Respeito ao consumidor
Por Ascom | 05 de Dez de 2020, 17h59
Deputado Zezinho Sobral é contra aumento da energia elétrica
Parlamentar sergipano repudia ação da Aneel
Compartilhar

Zezinho Sobral: "Faltou sensibilidade da Aneel com o povo brasileiro”

Preocupado com a população sergipana, principalmente com todos que sofrem as consequências da pandemia do coronavírus, o deputado estadual Zezinho Sobral, Pode, critica a decisão da Agência Nacional de Energia Elétrica - Aneel - de cobrar a bandeira vermelha de patamar 2, que resultará em um aumento de R$ 6,24 a cada 100 quilowatts-hora - kWh - consumidos.

Segundo informações Aneel, “em maio deste ano, em virtude da pandemia do novo coronavírus, a Aneel havia decidido manter a bandeira verde acionada até 31 de dezembro deste ano, mas a queda no nível de armazenamento nos reservatórios das hidrelétricas e a retomada do consumo de energia levaram à revisão da decisão.”

Na opinião do deputado Zezinho Sobral, o aumento da energia impacta negativamente no bolso da população. “Não se pode onerar ainda mais o consumidor, principalmente neste momento delicado, onde muitas famílias ainda sofrem com os problemas causados pela crise consequente da pandemia da Covid-19. Faltou sensibilidade da Aneel com o povo brasileiro”, reclama.

Diante do cenário, o deputado estadual Zezinho Sobral vai protocolar uma indicação na Assembleia Legislativa sugerindo a Aneel que reveja as medidas anunciadas e prorrogue por mais tempo a suspensão das bandeiras tarifárias em virtude da pandemia ainda existente.

“O Brasil vive problemas com empregabilidade, muitas empresas fecharam suas portas e muitas famílias enfrentam dificuldades. Alguns estão conseguindo se restabelecer agora. A pandemia permanece, alguns estados e algumas cidades estão com os índices voltando com força. A Aneel se antecipou e voltou a cobrar essa bandeira que vai onerar o consumidor. Nossa indicação é um apelo para que a Agência reveja isso até que a pandemia acabe, de fato, que a economia possa se restabelecer, os empregos voltem e que o consumidor não seja prejudicado”, pontua o deputado Zezinho Sobral.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.