LEÃO
Por VEJA.COM | 08 de Ago de 2017, 21h35
Temer admite estudos sobre aumento da alíquota do IR
Segundo o presidente, estudos sobre arrecadação são feitos rotineiramente pelos ministérios da Fazenda e do Planejamento
Compartilhar

O presidente Michel Temer faz pronunciamento, após votação na Câmara, em Brasília (Alan Santos/PR)

O presidente da República, Michel Temer, admitiu nesta terça-feira que a equipe econômica do governo estuda uma alíquota maior para o Imposto de Renda de Pessoa Física. Ele ponderou, no entanto, pode não ser o momento oportuno para o aumento.

“São estudos que se fazem rotineiramente. A todo momento, o Planejamento e a Fazenda fazem estudos e esse é um dos estudos que está sendo feito. Não há nada decidido”, afirmou o presidente após participar da abertura de congresso da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

Reportagem publicada hoje no jornal O Estado de S. Paulo informa que a equipe econômica considera a criação de uma alíquota de IR de 30% ou 35% para quem ganha acima de 20 mil reais, além da tributação de lucros e dividendos, entre outras medidas, com o objetivo de aumentar a receita em 2018.

O governo enfrenta sérias dificuldades para equilibrar as contas públicas e há uma forte expectativa de que terá de alterar a meta fiscal deste ano, para poder ter um déficit primário maior dos que os 139 bilhões de reais previstos.

Em discurso no mesmo evento, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que o Brasil não aguenta mais pagar impostos.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.