda um percentual armazenado. Está mais do que claro que os trabalhadores da linha de frente, na sua grande maioria, já foram vacinados, mas continuaremos vacinando também”, disse o governador.

A vacinação será possível devido ao recebimento de uma remessa com 16.500 doses da vacina Astrazeneca nessa quarta-feira, 24, e de mais 9 mil doses da Coronavac, imunizante produzido pelo Instituto Butantan, que chegaram hoje.

Com relação às medidas preventivas, Belivaldo disse que novas ações serão anunciadas após a próxima reunião do Ctcae, que ocorrerá na próxima quinta-feira, 4 de março, onde será concluída a avaliação dos impactos do período do Carnaval, mesmo depois da suspensão dos pontos facultativos referentes aos dias festivos no estado neste ano.

“Queremos incluir o período de Carnaval, muito embora, não tenha tido Carnaval, mas é fato que tiveram manifestações que acabaram por aglomerar muitas pessoas. Nós tivemos uma diminuição de casos e óbitos no início do ano, o que voltou a crescer nos últimos 8 dias. Por isso, achamos conveniente somarmos aos últimos oito dias, os próximos oito dias e, assim, vamos dizer se haverá necessidade do toque de recolher, o que não está descartado”, frisou o governador.

Belivaldo explicou que Sergipe ainda está com um percentual de segurança em relação à ocupação de leitos, mas o monitoramento está sendo rígido para evitar agravos. “Neste ano, tivemos uma diminuição de ocupação de leitos e chegamos a 317 leitos ocupados, mas voltamos para 386. Se, daqui a oito dias, tivermos um crescimento desses números, indiscutivelmente, estaremos decretando o toque de recolher, mas essa decisão só será anunciada na próxima quinta-feira”. 

BARREIRAS

O governador disse ainda que, durante a reunião, foi definido que o Estado recomendará que os municípios sergipanos que fazem divisa com a Bahia instalem barreiras sanitárias, para conter a disseminação da Covid-19, em razão do aumento no número de casos no estado vizinho.

“Nós não vamos fechar barreiras. Não há razão para fechar barreiras e impedir o direito de ir e vir. Agora, é prudente que os municípios coloquem barreiras sanitárias para abordar as pessoas que estejam transitando da Bahia para cá. A cepa que apareceu na Bahia, também apareceu aqui e a gente tem que ter essa preocupação”. 

TESTAGEM 

De acordo com o chefe do Executivo estadual, também ficou estabelecida a ampliação da testagem em pelo menos 20 municípios sergipanos. “Vamos ampliar a testagem com força total, já que os municípios não estão fazendo isso. Então, em uma ação conjunta entre a UFS e o governo do Estado, nós vamos avançar a partir de segunda-feira, para que na quinta já tenhamos esses números. A ideia é que seja feita a testagem toda semana”, informou. 

Ainda durante coletiva, o governador reforçou que irá intensificar a fiscalização no intuito de coibir as aglomerações. “A força-tarefa vai continuar a atuar nos moldes do período do Carnaval, tentando evitar o máximo possível as aglomerações. Portanto, tudo vai depender, como sempre, do apoio da população. Se a população colaborar e não tivermos crescimento desses números, a gente vai poder evitar possibilidade de toque de recolher”, pontuou.

A reunião desta quinta-feira contou com a presença da vice-governadora Eliane Aquino e do prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, além dos membros do Comitê, gestores do Estado e da Prefeitura de Aracaju. 

Fonte e foto: ASN

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.