Reportagem Especial

Tanuza Oliveira

Compartilhar

Expansão de empresas e condomínios garantem futuro promissor à Barra dos Coqueiros

HOSPITAL E ESCOLA DE ALTO PADRÃO
Felizola explica por que decidiu empreender com um shopping na Barra. “A cidade está sofrendo uma transformação, um “boom” imobiliário. Muitos condomínios de lá estão sendo preferidos pelos aracajuanos, exatamente, por serem pé na areia, pois em Aracaju não tem isso. Atrelado a isso, tem o fato do aumento do fluxo de muitas pessoas trabalhando na cidade. Então, identificamos que a Barra precisava de estrutura de tudo: de hipermercado, lojas de roupas, de sapatos, cinema. Uma série de coisas. Algumas, inclusive, bastante essenciais. Pois, quando você leva um shopping, leva tudo, como uma agência bancária, por exemplo”, afirma.

Visionário, o empresário percebeu outras necessidades para atender a clientela de padrão médio e alto da Barra. “Já tenho conversado, inclusive, com alguns donos de colégios – que funcione junto com uma faculdade – e donos de hospitais, exatamente, mostrando toda essa realidade. E já tem dono de colégio de Aracaju, querendo abrir filial, e também de hospital olhando para a Barra”, informa.

“O crescimento da Barra dos Coqueiros é inevitável. E outra: ele não é uma possibilidade. É uma realidade. Não é uma promessa. A Barra vem se estruturando para isso. O que não tem na cidade ainda está sendo criado”, reforça Jorge Felizola.

Expectativa é que o primeiro shopping da Barra fique pronto daqui a dois a três anos
Em solenidade com presença do presidente Bolsonaro, Termelétrica foi inaugurada oficialmente em agosto

INAUGURAÇÃO DO SHOPPING BARRA
O projeto do Shopping Barra Mar está pronto, em fase final das liberações das licenças e autorizações necessárias dos órgãos competentes do Governo para iniciar a construção. De acordo com Jorge Felizola, nem mesmo a pandemia do novo coronavírus e a incerteza do mercado econômico, impediu o andamento do projeto. Mas, no momento, ele prefere não estipular data de inauguração. Somente fará isso com o início das obras.

“Tudo já voltou, está voltando ao normal. O mundo está tendo 20, 30 vacinas, então, logo, logo uma logrará êxito. E o shopping daqui uns anos ficará pronto. A obra de um shopping é igual a de um condomínio. Demora cerca de dois a três anos. E, daqui para lá, tudo já voltou ao normal de verdade”, informa Jorge Felizola.

Segundo o empresário, existe uma procura muito grande de lojistas para aquisição de espaços dentro do shopping. “Mas, na verdade, não começamos a comercialização e nem vamos começar ainda, enquanto não tivermos 100% de aprovação e começarmos as obras”, avisa.  

Presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário, Paulo Nunes: Barra é uma grande oportunidade de moradia com qualidade de vida

1º SHOPPING DA BARRA
Para Paulo Nunes, a tendência na Barra é de chegar mais escolas, toda uma infraestrutura que absorva a ampliação populacional. Num futuro não tão longe, ele acredita, inclusive, que a cidade necessitará de mais um elo de ligação com Aracaju. “Eu vejo que, daqui a pouco, precisaremos de mais uma ponte. Mas acho que aí é algo de médio a longo prazo. Por hora, a ponte (construtor João Alves) dá uma boa sustentação”, afirma.

Além de uma futura ponte, outro fator que, indiscutivelmente, não pode ser deixado de lado na Barra dos Coqueiros é o lazer, o passatempo dos moradores e, por que não, dos trabalhadores da região. É público e notório que o Município sofre uma grande escassez de espaços de entretenimento.

Ciente de toda essa carência de entretenimento, o empresário Jorge Eduardo Felizola – empreendedor do ramo de imobiliária, mais especificamente a Cohab Premium – anunciou, em 2019, que construirá na cidade o primeiro shopping center, Shopping Barra Mar. Um empreendimento com 128 lojas, que promete atender todas classes sociais e ter de um tudo, distribuídos em lojas satélites, âncoras de roupas, sapatos, acessórios, cinema, praça de alimentação, restaurantes, que vai ter ainda, na parte superior, salas empresariais e um centro médico.

