Coronavírus
Por Terra | 17 de Jan de 2021, 15h29
Mônica Calazans, uma enfermeira: primeira brasileira vacinada contra Covid-19 no Brasil
Anvisa aprova o uso emergencial no país das vacinas da AstraZeneca e da Sinovac
Compartilhar

Enfermeira paulista, Mônica Calazans, é imunizada com a CoronaVac

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa - aprovou o uso emergencial das vacinas da AstraZeneca e da Sinovac contra o coronavírus, em reunião na tarde deste domingo, 17, abrindo caminho para o início da imunização no Brasil contra uma doença que já deixou quase 210 mil mortos no país.

Os diretores do órgão regulador votaram a favor do uso emergencial de 2 milhões de doses da vacina desenvolvida pela AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford, que serão importadas da Índia pela Fundação Oswaldo Cruz - Fiocruz -, e de 6 milhões de doses da CoronaVac importadas da China pelo Instituto Butantan. 

No caso da CoronaVac, a relatora dos pedidos, Meiruze Freitas, impôs como condição para o uso emergencial a assinatura pelo Instituto Butantan, autor do pedido, de um termo de compromisso para apresentação de mais dados sobre a vacina até 28 de fevereiro, e a subsequente publicação no Diário Oficial.

Somente a vacina do Butantan está disponível para aplicação imediata na população no momento, uma vez que houve atraso na importações das doses da vacina da AstraZeneca da Índia.

PRIMEIRA VACINADA

A enfermeira Mônica Calazans acaba de se tornar a primeira brasileira vacinada contra a Covid-19 no Brasil. A aplicação da CoronaVac ocorreu em São Paulo, logo depois da aprovação da Anvisa. Aos 54 anos, Calazans atua na linha de frente contra a Covid-19 no Instituto de Infectologia Emílio Ribas, em São Paulo. É moradora de Itaquera, na zona leste de São Paulo. 

OBS: Matéria atualizada às 16h02min.

Fonte: Terra

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.