Barra dos Coqueiros foi invadida por condomínios de médio e alto porte

MAIS CONDOMÍNIOS
“Com a empresa de geração de energia, um investimento de bilhões, essa expectativa do complexo industrial, mais indústrias, o mercado imobiliário acompanha todo esse progresso. Um dos vetores de crescimento do nosso setor no Estado é Barra. É indiscutível isso. São vários e vários empreendimentos que estão lá. E população aceita muito bem”, ressalta Paulo Nunes.

De três anos para cá, centenas de unidades habitacionais foram lançadas. E, dentre os próximos três a cinco anos, a estimativa do mercado imobiliário é de que mais condomínios sejam lançados.

Na opinião do presidente da Ademi/SE, a Prefeitura precisa sim dar todo o apoio de infraestrutura para absorver esse crescimento. E, do ponto de vista dele, ela está dando. “O crescimento da Barra se deu de forma ordenada, por meio de loteamentos. Não houve ali uma ocupação desordenada. É o mais importante disso tudo”, frisa.

Secretário da Sedetec, José Augusto Carvalho: “O terminal de GNL da Celse abriu inúmeras oportunidades de novos negócios”

PLANO DIRETOR E NECESSIDADES
“Por isso, a Barra está desenvolvendo, pois tem um plano diretor sustentável, preocupado com o meio ambiente, com a situação do município. Formamos o Conselho Cidadão que aprova as ações do plano diretor. Quando há mudanças, é passado pelo conselho, aprovado pela Câmara”, enfatiza o prefeito.

É fato e evidente que a demanda social da Barra vem aumentando, de sobremaneira, gerando uma série de necessidades, como mais infraestrutura – urbanização, esgotamento sanitário, iluminação –, educação, saúde. Ou seja, a Prefeitura precisa tomar as rédeas da situação para que não ocorra um crescimento desordenado.

“Temos um crescimento muito grande mesmo. Mas estamos fazendo infraestrutura da cidade, preparando para esse aumento maior. Mas, mais uma vez, enfatizo que todo o nosso crescimento foi feito com base no plano diretor”, frisa Airton Martins. Segundo ele, várias obras e ações já foram feitas na Barra e muitas outras estão sendo executadas, que são de fundamental importância para o futuro do Município.

QUALIDADE DE VIDA
“Construímos duas escolas para darmos uma melhor educação para os residentes da Barra e aquelas pessoas que estão chegando. Na saúde, também estamos investindo em postos médicos, clínicas. Estamos cuidando da nossa população antiga e cuidando da população que está chegando”, informa o prefeito.

Como bem lembra Airton Martins, “anos atrás, ninguém queria morar na Barra. Eu falava da Barra e o povo ficava meio assim. Mas, hoje em dia, todo mundo quer morar em nossa cidade”. O município se encheu de condomínios de classe média e classe média alta.

Presidente da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário de Sergipe - Ademi/SE - o empresário Paulo Nunes, diretor-presidente da Jotanunes Construtora, não tem dúvidas que a Barra dos Coqueiros é um amplo vetor de crescimento imobiliário. “Ali, depois da ponte, é uma grande oportunidade de moradia, uma região com praia para se morar bem, com qualidade de vida. Tem todo um potencial”, destaca.

Grupo Maratá quer implantar duas empresas na Barra dos Coqueiros

COMPLEXO INDUSTRIAL
Na expectativa de expansão em Sergipe, a Celse, desde março deste ano, já pós em funcionamento a Usina Porto Sergipe I, que colocou a Barra dos Coqueiros e, consequentemente, Sergipe, no centro das atenções da produção de energias novas e fez nascer ali na cidade o Complexo Industrial Portuário de Sergipe – ação do Governo do Estado em busca do desenvolvimento socioeconômico –, destinado a aportar os mais diversos tipos de indústrias.

O Governo de Sergipe vem desenvolvendo um planejamento para criar condições para atrair empresas para a região da Barra dos Coqueiros, assim como assim como Santo Amaro das Brotas, Maruim e Laranjeiras, na intenção, claro, de gerar empregos e renda não somente para a região, mas para todo o Estado.

“O governador Belivaldo Chagas conseguiu aprovar na Alese (Assembleia Legislativa), por unanimidade, a Lei 8.569, de 2 de setembro de 2019, criando a região denominada Complexo Industrial Portuário. E, por meio de protocolos de intenções assinados em 18 de julho de 2019, entre os municípios e o Governo, foram estabelecidas diretrizes para garantir um ambiente favorável e juridicamente seguro para as novas empresas que venham a se instalar no local, com relação a questões de competência dos municípios”, explica o secretário da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia – Sedetec, José Augusto Carvalho.

MARATÁ & CIA NA BARRA
De acordo com o secretário, as adequações legislativas que foram propostas aos municípios ainda estão em análise, sendo Maruim o único que já aprovou uma lei que traz alguns benefícios. Contudo, menores que a pretendida pelo Governo. “É preciso que os demais municípios adequem suas legislações, o quanto antes, para termos um arcabouço que ofereça segurança jurídica para as empresas que têm interesse na região, não só da Barra dos Coqueiros, como nos demais municípios que integram o Complexo”, informa.

“Na medida em que algum município deixe de implantar tais dispositivos legais ou o façam de forma parcial, os municípios que aderirem por completo aos termos do Protocolo de Intenções certamente conseguirão atrair maior número de empreendimentos”, ressalta José Augusto.

Empresas de peso nacional e, até mesmo internacionais, estão interessadas em instalar empreendimentos no Complexo Industrial, sobretudo, na região da própria Barra. “Existem alguns exemplos, como dois da Maratá (a notícia é que o grupo quer implantar um moinho), uma empresa do ramo de petróleo, uma distribuidora de combustíveis e uma empresa do grupo Golar, que pretende distribuir GNL”, informa o secretário da Sedetec.

BARRA PRONTA PARA O FUTURO?
“O terminal de GNL da Celse abriu inúmeras oportunidades de novos negócios, não só na Barra dos Coqueiros, mas em toda a região. E, a médio prazo, estamos muito otimistas com as descobertas de óleo e gás pela Petrobras, sendo uma perspectiva concreta de oferta abundante e atração de empresas para consumirem esse insumo. A longo prazo, também estamos otimistas, pois outra grande empresa, Exxon Mobil, arrematou nove blocos em águas profundas e iniciará perfuração no próximo ano. Somente estes dois projetos e a cadeia de fornecedores associados a estas empresas devem fazer uma grande diferença para o município e região, certamente, trazendo benefícios para todo o Estado”, reforça José Augusto.

Diante todo este contexto, fica a pergunta: a Barra dos Coqueiros, realmente, está preparada estruturalmente para este desenvolvimento? O Município vem passando por uma ampliação que perpassa diversos aspectos, não somente o industrial, mas o imobiliário também.

Para o prefeito da Barra dos Coqueiros, Airton Martins, a Barra dos Coqueiros está preparada tanto para o recebimento de indústrias quanto para a construção de mais condomínios residenciais. “Nós preparamos a Barra a oito anos atrás. Desde quando assumimos a Prefeitura, em nosso primeiro mandato, criamos o plano diretor da cidade para nortear os rumos, o crescimento”, informa.

Prefeito da Barra, Airton Martins: cidade está preparada para o recebimento de indústrias e mais condomínios

Prefeitura e setor privado asseguram que a cidade está preparada para receber shopping, mais imóveis residenciais e inúmeros empreendimentos industriais
Tatianne Melo - Especial para o JLPolítica

Distante somente 3 km do Centro de Aracaju, o Município da Barra dos Coqueiros, após a inauguração da Ponte Construtor João Alves, no ano de 2006, passou por um processo gigantesco de conurbação - união com a Capital sergipana - e viu o progresso chegar, com uma espetacular transformação imobiliária e socioeconômica. 

Com a chegada da Centrais Elétricas de Sergipe - Celse -, em 2017, para a implantação da Usina Termelétrica Porto de Sergipe I - instalada no imenso terreno onde um dia se sonhou o Polo Cloroquímico de Sergipe -, o processo de desenvolvimento da Barra dos Coqueiros se aflorou ainda mais. Foram R$ 6 bilhões de investimento para transformar o empreendimento na maior usina termelétrica da América Latina.

Diretor-presidente da Celse, o engenheiro Pedro Litsek tem plena consciência do grau de relevância imensurável da usina para a Barra dos Coqueiros, seja pela criação de postos de trabalho durante a construção do empreendimento - assim como em seu funcionamento, de forma bem mais reduzida, em torno de 200 empregos -, seja pela arrecadação de impostos e possibilidade de atração de empresas devido à disponibilidade fácil de energia.

Em solenidade com presença do presidente Bolsonaro, Termelétrica foi inaugurada oficialmente em agosto